porno porno porno porno mobil porno



Conheça também os sites das editoras do Grupo Editorial Summus
nossa história envio de originais distribuidores imprensa fale conosco
Você tem 1 produtos no carrinho
  • quero me cadastrar|
  • como comprar|
  • frete|
  • site seguro|
  • blog do Grupo Summus
  • esqueci minha senha
  • login|
  • Busca
    | [ Busca avançada ]

    Atendimento

    Assuntos

    Mais vendidos

    Tags

    Site seguro

    NotíciasNotícias

    RUDOLF BRAZDA, ÚLTIMO SOBREVIVENTE GAY DO REGIME NAZISTA, MORRE AOS 98 ANOS

    Faleceu na quarta-feira de madrugada, dia 3 de agosto, aos 98 anos, Rudolf Brazda, o último sobrevivente conhecido dos quase dez mil homossexuais que estiveram nos campos de concentração nazista. Morando num abrigo para idosos em Mulhouse, na França, morreu enquanto dormia “calma e pacificamente”, segundo Jean-Luc Schwab, seu amigo e co-autor do livro Triângulo rosa – Um homossexual no campo de concentração nazista, lançado no Brasil recentemente pela Mescla Editorial. O sepultamento deve acontecer na segunda-feira, dia 8 de agosto, em Mulhouse, na França.

    A obra conta história do sobrevivente, um relato ímpar, sustentado por um rigoroso trabalho de pesquisa histórica e marcado pela dor e pela esperança. Identificados como “triângulos-rosa”, milhares de gays foram caçados pelo regime de Hitler, Rudolf foi condenado duas vezes por ser homossexual e depois deportado para Buchenwald, onde ficou preso no campo de concentração durante 32 meses, até sua libertação, ocorrida em 11 de abril de 1945.

    Quando foi libertado, Rudolf decidiu fixar residência na França. Foi só em 2008, aos 95 anos, que ele decidiu sair do anonimato. Após a inauguração de um monumento às vítimas homossexuais do nazismo em Berlim, na Alemanha, ele pôs fim a longos anos de silêncio. Surgia, então, aos olhos do mundo, o último sobrevivente homossexual conhecido dos campos de concentração nazista. Com a matrícula 7952, ele sobreviveu aos horrores do nazismo.

    No dia 28 de abril de 2011, Rudolf recebeu a medalha da Ordem Nacional da Legião de Honra, mais alta condecoração da França. A distinção foi entregue por Marie-José de Chombart Lauwe, sobrevivente de Ravensbrück e presidente da Fundação para a memória da deportação.

    Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=1256

    Comentar esta notícia

    Envie esta notícia para um amigo


    Ver outras notícias

    Blog

    Foco no autor

    Nosso catálogo