RÁDIO GLOBO ENTREVISTA AUTOR DO LIVRO “GLAUCOMA”

O programa Manhã da Globo, apresentado por Laércio Maciel, entrevistará nesta quinta-feira, 15 de agosto, a partir do meio dia, o dr. Remo Susanna Jr. Um dos maiores especialistas mundiais em glaucoma, o oftalmologista falará sobre o livro Glaucoma – Informações essenciais para preservar sua visão, que acaba de ser lançado pela MG Editores. Acompanhe a entrevista ao vivo pela frequência 1100 AM ou ainda pelo site: www.radioglobo.com.br.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano são registrados 2,4 milhões de novos casos no mundo. Cerca de 60 milhões de pessoas tinham glaucoma em 2010. Esse número chegará a 80 milhões em 2020. No Brasil, não há estatísticas populacionais sobre a doença, mas estima-se que existam mais de 1 milhão de portadores. Os números são alarmantes, mas há dados ainda piores. Boa parte dos doentes em estágio avançado teria chances de evitar a cegueira se tivesse sido diagnosticado a tempo e recebido o tratamento adequado. Até mesmo nos países desenvolvidos, 50% dos indivíduos afetados não receberam o diagnóstico nem estão em tratamento. Metade deles, no entanto, fez exames oftalmológicos nos últimos dois anos.

No livro, dr. Remo traz informações claras e precisas para portadores e seus familiares. Ele oferece definições importantes sobre o glaucoma, explica os mitos mais comuns relacionados à doença, aborda os principais tipos de tratamento e oferece recursos para melhorar a deficiência visual decorrente do problema.

“O glaucoma é considerado o mais astuto ladrão da visão, que não respeita classe social, sexo e raça, sendo a principal causa de cegueira irreversível no mundo. Quando o paciente percebe que algo não vai bem com a sua visão, a extensão da lesão já é enorme e o glaucoma encontra-se em fase avançada”, explica o autor, destacando que 2% a 4% da população acima de 40 anos têm a doença.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1345/Glaucoma

RÁDIO GLOBO ENTREVISTA COAUTORA DE “CONVERSANDO SOBRE O LUTO” NESTE SÁBADO, DIA 27

O programa Manhã da Globo, da Rádio Globo, entrevista a psicóloga Maria Aparecida Mautoni neste sábado, dia 27 de julho, a partir de 11h. Ela falará sobre seu livro Conversando sobre o luto (Editora Ágora). Acompanhe a entrevista pela frequência 1100 AM em São Paulo ou ainda pelo site: www.radioglobo.com.br.

A perda de um ente querido pode ser uma experiência devastadora. Num tempo em que o fato de sentir tristeza é visto com maus olhos, fica cada vez mais difícil lidar com a morte e falar sobre ela. O fato de não expressar a dor, porém, pode trazer graves consequências aos enlutados. O livro traz alguns depoimentos e inúmeras dicas para lidar com a perda. Ao longo da obra, Maria Aparecida e a psicóloga Edirrah Gorett Bucar Soares, especialistas em luto, abordam a teoria do apego, explicam como falar sobre a morte com as crianças, oferecem orientações para superar a perda de forma saudável e propõem reflexões a médicos, psicólogos e cuidadores.

“Consideramos fundamental dividir experiências – principalmente porque somos profissionais que convivem com a morte do outro e, em consequência, com a perda”, afirmam as autoras. Em linguagem simples e direta, o livro é dirigido a todos aqueles que perderam um ente querido e a profissionais de saúde que lidam com a morte no cotidiano. “O luto é um processo solitário e individual. Nosso objetivo é ajudar a iluminar o caminho da elaboração do luto das pessoas que estão na escuridão e dar pistas sobre o caminho aos enlutados, a suas famílias e aos profissionais da saúde”, complementam.

Dividida em seis capítulos, a obra aborda questões como apego e perda, a maneira de ajudar os enlutados, o luto da criança, além de morte e luto no contexto hospitalar. Segundo as autoras, em pleno século 21, são poucos os pais que conseguem dizer a seus filhos que a morte é inevitável e irreversível. Os educadores também demonstram dificuldades de explanar em sala de aula o tema morte, sendo o assunto considerado tabu até nos hospitais. Segundo as autoras, é preciso conversar sobre morte de forma esclarecedora. “Para ajudar as crianças após a perda, é preciso oferecer carinho, compreensão, amor, respeito, acolhimento e escuta”, afirmam.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1344/Conversando+sobre+o+luto

 

AUTOR DE “LINGUAGEM CORPORAL” FALA À RADIO GLOBO SOBRE O COMPORTAMENTO DE ANDERSON SILVA NA LUTA PERDIDA DIA 6/7

Em entrevista para ao programa Boa Tarde Globo, da Rádio Globo, na segunda-feira, 8 de julho, Paulo Sérgio Camargo, autor do livro Linguagem corporal (Summus Editorial) falou sobre o comportamento de Anderson Silva na luta contra o norte-americano Chris Weidman no último sábado (6/7), na UFC. Ouça a entrevista: http://goo.gl/miYHE.

Durante um diálogo, apenas 35% da comunicação ocorrem verbalmente. Os outros 65% se dão por meio de componentes não verbais, como postura, gestos e atitudes. Assim, conhecer e entender a linguagem corporal é a chave para aumentar a integração entre pessoas e grupos..

No livro Linguagem corporal, Camargo explica as principais características dos diversos tipos de linguagem corporal,incluindo dicas fundamentais para aprimorar a interpretação de sinais e gestos que facilitam a comunicação nos relacionamentos interpessoais. “O objetivo é abrir novos caminhos para o estudo da técnica no Brasil”, revela o autor. Para ele, todos os profissionais que trabalham diretamente com pessoas devem buscar competência na utilização dessa linguagem.

Focado em estudos específicos da população brasileira, o livro aborda, entre outros temas, o simbolismo das mãos, os tipos de olhar e técnicas de avaliação de voz. Mostra também a melhor forma de negociar em reuniões, como criar empatia com os interlocutores, a linguagem corporal durante uma entrevista de emprego e também nas vendas. O autor fala ainda sobre as fases da paquera não verbal e revela como detectar mentiras. “É necessário o conhecimento do método, de sua importância e de suas origens para que a aplicação se torne cada vez mais ética e confiável”, afirma Camargo.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1223/Linguagem+corporal

 

RÁDIO GLOBO ENTREVISTA ELIZABETH MONTEIRO, NESTE SÁBADO, DIA 4 DE MAIO

O programa Manhã da Globo, da Rádio Globo, terá a participação da psicóloga Elizabeth Monteiro neste sábado, 4 de maio, a partir das 11h. Ela falará ao vivo, em estúdio, com o apresentador Laércio Maciel sobre o novo livro Criando filhos em tempos difíceis (Summus Editorial). Acompanhe a entrevista na frequência 1100 AM em São Paulo ou ainda pelo site www.radioglobo.com.br.

Falta de tempo, correria, excesso de trabalho, pouco dinheiro, medo de sair na rua… Esses são alguns dos problemas enfrentados pelos pais modernos. O resultado? Crianças entediadas, desinteressadas, obesas, carentes e, ao mesmo tempo, sem limites. Como criar filhos em tempos tão difíceis? Para a autora participar mais da infância dos filhos é um ótimo estímulo para a saúde. E estar junto deles é fazer coisas que sejam também do interesse da criança.

No livro Criando filhos em tempos difíceis, Elizabeth defende a infância. Para tanto, ela mostra a importância do brincar e das brincadeiras. Ao longo do livro, dividido em 15 capítulos, ela aborda as diversas fases do desenvolvimento de bebês e crianças, dá dicas práticas sobre educação e comportamento, sugere inúmeras brincadeiras e fala sobre os desafios de criar filhos hoje. “Resgatar a infância de nossos filhos é investir no futuro da civilização”, afirma. Para a autora, as famílias estão passando por várias transformações e as crianças não estão brincando como deveriam.

Segundo a psicóloga, brincar é o melhor remédio para uma criança. A maioria dos pais, diz ela, não imagina até que ponto as brincadeiras ajudam os pequenos e contribuem para que eles sejam adultos criativos e bem-sucedidos. Elizabeth explica também que a criança tem um mundo próprio. “Quanto mais próximos dela estivermos, mais depressa a ajudaremos a compreendê-lo, tomando o cuidado de não impor nossos padrões de adultos”, afirma. Ela esclarece ainda que a criança inicia o desenvolvimento de seu psiquismo já na fase intrauterina, sendo capaz de sentir tudo que a mãe sente. Além disso, diz, o bebê continuará incorporando o clima afetivo do ambiente mesmo depois do nascimento.

Na obra, Elizabeth sugere brincadeiras que ajudam também na evolução da criança, desenvolvendo a atenção e o conhecimento do corpo, o fortalecimento da musculatura manual e digital, os sentidos e o reconhecimento do mundo, o desenvolvimento da criatividade e o domínio do corpo.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1335/Criando+filhos+em+tempos+dif%C3%ADceis