CANTORES E FONOAUDIÓLOGOS ENSINAM COMO CUIDAR E MELHORAR A VOZ

A voz límpida ecoa durante o concerto. No entanto, para que a plateia contemple um espetáculo musical de qualidade, é preciso que o cantor tenha muito preparo vocal. Marly Montoni, por exemplo, é uma cantora lírica que cuida, e muito, da sua garganta e cordas vocais. Mas todo esse carinho com a voz pode – e deve – ser incorporado por pessoas comuns, já que ela pode se manter saudável até a terceira idade, apenas tomando alguns cuidados simples.

“Cuido muito da minha alimentação, bebo bastante água, procuro fazer exercícios físicos regularmente, além de dormir bem para descansar o corpo”, conta a soprano.

Pode não parecer, mas a alimentação é uma parte importante dos cuidados com a voz. A fonoaudióloga e também musicista Elizabeth Amin explica que o refluxo gastroesofágico é uma causa comum de rouquidão da população, e é normalmente reflexo de uma dieta ruim.

“A acidez do estômago volta pelo esôfago, que não tem as paredes preparadas para essa substância. Isso afeta a parte posterior das pregas vocais”, explica. “E acontece da noite para o dia. A pessoa dorme com a voz ótima e acorda rouca”, conta Elizabeth.

A causa desse problema está, muitas vezes, nos inocentes alimentos do dia a dia. Um chocolate, um cafezinho, um leite e ou até mesmo uma dose de álcool podem piorar a sensação de ardor. Além disso, para algumas pessoas, o leite pode ocasionar um aumento da secreção, que interfere na cristalinidade na voz. “É o vulgo pigarro, quando parece que tem algo na garganta”, explica Elizabeth.

E aí mora outro problema: o pigarro é maléfico, porque causa um choque nas pregas vocais, assim como acontece com a tosse. “Não há problema em pigarrear, desde que seja esporadicamente. Se isso se tornar um hábito, a pessoa terá problemas na voz”, explica a fonoaudióloga.

A água, tão companheira de cantores e de outros que fazem uso da voz, deve ser consumida em doses ao longo do dia. “Não adianta tomar dois litros de água de uma só vez, é preciso hidratar o corpo constantemente, e, por consequência, a laringe também ficará hidratada”, explica Elizabeth, que também trabalha como orientadora vocal do CoralUSP.

Impostar ou apoiar a voz é um truque usado tanto pelos cantores como pelos atores. Apoiar a voz significa ter uma boa respiração, deixar que o ar seja impulsionado pelo diafragma para que a garganta apenas se torne um cano de passagem, sem que as pregas vocais sejam forçadas.

Marly é casada com um cantor lírico e partilha cuidados vocais no dia a dia. “Não grito, procuro falar usando a respiração diafragmática, falar apoiado”, explica.

Exercícios para uma boa voz
Além do cuidado com o corpo e alimentação, começar o dia com um contagiante bocejo é muito saudável. “Essa atitude simples mexe com as estruturas do trato vocal e também alonga, permitindo que ele saia do modo de relaxamento”, recomenda o fonoaudiólogo e professor de técnica vocal Juvenal de Moura.

Marly também faz exercícios diários, como a vibração de língua. “É bom para tirar o pigarro”.

Mais conhecido pela onomatopeia “trrrrr”, o exercício é apenas contraindicado para pessoas que tenham hematomas ou hemorragia na prega vocal, constatados por um otorrinolaringologista. “Para que as pessoas saudáveis não tenham nenhum problema, indicamos fazer o exercício de um modo relaxado, sem forçar”, explica.

Elizabeth ressalta que é o acompanhamento de um fonoaudiólogo é importante. “Não precisa ser um acompanhamento longo, apenas o tempo necessário para a pessoa aprender a fazer exercícios vocais corretamente”, explica.

Odeio minha voz, e agora?
Muito aguda, grave ou estridente. É comum ouvir reclamações acerca do próprio tom de voz. No entanto, o problema tem solução: a coordenadora do departamento de voz da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, Maria Lucia Dragone explica que normalmente é possível fazer essa modificação.

“É sempre possível melhorar aspectos da voz que não estejam adequados à personalidade, sexo, estilo de vida ou necessidades profissionais”, explica. “Se a pessoa identifica algo que ela não gosta, há grandes chances do problema ser modificado ou minimizado”.

As reclamações são muitas, como é o caso das vozes estridentes ou agudas. “Algumas vezes essas vozes estão relacionadas à tensão fonatória, e podem ser facilmente transformadas. Por muitas vezes ela está relacionada à imagem de infantilização”, explica Maria Lúcia.

O tempo de fonoterapia varia de pessoa para pessoa. “Esperamos uma melhora já a partir da quinta sessão, e continuamos o tratamento até que o resultado seja satisfatório”, explica.

Voz de moça na terceira idade
Ao telefone, muitas sexagenárias podem se passar por garotinhas. E o segredo, que também vale para os homens, é simples: fazer exercícios vocais diários. “O canto é um excelente exercício para manter a voz jovial”, explica Elizabeth.

“Com os anos, a voz feminina vai ficando mais grave e a masculina mais aguda. Nas mulheres, isso acontece por conta dos hormônios, já nos homens, é por conta da perda muscular – as pregas vocais são músculos, então, se os homens perdem massa, a voz fica mais fina”, explica Moura.

Segundo ele, exercícios são essenciais. Bocejos, vibrações de língua, de lábio, e outros que equilibram a ressonância costumam surtir efeitos excelentes nas vozes dos idosos – mantendo-as como na juventude.

Inimigos da voz
Grito: o ar pode passar pelas pregas vocais em uma velocidade de até 80km/h, e isso machuca muito. A região tende a se recuperar rápido, mas, se essa atitude for frequente, a pessoa terá problemas, como hemorragias e edemas. Elizabeth explica, no entanto, que alguns têm “gogó de ouro”. Os homens, em geral, têm cordas vocais mais resistentes.

Pigarro: essa prática faz com que as pregas vocais se raspem uma na outra, provocando pequenas lesões.

Refluxo gastroesofágico: causa comum da rouquidão, é necessário que o problema seja tratado com um médico especializado. Mudanças na alimentação também ajudam a contornar o problema.

Sussurro : o problema não está no sussurro, mas sim no esforço que se faz para que as palavras sejam compreendidas. “Muitas pessoas cochicham e, ao mesmo tempo, querem ter volume na voz. Isso faz mal”, explica.

Riso excessivo: é possível rir até perder a voz. “Toda vez que rimos, batemos uma prega vocal contra a outra, como bater palmas. Se a pessoa é profissional da voz e já fez o aquecimento para usá-la, é melhor que não ria demais, senão ela não terá a mesma qualidade vocal”.

Curiosidades
Nossa voz é mais grave quando acordamos. Isso acontece, segundo Moura, por conta de um edema fisiológico. “Podemos comparar com nossos olhos, que amanhecem inchados. Com as pregas vocais é a mesma coisa: não demos trabalho algum para ela durante a noite, então ela relaxou. O inchaço vai diminuindo com o passar das horas ou com o aquecimento vocal”.

Durante a Tensão Pré-Menstrual (TPM) as mulheres ficam com a voz mais grave. Tudo por culpa do hormônio feminino estrogênio, que provoca inchaço no corpo todo – e as pregas vocais não saem ilesas. Quando o estrogênio cai, a voz volta ao normal. “Quem canta profissionalmente e é soprano, por exemplo, pode ter dificuldade na hora de cantar os agudos”, explica o fonoaudiólogo.

Maçã faz bem para a voz. Ela é adstringente e afina a saliva. “A maçã limpa o trato vocal, por onde passa o som. Com a saliva fina, a voz fica mais precisa”, explica Moura.
Matéria de Elioenai Paes publicada originalmente no iG São Paulo, em 13/09/2013. Para ler na íntegra, acesse: http://saude.ig.com.br/minhasaude/2013-09-13/cantores-e-fonoaudiologos-ensinam-como-cuidar-e-melhorar-a-voz.html

*** 

Quer saber mais sobre o assunto? Conheça os livros do Grupo Summus que falam sobre o tema:

VOZ – PARTITURA DA AÇÃO
Lucia Helena Gayotto
Plexus Editora
O ator em cena revela uma relação profunda entre seus recursos vocais e a situação vivida pelo personagem. Assim, a voz pode e deve interferir, modificar a situação e realizar-se como ação vocal. Para estudar essa ação vocal a autora criou uma partitura vocal para registrar os recursos vocais aplicados ao personagem, e, a partir daí, desenvolveu ferramentas para a elaboração da voz, em diferentes situações cênicas. O livro, fundamental na área teatral, amplia tais possibilidades, também para outros profissionais que utilizam a voz em seu dia-a-dia: conferencista, locutores etc.
ESTÉTICA DA VOZ
Uma voz para o ator
Eudosia Acuña Quinteiro
Plexus Editora
Escrito de forma simples e objetiva, este livro promove um encontro entre o teatro e a fonoaudiologia, analisando a criação teatral do ponto de vista da voz e da fala. Abordando desde o processo respiratório até o aquecimento vocal, a obra é útil para profissionais da voz que atuam nas mais variadas áreas.
TRABALHANDO A VOZ
Vários enfoques em fonoaudiologia
Léslie Piccolotto Ferreira
Summus Editorial
Este livro nos traz diversas abordagens no trabalho com a voz. Ensina a tirarmos o maior proveito da expressão pela voz, sem cansaços ou afonias, além de mostrar trabalhos relativos ao uso da voz no teatro, para professores e todos os que precisam da voz como instrumento de trabalho. Possui também capítulos de prevenção e tratamento dos diversos distúrbios da voz.
PODER DA VOZ E DA FALA NO TELEMARKETING, O
Treinamento vocal para teleoperadores
Eudosia Acuña Quinteiro
Plexus Editora
Atualmente, é fundamental que os operadores de telemarketing sejam capacitados, especialmente no que diz respeito ao treinamento fonoaudiológico. Este livro mostra que, se bem orientados, os teleoperadores serão mais produtivos e não terão problemas de saúde associados ao uso excessivo/incorreto da voz, além de sofrerem menos com o estresse diário. Obra dedicada a fonoaudiólogos, profissionais de RH, ergonomistas e médicos do trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*