porno porno porno porno mobil porno



Conheça também os sites das editoras do Grupo Editorial Summus
nossa história envio de originais distribuidores imprensa fale conosco
Você tem 1 produtos no carrinho
  • quero me cadastrar|
  • como comprar|
  • frete|
  • site seguro|
  • blog do Grupo Summus
  • esqueci minha senha
  • login|
  • Busca
    | [ Busca avançada ]

    Atendimento

    Assuntos

    Mais vendidos

    Tags

    Site seguro

    NotíciasNotícias

    RUDOLF BRAZDA, ÚLTIMO TRIÂNGULO ROSA, É HOMENAGEADO PELO GOVERNO FRANCÊS

    O coautor do livro Triângulo rosa – Um homossexual no campo de concentração nazista (Mescla Editorial), Rudolf Brazda, que faleceu em 3 de agosto de 2011, aos 98 anos, foi homenageado pela Secretaria de Estado da Defesa e de Ex-Combatentes, órgão ligado ao Ministério da Defesa da França. A cerimônia de recordaçãoFoto de Jean-Luc Schwab. Rudolf Brazda, no dia 28 de abril de 2011, ao receber a medalha de Ordem Nacional da Legião de Honra, que foi organizada pela Associação Civil Homossexual de Devoir de Mémoire [Dever da Memória], aconteceu no dia 28 de setembro, na Igreja Saint-Roch, em Paris, na França. Estiveram presentes, além de familiares e amigos, políticos, diplomatas e representantes da causa homossexual.

    Rudolf faleceu em Bantzenheim, na Alsace, França. A cerimônia fúnebre aconteceu no dia 8 de agosto de 2011, no Centro Funerário de Mulhouse. De acordo com sua vontade, ele foi cremado e suas cinzas espalhadas sobre o túmulo de seu companheiro de vida, Édouard Mayer (Edi), no Cemitério central de Mulhouse. Quatro meses antes de morrer, ele havia recebido a medalha da Ordem Nacional da Legião de Honra, mais alta condecoração da França. A distinção foi entregue por

    Marie-José de Chombart Lauwe, sobrevivente de Ravensbrück e presidente da Fundação para a memória da deportação.

    Morador de Mulhouse desde 1945, Rudolf decidiu sair do anonimato apenas em 2008, aos 95 anos. Após a inauguração de um monumento às vítimas homossexuais do nazismo em Berlim, na Alemanha, pôs fim a longos anos de silêncio. Surgia, então, aos olhos do mundo, o último sobrevivente conhecido dos quase dez mil homossexuais que estiveram nos campos de concentração nazista.

    Identificados como “triângulos-rosa”, milhares de gays foram caçados pelo regime de Hitler, embora até pouco tempo se negasse essa perseguição sistemática. Com a matrícula 7952, Rudolf ficou preso em Buchenwald de 1942 a 1945. No livro, Jean-Luc Schwab, pesquisador e militante dos direitos dos homossexuais, conta em detalhe essa história. Sustentado por um rigoroso trabalho de pesquisa, ele reconstrói a vida de Rudolf, que se abre num depoimento marcado pela dor e pela esperança de quem sobreviveu aos horrores do nazismo.

    Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=1256

    Comentar esta notícia

    Envie esta notícia para um amigo


    Ver outras notícias

    Blog

    Foco no autor

    Nosso catálogo