JOSÉ SERGIO CARVALHO AUTOGRAFA “POR UMA PEDAGOGIA DA DIGNIDADE” NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO, NA USP

A Summus Editorial e a Faculdade de Educação da USP (FEUSP) promovem no dia 31 de março, quinta-feira, das 19h às 22h, a noite de autógrafos do livro Por uma pedagogia da dignidade – Memórias e reflexões sobre a experiência escolar. O autor do livro, o professor José Sergio Carvalho, receberá amigos e convidados no auditório da Faculdade, que fica na Av. da Universidade, 308 – Bloco B – Térreo, Cidade Universitária, São Paulo.

Numa obra sensível e original, Carvalho lança um olhar diferente para imagem social da escola e aborda a singularidade da dimensão experiencial e existencial da instituição. Construído com base em suas experiências como aluno, professor e pai, o livro questiona alguns mitos dos discursos correntes sobre educação, aborda as relações entre escola e família e mostra que a vida escolar é uma experiência que produz significados ao configurar identidades individuais e coletivas.

“Os textos que compõem a obra têm a pretensão de estabelecer um diálogo crítico com os efeitos dessa desconfiança generalizada que se abateu sobre a imagem da escola na sociedade contemporânea. Não no sentido de rejeitar liminarmente as teses que lhes deram origem, mas ao ressaltar um aspecto que nela costuma permanecer oculto: o fato de que a escola é um lugar de experiências. Nela adentramos cada vez mais cedo e permanecemos cada vez mais tempo: encontramos mestres e charlatões; fazemos amigos e inimigos; descobrimos objetos belos que nos comovem e travamos contato com aspectos trágicos de nossa condição e existência”, diz.

Na obra, há ocasiões em que os escritos trazem à tona os ecos distantes da voz do aluno; em outras, o clamor presente da voz do professor. Neles emergem ora as preocupações do pai, ora as inquietações do pesquisador, a indignação do cidadão e a esperança do militante. Em alguns trechos, seus objetos são recordações e observações do cotidiano escolar; em outros, a leitura de um romance, a síntese de uma investigação teórica ou a interpretação de uma obra cinematográfica.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1435/Por+uma+pedagogia+da+dignidade

Por uma pedagogia da dignidade

GIKOVATE LANÇA AUTOBIOGRAFIA E COMEMORA 8 ANOS DO SEU PROGRAMA NA RÁDIO CBN

A MG Editores e a Livraria Cultura (Conjunto Nacional – São Paulo) promovem no dia 18 de agosto, o lançamento do livro Gikovate além do divã – Autobiografia. Das 18h às 19h15, haverá a gravação especial de No divã do Gikovate, da rádio CBN, em comemoração aos 8 anos do programa. Em seguida, a partir de 19h30, sessão de autógrafos no “Bico de madeira”, no piso do Teatro. A livraria fica na Av. Paulista, 2073 – São Paulo.

Nos anos 1970, no auge do lema “sexo, drogas e rock’n’roll”, Gikovate viveu sua primeira grande ruptura com o pensamento psicológico tradicional. Em um artigo para uma revista de grande circulação, ele separou sexo de amor. E disse mais: são impulsos instintivos autônomos e muitas vezes antagônicos. Foi também nessa época que ele falou pela primeira vez do medo da felicidade, relacionando-o ao trauma do nascimento, e estabeleceu diferenças cabais entre desejo e excitação.

Adepto do pensamento livre, Gikovate nunca se filiou a nenhuma das tradicionais correntes da psicologia. O modo peculiar de conduzir seu trabalho e a originalidade de suas reflexões atingem milhares de pessoas, seja pela leitura de seus livros, que já venderam mais de 1 milhão de exemplares, seja pelo incalculável alcance do rádio em seu programa semanal, seja pelo atendimento em consultório, onde já passaram mais de 10 mil pacientes, seja pelas redes sociais, com números crescentes de seguidores. Em Gikovate além do divã – Autobiografia, Gikovate se abre para contar essa trajetória e revela, com sinceridade e emoção, como a influência familiar, a formação acadêmica, a vivência em consultório e a análise acurada do meio social contribuíram para construir seu modo de atuar.

O objetivo da autobiografia, segundo ele, é deixar registradas as etapas que foram essenciais para a elaboração dos seus métodos de trabalho e de sua produção intelectual.  “Penso que fui capaz de elaborar um guia útil para aqueles que desejam entender como a experiência clínica, as mudanças ocorridas em nossa cultura ao longo dos últimos 50 anos e também as vivências pessoais se mesclaram e formaram o substrato das reflexões originais que fiz sobre sexo, amor, moral e felicidade – e sobre o medo dela.”

Sem histórias picantes e detalhes de bastidores, Gikovate escreveu sobre a vida pessoal apenas o que era indispensável para explicar certos aspectos do modo como se encaminhou sua trajetória como psicoterapeuta. A medicina entrou em sua vida desde muito cedo. Filho de um médico e intelectual respeitado, influente também no meio político, ele nutriu grande admiração pela determinação e inteligência do pai. Mas foi a severa doença psiquiátrica da mãe, que se manifestou pela primeira vez quando ele tinha 6 anos de idade, que selou sua escolha pela medicina e, posteriormente, pela psiquiatria.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1423/Gikovate+al%C3%A9m+do+div%C3%A3

Gikovate alem do diva

 

 

 

MARIA TERESA MANTOAN E ULISSES ARAÚJO AUTOGRAFRAM LIVROS DA COLEÇÃO NOVAS ARQUITETURAS PEDAGÓGICAS, EM SÃO PAULO

A Summus Editorial e a Livraria da Vila (Vila Madalena-SP) promovem no dia 31 de março, terça-feira, o lançamento de dois livros da Coleção Novas Arquiteturas Pedagógicas: Inclusão escolar – O que é? Por quê? Como fazer? e Autogestão na sala de aula – As assembleias escolares . Das 19h às 20h, os autores Maria Teresa Eglér Mantoan (Inclusão escolar) e Ulisses F. Araújo (Autogestão na sala de aula) fazem uma apresentação sobre as obras no auditório da livraria. A partir de 20h, haverá a sessão de autógrafos. A livraria fica na Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena, São Paulo.

Em Inclusão escolar, Maria Teresa explica, de maneira clara e didática, o que é educação inclusiva, discute os passos necessários para implantá-la e ressalta suas vantagens – tanto para as pessoas com qualquer tipo de deficiência como para os alunos que não as têm.

Uma das maiores especialistas em inclusão escolar no país, a pedagoga propõe um deslocamento da visão educacional que se sente ameaçada pela inclusão para uma perspectiva que se abre para outras formas de ensinar e avaliar a aprendizagem. Conhecendo o potencial teórico da educação inclusiva e sua implicação no campo da mobilização social, ela mostra a importância da análise do contexto escolar, para entender as dificuldades de atender a estudantes com deficiência e outros e apontar o propósito da inclusão como objetivo primordial dos sistemas de ensino.

Já o livro Autogestão na sala de aula oferece um guia prático para implantar as assembleias escolares, incluindo os passos a ser seguidos na promoção das assembleias de classe, de escola, de docentes e dos fóruns escolares. Também dá voz aos sujeitos que já vivenciaram esse formato de autogestão, mostrando as mudanças vividas nas relações escolares e sua contribuição para a ética e a cidadania. 

“Aprender a dialogar, a construir coletivamente as regras de convívio e a fortalecer o protagonismo das pessoas e dos grupos sociais é um papel que a escola pode, e deve, exercer na luta pela transformação da sociedade”, afirma Araújo. Em sua avaliação, construir novos alicerces culturais, que tenham como sustentáculos a igualdade, a equidade, a solidariedade e o dialogo, permitirá que, no futuro, a maioria da população perceba que a justiça social somente será alcançada com a democracia.

Para saber mais sobre os livros d coleção Novas Arquiteturas Pedagógicas, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/colecao/Novas%20Arquiteturas%20Pedag%C3%B3gicas

 Inclusao escolar_Autogestao na sala de aula

 

AUTORES DAS COLEÇÕES PONTOS E CONTRAPONTOS E NOVAS ARQUITETURAS PEDAGÓGICAS AUTOGRAFAM NA LIVRARIA MARTINS FONTES, EM SÃO PAULO

A Livraria Martins Fontes (Av. Paulista-SP) e a Summus Editorial promovem no dia 30 de outubro, quinta-feira, o lançamento dos livros Ensino de matemática: pontos e contrapontos e Temas transversais, pedagogia de projetos e mudanças na educação. Das 19h às 20h, haverá uma apresentação das obras no auditório da livraria. Na sequência, acontece no térreo a sessão de autógrafos com a presença dos autores e organizadores, com encerramento às 21h30. A livraria fica na Av. Paulista, 509, São Paulo, próximo à estação Brigadeiro do metrô.

10953Ampliar e aprofundar a análise sobre a teoria e a prática do ensino da matemática, bem como suas dificuldades. Esse é o objetivo do livro Ensino de matemática: pontos e contrapontos. Além de apresentar diferentes e relevantes aspectos do ensino da matemática, o 11º volume da coleção Pontos e Contrapontos aborda tanto questões históricas quanto epistemológicas, sociais e políticas desse campo específico do conhecimento que tem impacto em todos os demais. Os professores Nílson José Machado e Ubiratan D’Ambrosio, mediados pela organizadora da coleção, Valeria Amorim Arantes, estabelecem um debate acadêmico em que analisam com profundidade questões cruciais e polêmicas relacionadas ao ensino da matemática.

10958Já o livro Temas transversais, pedagogia de projetos e mudanças na educação, segundo volume da coleção Novas Arquiteturas Pedagógicas, traz um profundo debate do professor Ulisses F. Araújo sobre os chamados temas transversais, articulados com a pedagogia de projetos e os princípios de interdisciplinaridade. Segundo ele, juntos, esses três elementos, podem apontar caminhos inovadores para a educação formal e uma ressignificação da prática docente. Nas últimas décadas, a sociedade vem passando por mudanças que impactam a sala de aula, o currículo das escolas e os próprios objetivos da educação. Para continuar ocupando o papel de destaque que a sociedade lhe destinou, a escola precisa inovar os conteúdos sem abrir mão dos saberes adquiridos ao longo dos séculos. O desafio é criar um modelo inclusivo e democrático.

 

Convite Ensino de matemática e Temas transversais