AUTORES DO LIVRO “COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ESTRATÉGICA” FAZEM DEBATE E AUTOGRAFAM NA LIVRARIA CULTURA, DO SHOPPING IGUATEMI

A Livraria Cultura (Shopping Iguatemi) e a Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) promovem no dia 4 de abril, segunda-feira, das 18h30 às 21h30, o lançamento do livro Comunicação organizacional estratégica – Aportes conceituais e aplicados. Antes da sessão de autógrafos, a professora Margarida Kunsch (organizadora) e os professores Luiz Alberto de Farias e Paulo Nassar, ambos coautores, farão um debate sobre o tema do livro. A livraria fica na Av. Brig. Faria Lima, 2.232 – Piso 3, em São Paulo.

O livro Comunicação organizacional estratégica reúne autores que integram o corpo docente do curso de pós-graduação de Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). A obra reflete os temas que vêm sendo trabalhados no curso e que passam por atualizações frequentes diante das novas demandas sociais e do mercado cada vez mais competitivo.

A comunicação organizacional precisa ser entendida de forma abrangente e complexa. Deve, sobretudo, ser considerada um fenômeno e um processo comunicativo em contínua interação entre a organização e seus diversos interlocutores, numa perspectiva dialética e em busca de um consenso negocial”, afirma Margarida. Segundo ela, organizações e interlocutores/públicos estratégicos estão insertos em um sistema social global, sujeitos às interferências externas e sofrendo as intempéries da dinâmica da história.

De acordo com a organizadora, apesar das incertezas globais e da impossibilidade do controle imaginado como possível por parte das organizações, as ações de comunicação precisam ser muito mais bem pensadas estrategicamente e planejadas com base em pesquisas científicas e análise e interpretação de cenários. “Daí a necessidade de uma visão crítica de mundo, de uma filosofia e da adoção de políticas de uma comunicação organizacional integrada, unindo o trabalho de relações públicas com a comunicação institucional e a comunicação interna, assim como a atividade de marketing com a comunicação mercadológica”, avalia a professora.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro//9788532310460

Convite Comunicacao organizacional estrategica

JOSÉ SERGIO CARVALHO AUTOGRAFA “POR UMA PEDAGOGIA DA DIGNIDADE” NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO, NA USP

A Summus Editorial e a Faculdade de Educação da USP (FEUSP) promovem no dia 31 de março, quinta-feira, das 19h às 22h, a noite de autógrafos do livro Por uma pedagogia da dignidade – Memórias e reflexões sobre a experiência escolar. O autor do livro, o professor José Sergio Carvalho, receberá amigos e convidados no auditório da Faculdade, que fica na Av. da Universidade, 308 – Bloco B – Térreo, Cidade Universitária, São Paulo.

Numa obra sensível e original, Carvalho lança um olhar diferente para imagem social da escola e aborda a singularidade da dimensão experiencial e existencial da instituição. Construído com base em suas experiências como aluno, professor e pai, o livro questiona alguns mitos dos discursos correntes sobre educação, aborda as relações entre escola e família e mostra que a vida escolar é uma experiência que produz significados ao configurar identidades individuais e coletivas.

“Os textos que compõem a obra têm a pretensão de estabelecer um diálogo crítico com os efeitos dessa desconfiança generalizada que se abateu sobre a imagem da escola na sociedade contemporânea. Não no sentido de rejeitar liminarmente as teses que lhes deram origem, mas ao ressaltar um aspecto que nela costuma permanecer oculto: o fato de que a escola é um lugar de experiências. Nela adentramos cada vez mais cedo e permanecemos cada vez mais tempo: encontramos mestres e charlatões; fazemos amigos e inimigos; descobrimos objetos belos que nos comovem e travamos contato com aspectos trágicos de nossa condição e existência”, diz.

Na obra, há ocasiões em que os escritos trazem à tona os ecos distantes da voz do aluno; em outras, o clamor presente da voz do professor. Neles emergem ora as preocupações do pai, ora as inquietações do pesquisador, a indignação do cidadão e a esperança do militante. Em alguns trechos, seus objetos são recordações e observações do cotidiano escolar; em outros, a leitura de um romance, a síntese de uma investigação teórica ou a interpretação de uma obra cinematográfica.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1435/Por+uma+pedagogia+da+dignidade

Por uma pedagogia da dignidade

ELIANE BIO AUTOGRAFA O LIVRO “O CORPO NO TRABALHO DE PARTO”, NA LIVRARIA DA TRAVESSA, EM RIBEIRÃO PRETO, SP

A Summus Editorial, a Livraria da Travessa e o RibeirãoShopping promovem no dia 25 de setembro, sexta-feira, às 17h, o lançamento do livro O corpo no trabalho de parto, da fisioterapeuta obstétrica Eliane Bio. Antes da sessão de autógrafos, a autora fará um bate-papo com os convidados sobre o tema da obra. O evento faz parte da programação do Projeto Vida Saudável “Edição Gestantes”. A Livraria da Travessa fica no RibeirãoShopping, que fica na Av. Coronel Fernando Ferreira Leite, 1540 – Jd. Califórnia – Ribeirão Preto, São Paulo.

Diante da epidemia atual de cesarianas – que coloca o Brasil numa vergonhosa posição diante de outros países –, um número crescente de mulheres vem buscando recursos que propiciem o resgate do parto normal. Porém, ao longo das últimas décadas, em paralelo à valorização do seu papel social e à capacitação profissional, muitas delas deixam de acreditar nas habilidades naturais do corpo feminino e no próprio poder de dar à luz. Medo de sentir dor, preocupação com o bebê e falta de contato com o próprio corpo são alguns dos obstáculos. No livro , Eliane mostra essencialmente que a mulher é capaz. Partindo de sua experiência de mais de 30 anos como fisioterapeuta obstétrica, ela defende, sem radicalismos, a integração corpo e mente e oferece recursos fundamentais para as mulheres participarem com consciência da experiência do trabalho de parto.

Segundo ela, ao longo das últimas quatro décadas, a assistência ao parto normal foi maciçamente medicalizada e institucionalizada com a introdução de tecnologias, exames complementares e equipamentos para rastrear e prevenir riscos ao binômio materno-fetal. “Isso tudo paralelo a um comportamento cada vez mais passivo da mulher e a um gradual ‘desaprendizado’ em relação aos saberes do próprio corpo”, afirma.

No livro, a fisioterapeuta propõe exatamente o caminho inverso, mostrando o significado do resgate feminino e da capacidade inerente da mulher de parir usando meios próprios e naturais. No primeiro capítulo, “A fisiologia da mulher e a natureza do feminino”, a autora reflete sobre os atributos femininos nesta era de eclosão das biotecnologias, infiltrando as subjetividades femininas contemporâneas de falsos enunciados sobre gestação e parto.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1418/Corpo+no+trabalho+de+parto,+O+

Corpo no trabalho de parto_Shopping Ribeirao

 

GIKOVATE FAZ PALESTRA NA LIVRARIA DA VILA, NO SHOPPING PÁTIO HIGIENÓPOLIS

A MG Editores e a Livraria da Vila (Shopping Pátio Higienópolis-São Paulo) promovem no dia 21 de setembro, segunda-feira, às 19 horas, palestra do psicoterapeuta Flávio Gikovate no auditório da livraria. Na sequência, ele autografará seu livro recém-lançado, Gikovate além do divã – AutobiografiaPara participar é necessário retirar senha antecipada, que estará disponível a partir de 18h30 (a cpacidade do auditório é de 60 pessoas sentadas). A livraria fica no Shopping Pátio Higienópolis, piso Pacaembu (Av. Higienópolis, 618, São Paulo).

Nos anos 1970, no auge do lema “sexo, drogas e rock’n’roll”, Gikovate viveu sua primeira grande ruptura com o pensamento psicológico tradicional. Em um artigo para uma revista de grande circulação, ele separou sexo de amor. E disse mais: são impulsos instintivos autônomos e muitas vezes antagônicos. Foi também nessa época que ele falou pela primeira vez do medo da felicidade, relacionando-o ao trauma do nascimento, e estabeleceu diferenças cabais entre desejo e excitação.

Adepto do pensamento livre, Gikovate nunca se filiou a nenhuma das tradicionais correntes da psicologia. O modo peculiar de conduzir seu trabalho e a originalidade de suas reflexões atingem milhares de pessoas, seja pela leitura de seus livros, que já venderam mais de 1 milhão de exemplares, seja pelo incalculável alcance do rádio em seu programa semanal, seja pelo atendimento em consultório, onde já passaram mais de 10 mil pacientes, seja pelas redes sociais, com números crescentes de seguidores. Em Gikovate além do divã – Autobiografia, Gikovate se abre para contar essa trajetória e revela, com sinceridade e emoção, como a influência familiar, a formação acadêmica, a vivência em consultório e a análise acurada do meio social contribuíram para construir seu modo de atuar.

O objetivo da autobiografia, segundo ele, é deixar registradas as etapas que foram essenciais para a elaboração dos seus métodos de trabalho e de sua produção intelectual.  “Penso que fui capaz de elaborar um guia útil para aqueles que desejam entender como a experiência clínica, as mudanças ocorridas em nossa cultura ao longo dos últimos 50 anos e também as vivências pessoais se mesclaram e formaram o substrato das reflexões originais que fiz sobre sexo, amor, moral e felicidade – e sobre o medo dela.”

Sem histórias picantes e detalhes de bastidores, Gikovate escreveu sobre a vida pessoal apenas o que era indispensável para explicar certos aspectos do modo como se encaminhou sua trajetória como psicoterapeuta. A medicina entrou em sua vida desde muito cedo. Filho de um médico e intelectual respeitado, influente também no meio político, ele nutriu grande admiração pela determinação e inteligência do pai. Mas foi a severa doença psiquiátrica da mãe, que se manifestou pela primeira vez quando ele tinha 6 anos de idade, que selou sua escolha pela medicina e, posteriormente, pela psiquiatria.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1423/9788572551151

Gikovate_Palestra Livraria da Vila

 

GIKOVATE LANÇA AUTOBIOGRAFIA E COMEMORA 8 ANOS DO SEU PROGRAMA NA RÁDIO CBN

A MG Editores e a Livraria Cultura (Conjunto Nacional – São Paulo) promovem no dia 18 de agosto, o lançamento do livro Gikovate além do divã – Autobiografia. Das 18h às 19h15, haverá a gravação especial de No divã do Gikovate, da rádio CBN, em comemoração aos 8 anos do programa. Em seguida, a partir de 19h30, sessão de autógrafos no “Bico de madeira”, no piso do Teatro. A livraria fica na Av. Paulista, 2073 – São Paulo.

Nos anos 1970, no auge do lema “sexo, drogas e rock’n’roll”, Gikovate viveu sua primeira grande ruptura com o pensamento psicológico tradicional. Em um artigo para uma revista de grande circulação, ele separou sexo de amor. E disse mais: são impulsos instintivos autônomos e muitas vezes antagônicos. Foi também nessa época que ele falou pela primeira vez do medo da felicidade, relacionando-o ao trauma do nascimento, e estabeleceu diferenças cabais entre desejo e excitação.

Adepto do pensamento livre, Gikovate nunca se filiou a nenhuma das tradicionais correntes da psicologia. O modo peculiar de conduzir seu trabalho e a originalidade de suas reflexões atingem milhares de pessoas, seja pela leitura de seus livros, que já venderam mais de 1 milhão de exemplares, seja pelo incalculável alcance do rádio em seu programa semanal, seja pelo atendimento em consultório, onde já passaram mais de 10 mil pacientes, seja pelas redes sociais, com números crescentes de seguidores. Em Gikovate além do divã – Autobiografia, Gikovate se abre para contar essa trajetória e revela, com sinceridade e emoção, como a influência familiar, a formação acadêmica, a vivência em consultório e a análise acurada do meio social contribuíram para construir seu modo de atuar.

O objetivo da autobiografia, segundo ele, é deixar registradas as etapas que foram essenciais para a elaboração dos seus métodos de trabalho e de sua produção intelectual.  “Penso que fui capaz de elaborar um guia útil para aqueles que desejam entender como a experiência clínica, as mudanças ocorridas em nossa cultura ao longo dos últimos 50 anos e também as vivências pessoais se mesclaram e formaram o substrato das reflexões originais que fiz sobre sexo, amor, moral e felicidade – e sobre o medo dela.”

Sem histórias picantes e detalhes de bastidores, Gikovate escreveu sobre a vida pessoal apenas o que era indispensável para explicar certos aspectos do modo como se encaminhou sua trajetória como psicoterapeuta. A medicina entrou em sua vida desde muito cedo. Filho de um médico e intelectual respeitado, influente também no meio político, ele nutriu grande admiração pela determinação e inteligência do pai. Mas foi a severa doença psiquiátrica da mãe, que se manifestou pela primeira vez quando ele tinha 6 anos de idade, que selou sua escolha pela medicina e, posteriormente, pela psiquiatria.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1423/Gikovate+al%C3%A9m+do+div%C3%A3

Gikovate alem do diva

 

 

 

ÊNIO BRITO PINTO AUTOGRAFA NO INSTITUTO GESTALT DE SÃO PAULO, EM SÃO PAULO

A Summus Editorial e o Instituto Gestalt de São Paulo (IGSP) promovem no dia 23 de maio, sábado, das 17h às 20h, o lançamento do livro Elementos para uma compreensão diagnóstica em psicoterapia – O ciclo de contato e os modos de ser. O psicoterapeuta Ênio Brito Pinto, autor da obra, receberá amigos e convidados no instituto, que fica na Rua Ferreira Araújo, 652 – Pinheiros, São Paulo. Na mesma noite, ele também lança Orientação sexual, da Ideias e Letras.

11010Um dos fundamentos da psicoterapia, a compreensão diagnóstica é uma das atividades mais importantes e complexas desempenhadas pelos profissionais no processo terapêutico em todas as abordagens. Esse é o foco do livro Elementos para uma compreensão diagnóstica em psicoterapia. Partindo desse pressuposto, Ênio utiliza o ciclo de contato, adaptado do modelo proposto por Jorge Ponciano Ribeiro, para distinguir oito estilos de personalidade: o dessensibilizado, o defletor, o introjetor, o projetor, o profletor, o retrofletor, o egotista e o confluente.

“O conhecimento do estilo dos clientes facilita a descoberta do melhor caminho para que a terapia lhes seja útil”, afirma o psicoterapeuta. Única na Gestalt-terapia mundial, a obra inova ao trazer uma importante ferramenta para o trabalho psicoterapêutico em diversas abordagens. Em linguagem simples, o autor trata de um aspecto ainda pouco explorado na Gestalt-terapia e se fundamenta na ideia de que um bom diagnóstico é a melhor maneira de se começar a realçar a singularidade de cada cliente, início do processo de ajudá-lo a se apossar dessa singularidade e desenvolvê-la ao máximo a cada momento da vida.

Inspirado nas palavras de Frederick Perls, o autor faz uma ampliação do modo de se utilizar a compreensão diagnóstica em psicoterapia e propõe o uso do ciclo de contato como um fundamento para a construção de um referencial tipológico. “O conhecimento do próprio estilo por parte do terapeuta facilita o abrandamento das próprias cristalizações e das cristalizações dos clientes, de maneira que a pessoa possa, mais e mais, reagir a cada situação, abdicando da repetição compulsória de vivências e comportamentos”, explica o psicoterapeuta.

“Não se trata de uma continuação do trabalho de Perls, embora todo o meu modo de pensar esteja em grande parte sustentado nos trabalhos e nas ousadas ideias dele e daqueles que o ajudaram a iniciar a abordagem gestáltica em psicologia”, revela o autor. Fundamentado em algumas ideias de Perls, Ênio vem desenvolvendo um caminho próprio com o intuito de contribuir para o desenvolvimento da abordagem.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1412/Elementos+para+uma+compreens%C3%A3o+diagn%C3%B3stica+em+psicoterapia

Convite Elementos_para_uma_compreensão_e_Orientação_sexual

MARIA TERESA MANTOAN E ULISSES ARAÚJO AUTOGRAFRAM LIVROS DA COLEÇÃO NOVAS ARQUITETURAS PEDAGÓGICAS, EM SÃO PAULO

A Summus Editorial e a Livraria da Vila (Vila Madalena-SP) promovem no dia 31 de março, terça-feira, o lançamento de dois livros da Coleção Novas Arquiteturas Pedagógicas: Inclusão escolar – O que é? Por quê? Como fazer? e Autogestão na sala de aula – As assembleias escolares . Das 19h às 20h, os autores Maria Teresa Eglér Mantoan (Inclusão escolar) e Ulisses F. Araújo (Autogestão na sala de aula) fazem uma apresentação sobre as obras no auditório da livraria. A partir de 20h, haverá a sessão de autógrafos. A livraria fica na Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena, São Paulo.

Em Inclusão escolar, Maria Teresa explica, de maneira clara e didática, o que é educação inclusiva, discute os passos necessários para implantá-la e ressalta suas vantagens – tanto para as pessoas com qualquer tipo de deficiência como para os alunos que não as têm.

Uma das maiores especialistas em inclusão escolar no país, a pedagoga propõe um deslocamento da visão educacional que se sente ameaçada pela inclusão para uma perspectiva que se abre para outras formas de ensinar e avaliar a aprendizagem. Conhecendo o potencial teórico da educação inclusiva e sua implicação no campo da mobilização social, ela mostra a importância da análise do contexto escolar, para entender as dificuldades de atender a estudantes com deficiência e outros e apontar o propósito da inclusão como objetivo primordial dos sistemas de ensino.

Já o livro Autogestão na sala de aula oferece um guia prático para implantar as assembleias escolares, incluindo os passos a ser seguidos na promoção das assembleias de classe, de escola, de docentes e dos fóruns escolares. Também dá voz aos sujeitos que já vivenciaram esse formato de autogestão, mostrando as mudanças vividas nas relações escolares e sua contribuição para a ética e a cidadania. 

“Aprender a dialogar, a construir coletivamente as regras de convívio e a fortalecer o protagonismo das pessoas e dos grupos sociais é um papel que a escola pode, e deve, exercer na luta pela transformação da sociedade”, afirma Araújo. Em sua avaliação, construir novos alicerces culturais, que tenham como sustentáculos a igualdade, a equidade, a solidariedade e o dialogo, permitirá que, no futuro, a maioria da população perceba que a justiça social somente será alcançada com a democracia.

Para saber mais sobre os livros d coleção Novas Arquiteturas Pedagógicas, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/colecao/Novas%20Arquiteturas%20Pedag%C3%B3gicas

 Inclusao escolar_Autogestao na sala de aula

 

FERRARETTO LANÇA “RÁDIO – TEORIA E PRÁTICA” NO II SIMPÓSIO NACIONAL DO RÁDIO, EM PORTO ALEGRE

Na nossa página do Facebook, você confere as fotos da sessão de autógrafos do autor, durante o evento. Basta acessar abaixo.

ESPECIALISTAS DEBATEM TEMA DO LIVRO “RELAÇÕES PÚBLICAS, MERCADO E REDES SOCIAIS”

A Associação Brasileira de Relações Públicas (ABRP-SP) e a Summus Editorial promovem no dia 13 de novembro, quinta-feira, das 19h15 às 20h15, um debate sobre o tema do livro Relações públicas, mercado e redes sociais, da Summus Editorial. O autor do livro, o pesquisador Rafael Vergili, e o professor Luiz Alberto de Farias, que também é autor da Summus, discutem, mediados por Dayane Azeredo, diretora da ABRP-SP, os possíveis caminhos para ampliar a participação do profissional de RP no mercado de comunicação digital. O debate, seguido de sessão de autógrafos, acontece no auditório da Livraria Martins Fontes, Av. Paulista, 509 – São Paulo, próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Infromações e inscriçoes: http://bit.ly/rpmercadoers, email abrpsaopaulo@gmail.com ou twitter @abrpsp

Hoje, as redes sociais constituem um ambiente de grande exposição – tanto positiva quanto negativa – para as empresas. Quando se trata de imagem institucional, como utilizar o poder da rede para atingir o público? O profissional de relações públicas está capacitado para esse trabalho? Que tipo de conhecimentos ele deve ter para atuar na web? No livro,Vergili responde essas e muitas outras perguntas.

Por meio de uma pesquisa com 128 empresas e entrevistas realizadas nas principais agências de comunicação do Brasil, Vergili constatou que 78,1% das grandes companhias priorizam o relacionamento com os públicos nas redes sociais e querem aprimorar esse contato. Paradoxalmente, o profissional de RP, que seria formado para promover esse diálogo, não está inserido adequadamente nesse nicho de mercado. Segundo ele, apenas 12,5% dos respondentes são estudantes de Relações Públicas ou graduados na área.

O trabalho contemplou apenas empresas de grande porte e revelou também que 42,1% das organizações optam por deixar a articulação de redes sociais a cargo da área de comunicação. Na sequência, aparece o núcleo de marketing, com 32,5%. A presença de um departamento especifico, focado apenas na web, é a terceira mais utilizada, com 18,3%. Articulações informais por parte dos colaboradores chegam a 7,1%.

“Diante desse cenário, o temor, por parte das organizações, de receber opiniões negativas e possivelmente de sofrer prejuízos à reputação corporativa tende a aumentar, devido sobretudo ao foco mercadológico e a ausência de capacitação para relacionamentos no uso das redes”, afirma o autor. Segundo ele, esse é um desafio com o qual o profissional de relações públicas precisará lidar no processo de demonstração de sua importância no relacionamento com os públicos, por meio de redes sociais, tendo como base o diálogo.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/9788532309471

Relações públicas, mercado e redes sociais

 

 

ALEX MOLETTA LANÇA “FAZENDO CINEMA NA ESCOLA” NO FESTIVAL DE CINEMA DE ANÁPOLIS, EM GOIÁS

10933O livro Fazendo cinema na escola – A arte audiovisual dentro e fora da sala de aula, do roteirista e realizador de curtas, Alex Moletta, é um material indispensável para estudantes e professores interessados em realizar produções audiovisuais. O lançamento desse guia completo para quem quer produzir um curta-metragem e não dispõe de muito dinheiro para investir está na programação do 4º Anápolis Festival de Cinema. O evento acontece no dia 22 de maio, no saguão do Teatro Municipal, a partir das 18h.

Para saber mais sobre o festival, acesse: http://anapolisfestivaldecinema.com.br/2014/pagina/o-festival

Para saber mais sobre o lançamento, acesse:
http://anapolisfestivaldecinema.com.br/2014/noticias/lancamento-do-livro-fazendo-cinema-na-escola-acontece-no-dia-22-de-maio