“DANÇA E EDUCAÇÃO”, LANÇAMENTO DA SUMMUS EDITORIAL

…………..Neste livro inspirador, Fernanda de Souza Almeida mostra as diferentes possibilidades para expandir o potencial do uso da dança na educação de crianças. Em 30 sequências didáticas, ela revela como despertar o interesse por uma educação mais prazerosa, colocando os pequenos como centro do processo, valorizando talentos, imaginações e inteligências criativas.

A criança tem outro campo de percepção. Sua curiosidade, sensibilidade e capacidade de produção simbólica são expressas em gestos e movimentos. Portanto, a valorização do movimento, do brincar, das relações e das interações, oferecendo diversas possibilidades para expandir suas potencialidades, é fundamental. No livro Dança e educação – 30 experiências lúdicas com crianças, lançamento da Summus Editorial, a educadora e mestre em Artes Fernanda de Souza Al­meida apresenta 30 sequências didáticas com­pletas que almejam a expansão da criatividade, da sensibilidade, da expressividade e do conhe­cimento de si, do outro e do meio. Sem reduzir o processo a passos, repetições, elaborações de coreografias para datas festivas ou mímicas de letras de música, a autora inspira o docente a criar novas perspectivas educacionais.

O objetivo é que as experiências socializadas no livro despertem o interesse por uma educação mais prazerosa que coloque os pequenos como centro do processo, valorizando seus talentos, suas imaginações e suas inteligências criativas ao compreender o mundo. “Um passo em direção a uma melhor qualidade do processo educacional infantil, no qual a arte seria um dos pilares centrais”, complementa a professora.

“Em nossas (an)danças por muitos contextos, presenciamos ações que priorizam essa linguagem como lazer, brinquedos cantados, processos de musicalização, catarse para liberar as emoções, gastar energia, desenvolvimento da autoestima, atividade física e em datas comemorativas”, conta a autora. No entanto, diz ela, a dança como arte, com seus elementos próprios, metodologias e processos de criação, ainda está pouco presente nos universos educacionais formais em relação à demanda brasileira com a infância.

A obra nasceu de um dinamismo complexo entre dança, criança, lúdico e educação proveniente de vivências profissionais, especialmente das ações em projetos de extensão e de pesquisa com crianças entre 2 e 10 anos de idade. “Trata-se de um desejo de compartilhar essas experiências, que são propostas em dança ora com seus elementos gerais, ora com o cerne nas danças de rua (breaking e krump), balé, danças brasileiras (coco, cacuriá, capoeira) e creative dance; inundadas de dicas de músicas, vídeos e leituras extras”, conta a autora. Segundo ela, são atividades que privilegiam a expansão da criatividade, da sensibilidade, da pesquisa do movimento, do conhecimento de si, do outro e do meio, além da integração das linguagens e do brincar.

Para saber mais sobre o livro, acesse http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1482/9788532310897

Fernanda também é autora do livro Que dança é essa?, publicado pela Summus em 2016.

FERNANDA ALMEIDA AUTOGRAFA O LIVRO “QUE DANÇA É ESSA?” NA LIVRARIA DA VILA, NA VILA MADALENA

A Summus Editorial e a Livraria da Vila (Vila Madalena-São Paulo) promovem no dia 23 de março, quarta-feira, a noite de autógrafos do livro Que dança é essa? – Uma proposta para a educação infantil. A autora do livro, a educadora Fernanda de Souza Almeida, receberá amigos e convidados na livraria, que fica na Rua Fradique Coutinho, 915, Piso Térreo. 

Fernanda, que também é mestre em Artes, revela no livro os pressupostos e os elementos da dança na educação infantil e as estratégias para o trabalho do professor, acrescidos de sugestões de vivências, músicas e sequências didáticas que podem ser exploradas na prática educativa. 

Com vasta experiência como professora da educação básica, a autora mostra uma possibilidade de aproximação da dança com as crianças, de modo que essa linguagem artística dialogue com as características e necessidades dos pequenos. Para isso, busca em estudiosos como Henri Wallon e Rudolf Laban compreender as peculiaridades do universo infantil e da dança.

“Toda atividade realizada na escola, mesmo no período complementar, precisa ser planejada, organizada e estar repleta de ações intencionais por parte do professor para ampliar a perspectiva de mundo das crianças”, diz a autora. Para ela, as vivências devem oferecer oportunidades aos pequenos e respeitar as características da faixa etária na qual se propõem a atuar, sem exclusões ou cobranças técnicas exageradas. “É preciso apresentar uma visão diferenciada”, complementa.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1433/9788532310385

Que danca é essa