ÁGORA LANÇA EDIÇÃO REVISTA DE “AMORES PERFEITOS”, DE J.A.GAIARSA

José Ângelo Gaiarsa foi um dos maiores críticos da família e da hipocrisia social que a cerca. Para ele, um número enorme de regras que obedecemos desde que nascemos – e que transmitimos a nossos filhos mesmo tendo sofrido com elas – só serve a um propósito: o da opressão.

No livro Amores perfeitosque chega às livrarias em 17ª edição revista pela Editora Ágora – ,  ele mostra que o amor não pode ficar restrito a determinadas amarras e revela todos os seus (pre)conceitos sobre fidelidade, família, relacionamentos e felicidade. Gaiarsa, que faleceu em 2010, propõe uma nova forma de cooperação e união e defende: o amor é um só. Dividir e classificar os “tipos” de amor, segundo ele, condiciona os relacionamentos e seria consequência direta da intromissão da família nos envolvimentos afetivos: “Só o amor pode nos humanizar, e a família é o principal obstáculo à expansão do amor entre as pessoas”, avalia o autor.

Para Gaiarsa, a família monogâmica não se constituiu nem para a felicidade nem para a realização pessoal. “Para surpresa de muitos, o ambiente familiar – pai, mãe e filho – está longe de ser a melhor influência na formação da criança”. Escudando-se no objetivo de prover segurança, diz o autor, a família se põe sempre a favor do sistema vigente, fazendo-se a primeira e a mais fundamental instância repressora – a fim de preparar o ser humano para o mundo. Não raro, entretanto, isso acontece com pouco respeito ao amor individual e ao desenvolvimento global.

Com uma linguagem direta, o autor mostra as funções não reprodutoras da sexualidade e o quanto ela pode ser benéfica para a vida em sociedade. Entre outros exemplos, ele cita inclusive o comportamento dos animais. “Quanto mais diferenciado o grupo animal, maior a proximidade permanente entre machos e fêmeas, independentemente do cio. O sexo, mesmo entre os primatas, parece estar de algum modo se sublimando em contato carinhoso, carícia, aconchego e prazer”, de acordo com o autor. As vantagens são a presença de mais solidariedade, mais disposição para a cooperação e menos agressividade no grupo.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1354/Amores+perfeitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*