GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA CRESCE, MAS AINDA ENFRENTA RESISTÊNCIA

Antes dominado pelas licenciaturas, o ensino superior a distância vive um momento de forte crescimento na oferta de cursos de bacharelados e tecnológicos.

De 2009 a 2012, o número de cursos de bacharelado cresceu 38,2%, enquanto o de tecnológicos teve alta de 75%, ante 19,3% das licenciaturas, segundo um estudo da consultoria Hoper Educação.

Segundo João Vianney, da Hoper, trata-se de um movimento natural, resultado de novas demandas e de um novo perfil de aluno.

“A clientela inicial era de professores do interior que não tinham ensino superior. Ali por 2007, 2008, essa demanda começou a ser suprida e as universidades passaram a direcionar o esforço para atender demandas urbanas, da indústria e do serviço”, afirma.

Com isso, algumas instituições começam a oferecer inclusive programas de engenharia, embora o número de alunos ainda seja pequeno e a resistência do mercado, grande.

A graduação a distância tem maior aceitação do mercado para cargos de gestão, em que não há tantas atividades práticas.

“O ensino presencial é mais importante nas áreas ‘hard’, como física e química, em que parte do aprendizado é em laboratórios”, diz Heitor Peixoto, diretor da recrutadora Mariaca.
Texto publicado originalmente na Folha de S. Paulo em 28/07/2014. Para lê-lo na íntegra, acesse: http://classificados.folha.uol.com.br/empregos/2014/07/1491830-graduacao-a-distancia-cresce-mas-ainda-enfrenta-resistencia.shtml

***

Se você quer saber mais sobre EAD, conheça “Educação a distância: pontos e contrapontos”, da Summus:

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: PONTOS E CONTRAPONTOS
10715Organizadora: Valéria Amorim Arantes
Autores: José Manuel Moran e José Armando Valente
Qual o papel das novas tecnologias de informação e comunicação no cotidiano das escolas e dos cursos de formação profissional? A educação a distância e as novas modalidades de ensino e aprendizagem ampliam o acesso à educação de qualidade ou prejudicam o processo educativo? O diálogo estabelecido entre os autores deste livro nos ajuda a compreender essas questões e as complexas relações entre tecnologia e educação neste início de século.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*