CORREIO BRAZILIENSE SUGERE A LEITURA DOS LIVROS “MULHERES NEGRAS NO BRASIL” E “CECAN”

O jornal Correio Braziliense publicou no domingo, dia 25 de novembro, ampla reportagem sobre a militância do movimento negro em Brasília. A matéria, intitulada “Batalhas fragmentadas”, destaca questões históricas da luta contra o racismo. Ao final da reportagem, o jornalista sugere a leitura de dois livros da Selo Negro Edições: Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação e Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan. Clique no link para ler: http://goo.gl/m9Dk6

O livro Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação, lançado recentemente pela Selo Negro, reúne artigos de 20 importantes especialistas na temática, cobrindo o Brasil de norte a sul em termos teóricos e no uso de fontes diversas. A coletânea passeia por cidades, plantations e áreas de mineração nos séculos XVIII, XIX e primeiras décadas do século XX. “São textos de pesquisa que dão conta não só de cidades, engenhos, fábricas, mansões, mas que fundamentalmente reconstroem cenários e desenham paisagens revelando sombras, suspiros e formas de vida, do corpo, da mente e da alma das mulheres na escravidão e nas primeiras décadas do pós-emancipação”, afirmam os organizadores da obra Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes.

Já o livro Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan, nono volume da Coleção Retratos do Brasil Negro, apresenta pela primeira vez a biografia de uma entidade. A história do Centro de Cultura e Arte Negra – Cecan, que atuou na capital de São Paulo na década de 1970, foi marcada por um ideal: reforçar a importância da consciência étnica. Na obra, a mestre em ciências sociais, Joana Maria Ferreira da Silva, analisa a trajetória da organização que foi uma das primeiras entidades negras a trabalhar a ideia da negritude. 

Para saber mais sobre os livros, clique nas capas acima.