SILVIA COLELLO APRESENTA SEU LIVRO “A ESCOLA QUE (NÃO) ENSINA A ESCREVER”

A fim de repensar as concepções acerca da língua, do ensino, da aprendizagem e das práticas pedagógicas, A escola que (não) ensina a escrever levanta diversos questionamentos sobre a alfabetização como é praticada hoje nas escolas. Depois de analisar diversas falhas didáticas e tendências pedagógicas viciadas, a autora oferece alternativas que subsidiem a construção de uma escola que efetivamente ensine a escrever.

Silvia Colello é formada em Pedagogia pela Faculdade de Educação da USP (Feusp), fez mestrado e doutorado nessa mesma instituição e nela atua como docente nos cursos de graduação e de pós-graduação. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Alfabetização e Letramento (Geal). Veja no vídeo a seguir o que ela diz sobre o assunto e a proposta de sua obra.

Para mais informações, acesse http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1313/Escola+que+(n%C3%A3o)+ensina+a+escrever,+A

3 ideias sobre “SILVIA COLELLO APRESENTA SEU LIVRO “A ESCOLA QUE (NÃO) ENSINA A ESCREVER”

  1. Prezada Silvia Colello
    Fui professora alfabetizadora durante muitos anos,depois professora de Português, Diretora de Escola e Supervisora de Ensino. Tive a oportunidade de passar pelas mudanças, a ocorrência do Ciclo Básico e da Progressão continuidade, o que me oferece condições de opinar , comparar e percebo, infelizmente, que o sistema confundiu ideologia construtivista com metodologia de ensino. Todos nós passamos pelo processo de construir o nosso aprendizado, o nosso conhecimento.Para isso utilizamos de várias ferramentas .Uma delas é a cartilha, que acredito muito importante no processo de alfabetização.Tenho muito a falar sobre a cartilha, mas não caberia aqui.Preciso de mais espaço para falar, para que todos entendam porque a cartilha é importante para a construção do conhecimento.Outro ponto importante é o fato de reter ou não o aluno.Acredito na retenção do aluno desde o 1o.ano, porque também faz parte do processo o aluno aprender a fazer avaliações e autoavaliações.

    • concordo plenamente contigo professora Silvia, a escola pública de hoje, realmente é a escola que literalmente, não ensina a ler, nem escrever, e principalmente, a desenvolver o raciocínio lógico- matemático, o espírito crítico, a criatividade, enfim, o prazer de aprender de seus educandos … Por esse motivo, me sinto muito indignada, e acho que essa ação, é um crime contra as crianças, que são vítimas, de professores mal formados, e que se prestam a ser massa de manobra, do sistema capitalista , opressor, alienante e marginal. E, que utilizam o Construtivismo como metodologia, descartando a cartilha, e toda a metodologia que realmente é eficaz, a favor da qualidade do ensino e do processo de Alfabetização e Letramento, e, que realmente, auxilia o aluno na construção do conhecimento.Sinto-me discriminada por meus colegas, por ter essa postura, e acreditar que a escola, pode e deve ser um espaço de alegria e construção do conhecimento, acreditando e investindo nas potencialidades de seus educandos, não atribuindo o fracasso aos alunos e às suas famílias.Sou professora da Escola Pública, adoro alfabetizar, porém, devido à problemas de saúde, encontro-me afastada da sala de aula.Mas, como professora alfabetizadora, atuei muitos anos nas séries iniciais, e com muito êxito, por esse motivo preocupo-me muito com essa realidade tão triste e assustadora…E reflito todos os dias, que futuros profissionais estamos formando?…Onde está a ética, o compromisso de nossos educadores? Qual será nossa contribuição para transformar esse quadro tão triste e tão grave da educação.Que institituição é essa ?…E, …está a favor de quem?… Por esse motivo, sou uma pesquisadora neste campo, e me interessei profundamente por sua obra, e concordo plenamente com suas idéias.Gostaria de parabenizá-la pela excelente iniciativa de editar essa obra tão nobre, que muito nos auxiliará, na reflexão e busca de solução, para esse entrave. Um abraço carinhoso…Elizabeth Mello

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*