porno porno porno porno mobil porno



Conheça também os sites das editoras do Grupo Editorial Summus
nossa história envio de originais distribuidores imprensa fale conosco
Você tem 0 produtos no carrinho
  • quero me cadastrar|
  • como comprar|
  • frete|
  • site seguro|
  • blog do Grupo Summus
  • esqueci minha senha
  • login|
  • Busca
    | [ Busca avançada ]

    Atendimento

    Assuntos

    Mais vendidos

    Tags

    Site seguro

    NotíciasNotícias

    SELO NEGRO LANÇA BIOGRAFIA DE JOÃO CÂNDIDO

    Conhecido como “Almirante Negro”, João Cândido Felisberto foi o líder da Revolta da Chibata, ocorrida no Rio de Janeiro em 1910. Figura importante na luta por Saiba mais sobre este livro clicando aquimelhores condições na Marinha, esse herói brasileiro só teve sua anistia concedida em 2008, 39 anos após sua morte. Fruto de ampla pesquisa, a biografia do jornalista Fernando Granato sobre João Candido, sexto volume da coleção Retratos do Brasil Negro, lançamento da Selo Negro Edições, mostra o lado humano de Almirante Negro, cuja vida foi marcada por tragédias, perseguições e miséria.

    No dia 22 de novembro de 1910, diante de uma população atônita, tiros de canhão abalaram a cidade do Rio de Janeiro. Liderados por João Cândido Felisberto, marinheiros deram início à Revolta da Chibata, que reivindicava o fim dos castigos físicos na Marinha. Depois de um violento combate, os revoltosos obtêm uma falsa anistia e são perseguidos pelas autoridades – João Cândido em especial. Preso e torturado, ele é internado num manicômio. Nos anos seguintes, enfrenta uma série de mazelas pessoais e familiares, sempre discriminado pela Marinha. Imortalizado no samba “O mestre-sala dos mares”, ele é anistiado postumamente em julho de 2008 – 98 anos depois do início do conflito. No livro, Granato revela quem foi esse líder negro, que ele considera o primeiro herói do século XX. Exatamente no ano em que a Revolta da Chibata completa 100 anos, a obra resgata a história do “Almirante Negro”, um símbolo da luta contra a opressão no Brasil.

    Resultado de dois anos de pesquisa - nos arquivos da Marinha e da Biblioteca Nacional e em entrevistas com familiares de João Cândido -, o livro pretende iluminar um período pouco conhecido da sua história: a fase que vai de sua absolvição até a sua morte, no Rio de Janeiro, em 1969, aos 89 anos. “A fama de ‘perigoso’ não reflete suas convicções políticas, muito menos encontra respaldo na vida que passa a levar após o fim da revolta”, afirma o autor. Uma época marcada, segundo ele, pela perseguição política, pela penúria e pelas tragédias pessoais. “De marinheiro a trabalhador braçal, recluso e doente, tem a polícia vigilante até mesmo em seu enterro”, complementa.

    Inédito em sua abordagem, o livro traz, em cinco capítulos, a trajetória de João Cândido desde a infância, em Rio Pardo, no interior do Rio Grande do Sul. Filho de ex-escravizados, ele deixa cedo a vida na fazenda e alista-se na Marinha. Ali, ganha experiência viajando pelo Brasil e pelo mundo. Com bom trânsito entre os oficiais e admirado pelos companheiros, o jovem acaba liderando uma das mais importantes rebeliões populares do Brasil.

    Para saber mais sobre o livro, acesse:
    http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=1239

    Para conhecer todos os volumes da coleção Retratos do Brasil Negro, acesse:
    http://www.gruposummus.com.br/colecao.php?colecao_id=38&colecao=%27Retratos%20do%20Brasil%20negro%27

    Comentar esta notícia

    Envie esta notícia para um amigo


    Ver outras notícias

    Blog

    Foco no autor

    Nosso catálogo