JOVEM PAN ENTREVISTA AUTOR DO LIVRO NÃO MINTA PRA MIM!

O grafólogo Paulo Sergio de Camargo participa do programa Rádio ao Vivo, da Jovem Pan, na segunda-feira, 3 de dezembro, às 20h. Ele conversa com os ouvintes sobre o livro Não minta pra mim!, que acaba de ser lançado pela Summus Editorial. Acompanhe a entrevista na frequência AM 620 em São Paulo, na rede afiliada espalhada pelo Brasil ou ainda pelo site WWW.jovempan.com.br

Especialista em grafologia e linguagem corporal, Camargo mergulhou no tema com o objetivo de revelar ao leitor um meio prático de reconhecer as mentiras, lidar com os mentirosos e evitar as armadilhas que as mentiras impõem em diversos contextos: em casa, na escola, no ambiente de trabalho, na política. “Temos a equivocada propensão a acreditar que somos capazes de identificar mentiras com certa facilidade. Não é bem assim. Após anos de estudos e pesquisas, sei que devemos ter cautela ao tentar reconhecer alguém com capacidade e habilidade cognitivas para enganar quem quer que seja”, afirma.

De acordo com Camargo, não somos um país singular quando o assunto é mentira, mas há muitas diferenças em relação a outras culturas. “Talvez a leniência com que tratamos as mais descaradas mentiras seja nossa característica mais marcante”, diz o especialista. Fruto de mais de 15 anos de pesquisa, ele destaca a realidade nacional em relação ao assunto e aborda os principais sinais da linguagem corporal dos mentirosos.

Da falsa informação acrescentada no currículo às falácias dos políticos, do conto do vigário ao autoengano, o livro apresenta os mais diversos tipos de mentira. “Pequenas mentiras, mentiras brancas, mentiras inocentes – ou qualquer que seja o nome dado a elas – vão minar a confiança de alguém ao longo do tempo”, esclarece o especialista. Segundo ele, a maioria das pessoas está acostumada a avaliar os benefícios que as mentiras nos trazem e não os danos e os prejuízos que acarretam aos demais. De acordo com estudos, escutamos, em média, 210 mentiras por dia.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1323/NÃO+MINTA+PRA+MIM!+PSICOLOGIA+DA+MENTIRA+E+LINGUAGEM+CORPORAL

 

ESTADÃO DESTACA O LIVRO “MEDICINA INTEGRATIVA”

O blog da jornalista Simone Iwasso, publicado no Estadão.com, deu destaque para o livro Medicina integrativa – A cura pelo equilíbrio (MG Editores), do médico Paulo de Tarso Lima. Em artigo, com entrevista do autor, ela afirma que a comunidade médica já começa a perceber a necessidade de atender o paciente de forma integral. Leia o artigo na íntegra: http://goo.gl/h6DvJ

Praticada em grandes hospitais e universidades, a medicina integrativa está em ascensão em todo o mundo ocidental. Trata-se de uma abordagem médica orientada para a cura do paciente como um todo, visando saúde, qualidade de vida e autocuidado. O objetivo não é apenas curar o paciente, mas estimulá-lo a melhorar seus hábitos e a ter papel ativo em sua recuperação. Partindo da história de vida, dos hábitos e da análise meticulosa da saúde daquele indivíduo específico, o médico que adota a abordagem integrativa propõe o plano mais adequado para ele – sempre tomando por base uma visão ampla de saúde e cura.

Pioneiro no mercado editorial brasileiro, o livro mostra que, apesar dos fabulosos avanços dos últimos cem anos, a medicina convencional ainda não consegue tratar a doença e, ao mesmo tempo, prevenir seu surgimento. “É para equilibrar essa situação que surge a medicina integrativa, que se pauta pela união dos avanços científicos com as terapias e práticas complementares cujas evidências comprovem sua segurança e eficácia”, afirma o médico.

Assista o vídeo:

No livro, o autor aborda os conceitos que norteiam a prática e oferece dicas que podem ser adotadas e seguidas em qualquer momento do dia. São exercícios de relaxamento para a consciência corporal e para o cultivo da atenção plena; apresentação de uma pirâmide alimentar anti-inflamatória; demonstração de como montar um prato colorido e rico em nutrientes; informações sobre a relação entre alimentação e câncer; comparação entre alimentos orgânicos e não orgânicos; e sugestões para diminuir o nível de estresse. A mudança na dieta, a recomendação de atividades físicas, redução de estresse, terapias de corpo e mente ou uso de técnicas da medicina tradicional chinesa são diretrizes da medicina integrativa.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1193/Medicina+integrativa

VEJA ENTREVISTA DO PSICÓLOGO ILAN SEGRE PARA A GLOBO NEWS

O psicólogo Ilan Segre concedeu entrevista nesta quarta-feira, dia 28 de novembro, para o Jornal Globo News. Ele comentou dados de uma pesquisa americana que mostra que 60% dos entrevistados têm cinco ou mais senhas para lembrar e 30% têm dez senhas para guardar na memória. De acordo com a pesquisa, muita gente fica estressada ao lidar com tantas senhas. Veja o vídeo: http://goo.gl/kkd3W

Psicólogo formado pela Universidade de São Paulo, Segre lançou recentemente o livro Terapia integrativa – Ioga, naturopatia, psicologia e ayurveda, pela Editora Ágora. Com um discurso crítico sobre alimentação, muitas vezes combinada com o uso excessivo de remédios, ele parte da própria história para explicar por que adoecemos. Com base em sua experiência e aliando o amplo conhecimento em ioga, naturopatia e ayurveda à sua formação, ele apresenta soluções naturais para atingir o equilíbrio físico e mental e mostra a aplicação da abordagem integrada em casos práticos atendidos na Índia.

Segure pratica ioga desde 2004 e leciona desde 2007. Formou-se no Brasil em 2008, pelo Movimento Internacional de Yoga e Ayurveda. Especializou-se na Austrália e em três viagens consecutivas para a Índia. Na última, que durou dois anos, concluiu sua pós-graduação em iogaterapia e naturopatia. Fez toda sua formação com médicos indianos. Apresentou sua dissertação sobre psicossomática e ioga no Nisargopchar Ashram, fundado por Gandhi em Puna. Estagiou em vários hospitais indianos, onde também lecionou.  É formado em técnicas de massagem tailandesa e ayurvédica. Atualmente, atende em consultório, fundindo psicoterapia a técnicas de ioga, massagem e correção de alimentação.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro//TERAPIA+INTEGRATIVA

 

CORREIO BRAZILIENSE SUGERE A LEITURA DOS LIVROS “MULHERES NEGRAS NO BRASIL” E “CECAN”

O jornal Correio Braziliense publicou no domingo, dia 25 de novembro, ampla reportagem sobre a militância do movimento negro em Brasília. A matéria, intitulada “Batalhas fragmentadas”, destaca questões históricas da luta contra o racismo. Ao final da reportagem, o jornalista sugere a leitura de dois livros da Selo Negro Edições: Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação e Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan. Clique no link para ler: http://goo.gl/m9Dk6

O livro Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação, lançado recentemente pela Selo Negro, reúne artigos de 20 importantes especialistas na temática, cobrindo o Brasil de norte a sul em termos teóricos e no uso de fontes diversas. A coletânea passeia por cidades, plantations e áreas de mineração nos séculos XVIII, XIX e primeiras décadas do século XX. “São textos de pesquisa que dão conta não só de cidades, engenhos, fábricas, mansões, mas que fundamentalmente reconstroem cenários e desenham paisagens revelando sombras, suspiros e formas de vida, do corpo, da mente e da alma das mulheres na escravidão e nas primeiras décadas do pós-emancipação”, afirmam os organizadores da obra Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes.

Já o livro Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan, nono volume da Coleção Retratos do Brasil Negro, apresenta pela primeira vez a biografia de uma entidade. A história do Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan, que atuou na capital de São Paulo na década de 1970, foi marcada por um ideal: reforçar a importância da consciência étnica. Na obra, a mestre em ciências sociais, Joana Maria Ferreira da Silva, analisa a trajetória da organização que foi uma das primeiras entidades negras a trabalhar a ideia da negritude. 

Para saber mais sobre os livros, clique nas capas acima.

LIVRO MULHERES NEGRAS NO BRASIL ESCRAVISTA E DO PÓS-EMANCIPAÇÃO É LANÇADO EM SALVADOR

A Selo Negro Edições e a Livraria LDM (Salvador) promovem na sexta-feira, dia 30 de novembro, das 18h às 21h, a noite de autógrafos do livro Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação. Com pesquisas originais, que esmiúçam fontes e privilegiam as biografias, a obra, organizada pelos historiadores Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes, oferece um quadro amplo e fascinante das experiências das mulheres negras, primeiras agentes da emancipação da comunidade de africanos e de seus descendentes na diáspora. A livraria fica no Espaço Itaú de Cinema, na Praça Castro Alvez, s/n – Centro, Salvador –BA.

A obra reúne artigos de 20 importantes especialistas na temática, cobrindo o Brasil de norte a sul em termos teóricos e no uso de fontes diversas. A coletânea passeia por cidades, plantations e áreas de mineração nos séculos XVIII, XIX e primeiras décadas do século XX. “São textos de pesquisa que dão conta não só de cidades, engenhos, fábricas, mansões, mas que fundamentalmente reconstroem cenários e desenham paisagens revelando sombras, suspiros e formas de vida, do corpo, da mente e da alma das mulheres na escravidão e nas primeiras décadas do pós-emancipação”, afirmam os organizadores. Além dos organizadores, assinam os textos Adriana Dantas Reis, Antônio Liberac Cardoso Simões Pires, Camillia Cowling, Eduardo França Paiva, Flavia Fernandes de Souza, Isabel Cristina Ferreira dos Reis, Luciano Figueiredo, Marcelo Paixão, Maria Cristina Cortez Wissenbach, Maria Helena P. T. Machado, Mary Karasch, Paulo Roberto Staudt Moreira, Petrônio Domingues, Sandra Lauderdale Graham, Sandra Sofia Machado Koutsoukos, Solange P. Rocha, Valéria Gomes Costa.

A principal proposta do livro, segundo os historiadores, foi não somente caminhar a partir das mulheres, mas com elas e por meio delas. Por conta disso, os textos tiveram como centro da análise os percursos de pequenas biografias, em uma diversidade territorial que abrange grandes cidades escravistas, destacando principalmente os Estados de Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Goiás, Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

Referências nos estudos de gênero, escravidão e pós-emancipação não só no Brasil como nas Américas, os autores apresentam textos com uma narrativa diferenciada da abordagem acadêmica tradicional.  A qualidade dos artigos e a originalidade da temática somam-se à diversidade de fontes documentais utilizadas nas pesquisas. Processos, jornais, literatura, inventários, músicas, poesias, registros de óbito, de batismo, iconografia etc. foram fartamente explorados para apresentar um panorama amplo da história da mulher negra, contemplando sua presença e participação em diferentes partes do país.

Para saber mais sobre o livro, acessse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1322/MULHERES+NEGRAS+NO+BRASIL+ESCRAVISTA+E+DO+PÓS-EMANCIPAÇÃO

 

AUTORAS DO LIVRO FONOAUDIOLOGIA EM CONTEXTOS GRUPAIS AUTOGRAFAM EM CURITIBA

A Plexus Editora e as Livrarias Curitiba promovem no dia 29 de novembro, quinta-feira, das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro Fonoaudiologia em contextos grupais. A obra, organizada pelas fonoaudiólogas Ana Paula Berberian e Ana Paula Santana, contribui para a sistematização consistente e fundamentada de abordagens grupais fonoaudiológicas em diferentes contextos. A livraria fica no Shopping Barigui (Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 600 – Lj.T17,   Barigui, Curitiba).

A obra reúne estudos e experiências de vários autores, abrangendo diversas facetas da profissão – do atendimento a crianças com dificuldades de linguagem à intervenção com idosos.

Dividido em onze capítulos, o livro revela que o trabalho com grupos tem se mostrado um importante dispositivo para a concretização dos propósitos da fonoaudiologia nos seus diversos espaços de atuação. “Pretendemos oferecer elementos que permitam compreender aspectos atrelados ao uso limitado do atendimento e também contribuam para a sistematização de abordagens grupais fonoaudiológicas que incidam sobre diferentes aspectos, grupos sociais e contextos institucionais”, afirmam as organizadoras.

Ao longo da obra, os autores abordam várias propostas de intervenção grupal, assentadas em distintos pressupostos teóricos. São reflexões e intervenções que focalizam terapeuticamente desde o atraso na aquisição e no desenvolvimento da linguagem oral, as dificuldades linguísticas impostas pela surdez, as dificuldades de leitura e escrita de adolescentes, as alterações de motricidade orofacial, as alterações vocais e as disfagias decorrentes de patologias neurológicas até a linguagem de idosos e a intervenção com familiares e trabalhadores.

Na avaliação das organizadoras, a divulgação, o debate e o aprofundamento das práticas fonoaudiológicas grupais que vêm sendo desenvolvidas são uma precondição para suprir uma lacuna de formação e de atuação dos profissionais da área, em especial os que trabalham em instituições de saúde e educação. “A constituição de grupos em torno de interesses, propostas e objetivos comuns potencializa a realização de projetos que, se individualmente são difíceis ou impossíveis de ser efetivados, tornam-se uma realidade em grupo”, complementam as organizadoras.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1319/Fonoaudiologia+em+contextos+grupais

 

ELIZABETH MONTEIRO PARTICIPA DO QUADRO DIVÃ DO FAUSTÃO

A psicoterapeuta Elizabeth Monteiro, autora do livro A culpa é da mãe (Summus Editorial), esteve novamente à frente do quadro Divã do Faustão, comentando questões comportamentais. A participação foi no último dia 25/11, no programa Domingão do Faustão (TV Globo).

Para assistir a primeira parte do quadro, clique na imagem abaixo ou acesse http://tvg.globo.com/programas/domingao-do-faustao/videos/t/programa/v/deborah-secco-solta-o-verbo-no-diva-do-faustao/2260757/

Para assistir a segunda parte, acesse http://tvg.globo.com/programas/domingao-do-faustao/videos/t/programa/v/diva-do-faustao-deborah-secco-analisa-as-situacoes-do-quadro/2260762/

Nascida em 1949, Elizabeth iniciou sua carreira lecionando para crianças do ensino fundamental. Pedagoga, especializou-se em Psicopedagogia, tendo em seguida se formado psicóloga. Ao mesmo tempo que estudava e trabalhava, cuidava da família. Casada há quarenta anos com seu primeiro namorado, tem quatro filhos e, até agora, quatro netos.

Atriz e modelo nas horas vagas, trabalha em seu consultório particular, na cidade de São Paulo, atendendo crianças, adolescentes e adultos. Além do livro A culpa é da mãe, é autora de Criando filhos em tempos difíceis – Atitudes e brincadeiras para uma infância feliz (que será relançado em breve pela Summus) e de Criando adolescentes em tempos difíceis (Summus, 2009). Betty se define assim: “Não gosto de seguir ordens e muito menos de rotina. A maturidade que conquistei me autoriza a ser quem sou. Não tenho nada a temer e nem a esconder de mim”.

Para saber mais sobre os livros da autora, clique nas capas acima.

O GLOBO DESTACA O LANÇAMENTO DO LIVRO MULHERES NEGRAS NO BRASIL

 

O jornal O Globo deu destaque para o lançamento do livro Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (Selo Negro Edições). A noite de autógrafos acontece na Folha Seca Livraria, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira, dia 21 de novembro, a partir das 19h. Veja o link: http://goo.gl/SZtxy

Com pesquisas originais, que esmiúçam fontes e privilegiam as biografias, a obra, organizada pelos historiadores Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes, oferece um quadro amplo e fascinante das experiências das mulheres negras, primeiras agentes da emancipação da comunidade de africanos e de seus descendentes na diáspora. A livraria fica na Rua do Ouvidor, 37 – Centro, RJ (entre a rua 1º de março e a Travessa do Comércio). 

A obra reúne artigos de 20 importantes especialistas na temática, cobrindo o Brasil de norte a sul em termos teóricos e no uso de fontes diversas. A coletânea passeia por cidades, plantations e áreas de mineração nos séculos XVIII, XIX e primeiras décadas do século XX. “São textos de pesquisa que dão conta não só de cidades, engenhos, fábricas, mansões, mas que fundamentalmente reconstroem cenários e desenham paisagens revelando sombras, suspiros e formas de vida, do corpo, da mente e da alma das mulheres na escravidão e nas primeiras décadas do pós-emancipação”, afirmam os organizadores. 

Além dos organizadores, assinam os textos Adriana Dantas Reis, Antônio Liberac Cardoso Simões Pires, Camillia Cowling, Eduardo França Paiva, Flavia Fernandes de Souza, Isabel Cristina Ferreira dos Reis, Luciano Figueiredo, Marcelo Paixão, Maria Cristina Cortez Wissenbach, Maria Helena P. T. Machado, Mary Karasch, Paulo Roberto Staudt Moreira, Petrônio Domingues, Sandra Lauderdale Graham, Sandra Sofia Machado Koutsoukos, Solange P. Rocha, Valéria Gomes Costa. 

A principal proposta do livro, segundo os historiadores, foi não somente caminhar a partir das mulheres, mas com elas e por meio delas. Por conta disso, os textos tiveram como centro da análise os percursos de pequenas biografias, em uma diversidade territorial que abrange grandes cidades escravistas, destacando principalmente os Estados de Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Goiás, Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. 

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1322/MULHERES+NEGRAS+NO+BRASIL+ESCRAVISTA+E+DO+PÓS-EMANCIPAÇÃO

AUTORAS DE O FEMININO E O SAGRADO DÃO ENTREVISTA À TEDxVILAMADÁ

Assista à entrevista de Cristina Balieiro e Beatriz Del Picchia, autoras de “O feminino e o sagrado”, com Mauricio Curi,  do grupo Educartis, organizador do TEDxVilaMadalena:

 

Para saber mais sobre o livro, clique aqui: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1208/Feminino+e+o+sagrado,+O

Saiba mais sobre o TED: http://www.ted.com/
Saiba mais sobre o TEDxVilaMadá: http://www.tedxvilamada.com.br/

ILAN SEGRE LANÇA O LIVRO TERAPIA INTEGRATIVA COM PALESTRA

A Editora Ágora e a Livraria da Vila (Vila Madalena-SP) promovem no dia 22 de novembro, quinta-feira, das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro Terapia integrativa – Ioga, naturopatia, psicologia e ayurveda, do psicólogo Ilan Segre. Às 19 horas, o autor fará uma palestra sobre o tema da obra no auditório. Com um discurso crítico sobre alimentação, muitas vezes combinada com o uso excessivo de remédios, Segre parte da própria história para explicar por que adoecemos. Aliando o amplo conhecimento em ioga, naturopatia e ayurveda à sua formação de psicólogo, ele mostra como a unificação da mente, do corpo, do movimento e da alimentação pode ajudar a estabelecer o bem-estar físico e mental. A livraria fica na Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena – SP e o lançamento acontece no piso térreo.

O ponto de partida da obra é a própria história do autor. Com um sistema imunológico fraco, Segre sofreu com broncoespasmos e passou boa parte da infância e da adolescência tomando antibióticos para combater recorrentes infecções. A partir dos 16 anos, começou a sofrer também com crises de enxaqueca, que o obrigavam a fazer uso constante de analgésicos. Sem encontrar respostas coerentes para as dúvidas em relação ao funcionamento do seu organismo e depois de tentar inúmeros tratamentos, decidiu descobrir como viviam nossos antepassados, sem toda a parafernália medicinal. E, assim, foi para a Índia.

Durante quase dois anos, Segre viveu num quarto pequeno, de apenas nove metros quadrados, sem televisão e sem banheiro. Ali, releu os textos antigos e conheceu as práticas naturopatas de origem alemã, envolvendo dietas e processos naturais para desintoxicação do corpo. Também aprendeu mais sobre a lógica da ayurveda que utiliza alimentos e ervas para prevenir e tratar doenças e intensificou a prática de ioga e de limpeza. Com todo esse aprendizado, a maior descoberta foi constatar que os sintomas de uma doença não aparecem por acaso.

“O que vemos por experiência é que as crianças vivem no consultório do pediatra com o nariz escorrendo, e terão inúmeras infecções respiratórias quando pequenas. Depois, na adolescência ou na idade adulta, vêm os problemas digestivos, enxaquecas, afecções de pele e afins. Em seguida, problemas de coração e de câncer e, por último, as doenças degenerativas. A questão é que aprendemos que tudo isso é natural e ninguém está a salvo. Será?”

Em 16 capítulos, Segre nos instiga a pensar sobre os motivos pelos quais adoecemos, apresenta soluções simples para problemas potencialmente complexos e mostra a aplicação prática dessa técnica, que busca tratar as pessoas de forma integral. Em muitas situações, ocorreu rápida melhora e os sintomas foram minimizados ou controlados.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1324/TERAPIA+INTEGRATIVA