‘QUANTO MEU FILHO VAI CRESCER? É POSSÍVEL DESCOBRIR COM UM CÁLCULO SIMPLES’

Uma das principais preocupações que afligem os pais e também os adolescentes está relacionada à altura. Esta apreensão é normal, principalmente entre os meninos que propagam a imagem de que homem tem que ter músculos, ser alto e atleta.

Porém, antes de tudo, é preciso entender que uma estatura baixa ou alta de uma pessoa é causada por variantes de um padrão de crescimento normal, influenciada pela genética, porém uma patologia pode influenciar na altura.

O pediatra tem papel fundamental na identificação de crianças com crescimento anormal. Além de ter documentado a altura e peso dos pais, acompanhar e registrar através de um gráfico de crescimento, as medidas do paciente ao longo do tempo, pois são estas medidas que servem de base para o diagnóstico de anormalidades.

A altura de um indivíduo adulto é determinada geneticamente e, para se ter uma ideia da altura deste baixinho na fase adulta, baseada na altura dos seus pais, calcula-se, para as meninas, a média entre a estatura do pai menos 13 cm e a estatura do pai”. (ver dados abaixo)

Cálculo da altura (cm):    

MENINO = [altura materna + altura paterna + 13] ÷ 2
MENINA = [altura materna + altura paterna – 13] ÷ 2

Exemplo:

Cálculos da estatura parental média de um filho e uma filha de pais com as seguintes estaturas: o pai tem 172,72 cm, e a mãe tem 157,48 cm

Filho: [172,72 cm + 157,48 cm + 13 cm]/2 = 171,6 cm
Filha: [172,72 cm – 13 cm + 157,48 cm]/2 = 158,6 cm

*Dados do American Family Physician – 2008

No entanto, é preciso considerar que quanto mais precoce o início da puberdade de uma pessoa, menor será sua estatura final e, inversamente, quanto mais tardia, maior será seu crescimento. Dificilmente uma criança de pais e avós com estaturas pequenas, terá uma altura muito superior que a de seus descendentes. Outra dúvida frequente está relacionada à taxa de crescimento com a puberdade, um período da adolescência com duração de dois a quatro anos, caracterizada por transformações biológicas, físicas e psíquicas. É nesta fase que acontece o crescimento esquelético linear, a alteração da forma e composição corporal, o desenvolvimento de órgãos, e mudanças no sistema reprodutivo sexual.

E como descobrir se há um déficit no crescimento de uma criança? Para fazer esta avaliação é necessário saber, antes de tudo e com precisão a altura, o peso e a maturação sexual. Este processo será mais bem alinhado com o acompanhamento do pediatra, que poderá avaliar se há ou não deficiência na curva de crescimento.

Não há motivos para pânico e alarde se o seu filho é baixinho. O processo de crescimento é relativo de criança para criança, e envolve estudo particular de caso a caso. Lembre-se, qualquer dúvida ou alerta de que algo está errado, converse abertamente com o médico pediatra do seu filho.

Artigo publicado originalmente no Blog do Pediatra (VivaBem – UOL), do dr. Sylvio Renan, autor de “Pediatria hoje” e “Seu bebê em perguntas e respostas”, em 25/11/2017. Para lê-lo na íntegra, acesse: https://blogdopediatra.blogosfera.uol.com.br/2017/11/25/quanto-meu-filho-vai-crescer-e-possivel-descobrir-com-um-calculo-simples/

 

***

Conheça os livros do dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros, publicados pela MG Editores:

PEDIATRIA HOJE
Orientações fundamentais para mães, pais e cuidadores

Nesta obra, Sylvio Renan Monteiro de Barros selecionou os principais textos publicados em seu site, o Blog do Pediatra, e no portal Minha Vida. Seu olhar cuidadoso e sensato, permeado pelos ensinamentos de D. W. Winnicott e também pelas mais recentes atualizações da medicina, constitui um farol no caminho de pais, mães, cuidadores, educadores e profissionais de saúde.

 

SEU BEBÊ EM PERGUNTAS E RESPOSTAS
Do nascimento aos 12 meses

Obra que reúne informações imprescindíveis para mães e pais de primeira viagem. Mas não se trata de um compêndio técnico sobre o “bebê-padrão”, e sim de um livro que aborda casos específicos atendidos pelo autor ao longo de três décadas de pediatria. Dividido em meses, traz perguntas e respostas sobre desenvolvimento físico e psicológico, alimentação, sono, comportamento, estímulos e cuidados com o bebê.

 

AUTOR DO LIVRO “PEDIATRIA HOJE” AUTOGRAFA NA LIVRARIA DA VILA

A MG Editores e a Livraria da Vila (Shopping Pátio Higienópolis-São Paulo) promovem no dia 27 de outubro, terça-feira, das 18h30 às 21h30, o lançamento do livro Pediatria hoje – Orientações fundamentais para mães, pais e cuidadores, do dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros. O autor receberá os convidado para a sessão de autógrafos na livraria, que fica no Shopping Pátio Higienópolis, Piso Pacaembu (Av. Higienópolis, 618, São Paulo).

A pediatria é a medicina do ser em crescimento. Mas, afinal, até que idade os pais devem levar os filhos ao pediatra? Para o dr. Sylvio, o especialista deve acompanhar o paciente e cuidar dele desde seu nascimento até que se transforme em um adulto. “Somos responsáveis por garantir um adulto saudável nos aspectos físico, psíquico, social e ambiental”, afirma o pediatra. No livro, o médico reúne informações sobre os mais diversos temas dessa vasta especialidade. O objetivo é facilitar a compreensão dos leitores da necessidade de zelar pelo crescimento e desenvolvimento dos filhos por meio do amor, da proteção e da disciplina.

Profissional reconhecido por aliar a boa prática da medicina ao humanismo, dr. Sylvio responde nesse livro a questões que afligem até as mães e os pais mais experientes. A obra traz os principais textos publicados em seu site, o Blog do Pediatra, e no portal Minha Vida. O pediatra é ainda autor do livro Seu bebê em perguntas e respostas, também publicado pela MG Editores.

Dividido em seis seções, o livro aborda questões como o mundo dos bebês, mitos e verdades sobre a imunização, saúde, bem-estar e alimentação infantil. O pediatra mostra ainda que a criança que brinca e aprende vive feliz e faz considerações sobre os dilemas da modernidade. Ao longo da obra, os temas se misturam, e a leitura cruzada dos artigos favorece a construção de uma estrutura fundamental para o bem-estar de bebês, crianças e adolescentes.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro//Pediatria+hoje

Pediatria hoje

 

CONTRA O SENSO COMUM

A Revista do Correio, encarte do jornal Correio Braziliense, publicada no domingo, 11 de janeiro, indicou a leitura do livro Seu bebê em perguntas e respostas – Do nascimento aos 12 meses (MG Editores). A reportagem afirma que as mães, em geral, estão sujeitas a uma saraivada de conselhos nem sempre úteis, apesar de bem intencionados. Leia a matéria na íntegra: http://goo.gl/jxOE9o

Ter um filho é uma das experiências mais emocionantes da vida, mas também uma das mais assustadoras. As mães e os pais de primeira viagem muitas vezes se veem às voltas com problemas que não sabem resolver – e, por causa da inexperiência, acabam transmitindo uma ansiedade que prejudica o relacionamento com o bebê. Como evitar as cólicas? De quanto em quanto tempo amamentar? Quando o recém-nascido pode sair à rua? Como saber se ele está se desenvolvendo corretamente? Por que o bebê não dorme à noite? Por que ele não pára de chorar? 50054Essas são algumas das perguntas respondidas pelo livro Seu bebê em perguntas e respostas, escrito pelo pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros.

Baseada na experiência de mais de três décadas do dr. Sylvio como pediatra, a obra segue uma linha diferente de outros compêndios da área, que enfocam explicações técnicas e clínicas e só falam do “bebê-padrão”. “Os medos e receios de uma mãe, principalmente daquelas que vivem a maternidade pela primeira vez, são únicos. Portanto, o pior caminho é generalizar um problema”, afirma. O pediatra, segundo ele, deve ser alguém preparado para ouvir e lidar com a mãe, que tem dúvidas normais e perfeitamente compreensíveis.

Com informações claras, didáticas e tranquilizadoras para o dia-a-dia, o livro foi elaborado na forma de perguntas e respostas. “O objetivo é ajudar as mães a cuidar de seus filhos e estabelecer com eles uma relação de amor e confiança”, diz. Fácil de consultar, a obra pode ser lida de uma vez ou utilizada sempre que houver dúvidas a respeito de algum comportamento ou estado apresentado pelo bebê.

As informações estão divididas em trimestres. O capítulo “Do nascimento aos 3 meses” é o mais extenso, pois essa é uma fase de muitas dúvidas para pais e mães recentes. Questões relacionadas a sono, bem-estar, imunização, comportamento, alimentação e medicação são amplamente exploradas. Ao final, anexos esclarecem o uso correto das cadeirinhas para automóveis e trazem gráficos de peso e crescimento para acompanhar a evolução do bebê.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1122/Seu+beb%C3%AA+em+perguntas+e+respostas

 

 

IMUNIZAÇÃO ANTES DA COPA

Em entrevista concedida ao Programa Cotidiano, da Rádio Nacional de Brasília, o pediatra Sylvio Renan explica os motivos para nos preocuparmos com a imunização contra diversas doenças, principalmente agora com a realização da Copa do Mundo no Brasil e a vinda de estrangeiros, que podem trazer vírus aos quais nós brasileiros não estamos imunes. Ouça a entrevista:

……………

É médico formado pela Faculdade de Medicina do ABC em 1974. Especializou-se em pediatria na Escola Paulista de Medicina (EPM) e obteve o título de especialista em pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria em 1977. Atua em consultório particular na cidade de São Paulo desde 1976. Trabalhou por 27 anos no pronto-socorro do Hospital Infantil Sabará e foi diretor técnico do Hospital São Leopoldo, cargo que deixou em 2005, quando passou a se dedicar inteiramente a seu consultório. Na medicina, escolheu a pediatria por estar convicto de que, mais do que curar doenças e evitar a morte, o pediatra prepara para a vida. É autor do livro “Seu bebê em perguntas e respostas”, da MG Editores. Para conhecer o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro//Seu+beb%C3%AA+em+perguntas+e+respostas

PARA O BEBÊ NÃO CHORAR

A edição de fevereiro da revista Viva Saúde entrevistou o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, autor do livro Seu bebê em perguntas e respostas – Do nascimento aos 12 meses, da MG Editores. A reportagem, intitulada “Para o bebê não chorar”, afirma que não há remédio milagroso para controlar o choro dos bebês. Paciência e observação são as melhores formas de evitar o desgaste. Leia a reportagem na íntegra: http://goo.gl/vuYiX8

Ter um filho é uma das experiências mais emocionantes da vida, mas também uma das mais assustadoras. As mães e os pais de primeira viagem muitas vezes se veem às voltas com problemas que não sabem resolver – e, por causa da inexperiência, acabam transmitindo uma ansiedade que prejudica o relacionamento com o bebê. 50054Como evitar as cólicas? De quanto em quanto tempo amamentar? Quando o recém-nascido pode sair à rua? Como saber se ele está se desenvolvendo corretamente? Por que o bebê não dorme à noite? Por que ele não para de chorar? Essas são algumas das perguntas que o pediatra responde no livro.

Baseada na experiência de mais de três décadas do autor como pediatra, a obra segue uma linha diferente de outros compêndios da área, que enfocam explicações técnicas e clínicas e só falam do “bebê-padrão”. “Os medos e receios de uma mãe, principalmente daquelas que vivem a maternidade pela primeira vez, são únicos. Portanto, o pior caminho é generalizar um problema”, afirma dr. Sylvio. O pediatra, segundo ele, deve ser alguém preparado para ouvir e lidar com a mãe, que tem dúvidas normais e perfeitamente compreensíveis.

Com informações claras, didáticas e tranquilizadoras para o dia-a-dia, o livro foi elaborado na forma de perguntas e respostas. “O objetivo é ajudar as mães a cuidar de seus filhos e estabelecer com eles uma relação de amor e confiança”, diz. Fácil de consultar, a obra pode ser lida de uma vez ou utilizada sempre que houver dúvidas a respeito de algum comportamento ou estado apresentado pelo bebê.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1122/Seu+beb%C3%AA+em+perguntas+e+respostas

 

O TEMPO CERTO PARA A RETIRADA DAS FRALDAS

São Paulo, 23 (AE) – Um método para a retirada das fraldas dos bebês, difundido nos EUA, começa a ser aplicado aqui, causando divergências de opiniões. Trata-se do “elimination comunication” (comunicação da eliminação, em inglês), e que consiste na observação dos sinais e sons que o bebê emite sempre que sente vontade de fazer suas necessidades.

Baseado nestes sinais, os pais conduzem o bebê (de meses) para um peniquinho para que ele faça as suas necessidades e assim se condicione a não mais fazer nas fraldas.

Embora nos EUA já até exista uma organização não governamental chamada Diaper Free Baby (Bebê livre de fralda, em inglês) que auxilia os pais na técnica, eu a questiono bastante.

Além de ser pouco viável e prática nos dias de hoje para a execução dos pais, esta técnica se mostra inócua, uma vez que as crianças só começam a ter um controle neurológico de suas necessidades a partir dos 18 meses. Desta forma, esta antecipação da retirada da fralda por condicionamento tem pouca chance de dar resultado. Pela lógica, não são os pais que condicionam a criança, mas o bebê que condiciona os pais a levá-lo ao vaso sanitário sempre que quiser fazer cocô ou xixi.

Parte de artigo do Dr. Sylvio Renan Monteiro de Barros da MBA Pediatria, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e autor de “Seu bebê em perguntas e respostas“.

Para ler o texto na íntegra, acesse:
http://veja.abril.com.br/agencias/ae/comportamento/detail/2011-06-23-2065051.shtml