‘COMO SEI SE A MINHA TRISTEZA É REALMENTE DEPRESSÃO?’

De Gabriela Ingrid, publicada no VivaBem em 22/05/2018.
……………………………………………..

“Suspeito que tenho depressão. Como é feito o diagnóstico da doença? Existem exames para isso?”

O diagnóstico da depressão é feito de maneira clínica, geralmente por meio de uma entrevista com um psiquiatra. O médico aplica um questionário com avaliação de diversos sinais e sintomas. A doença possui múltiplas formas de apresentação, mas um dos sintomas que todo paciente com o problema tem é a tristeza ou o desprazer com a vida.

Além de analisar os sentimentos e as emoções do paciente, o especialista avalia os sintomas físicos, como falta de energia, falta de apetite e falta de sono, e sintomas cognitivos, como falta de concentração e dificuldades com a memória.

Não há exames clínicos que confirmam ou detectam a depressão. O médico costuma pedir exames por outros motivos, já que outras doenças psiquiátricas e não psiquiátricas podem estar associadas à depressão, desencadeando-a ou perpetuando os sintomas depressivos, como o hipotireoidismo.

Apesar de o psiquiatra ser o especialista no assunto, o diagnóstico não é necessariamente feito por ele. A maioria dos casos é detectada pelo clínico geral ou pelo ginecologista, que acabam encaminhando o paciente para o psiquiatra. Muitas vezes a depressão ainda é identificada com o psicólogo, geralmente procurado com maior frequência, que também encaminha para o especialista. Se o indivíduo não tem acesso a um psiquiatra, um clínico geral também está habilitado para tratar inicialmente uma depressão.

Fontes: Antônio Geraldo da Silva, superintendente técnico e diretor tesoureiro da ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria), presidente eleito da APAL (Associação Psiquiátrica da América Latina); Fernando Fernandes, médico psiquiatra do Programa de Transtornos do Humor do IPq (Instituto de Psiquiatria) da USP, coordenador do programa de tratamento de depressão.
…………………………………………..

Para ler a matéria na íntegra, acesse: https://vivabem.uol.com.br/noticias/redacao/2018/05/22/como-e-feito-o-diagnostico-de-depressao.htm

***

Tem interesse pelo assunto? Conheça os livros:

 

A TRISTEZA PERDIDA
Como a psiquiatria transformou a depressão em moda
Autores: Jerome C. WakefieldAllan V. Horwitz
SUMMUS EDITORIAL

Nos últimos anos, a depressão se transformou no distúrbio mais tratado por psiquiatras. Ao mesmo tempo, o consumo de antidepressivos aumentou significativamente. Neste livro, Horvitz e Wakefield criticam tal postura, mostrando que a tristeza, comum a todo ser humano, vem sendo tratada como doença – e expondo as implicações dessa prática para a saúde.
………………

TRANSTORNOS DE ANSIEDADE, ESTRESSE E DEPRESSÕES
Conhecer e tratar
Autor: Breno Serson
MG EDITORES

Insônia, falta ou excesso de apetite, falta de ar, tonturas, medos, aperto no peito, pensamentos angustiantes. Esses e outros sintomas físicos e mentais podem indicar um transtorno de ansiedade ou depressão, que atinge cada vez mais nossa sociedade contemporânea. Este livro objetiva partilhar conhecimento, em linguagem simples, sobre os transtornos ansiosos e depressivos e os tipos de tratamento disponíveis, refletindo sobretudo sobre a integração de tratamentos convencionais e de medidas gerais benéficas.

DEPRESSÃO
Esclarecendo suas dúvidas
Autor: Sue Breton
EDITORA ÁGORA

A depressão cobre uma vasta gama de emoções, desde o abatimento por um episódio do cotidiano até o forte impulso suicida. Este guia mostra os diferentes tipos de depressão e explica os sentimentos que os caracterizam, para ajudar os familiares e os profissionais a entender a pessoa em depressão. Ensina também como ajudar a si mesmo e a outros depressivos.
………………

UNIVERSO DA DEPRESSÃO
Histórias e tratamentos pela psiquiatria e pelo psicodrama
Autora: Elisabeth Maria Sene- Costa

Este livro é o resultado de uma ousada proposta para obtenção do título de mestre em Ciências pela Faculdade de Medicina da USP. A autora, psicóloga, estudou com profundidade os aspectos fisiológicos e clínicos da depressão e em seguida desenvolveu um tratamento apoiado no psicodrama. Tese inovadora e muito bem embasada, útil para profissionais das áreas médica e psi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*