“COMO FAZER DOCUMENTÁRIOS”, POR LUIZ CARLOS LUCENA

Que aprender a fazer documentários?  O professor e cineasta Luiz Carlos Lucena fala sobre seu novo livro, que já se tornou referência na área.

Luiz Carlos Lucena é formado em jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), Luiz Carlos Lucena é mestre em Audiovisual pela mesma universidade. Documentarista, roteirista premiado e escritor, é professor titular das disciplinas da área de Audiovisual na Universidade Estácio-SP. Tem artigos publicados em jornais e revistas do Brasil e do exterior. Em 2006, ganhou o prêmio da Secretaria de Estado da Cultura com o romance Fogo cruzado. Publicou no ano seguinte um ensaio sobre sua dissertação de mestrado, Nem tudo é verdade – A produção do real no documentário contemporâneo.

Para saber mais sobre o livro Como fazer documentários – Conceito, linguagem e prática de produção, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1293/Como+fazer+document%C3%A1rios

FOLHA DESTACA O LIVRO “COMO FAZER DOCUMENTÁRIOS”

O caderno Ilustrada, publicado pela da Folha de S.Paulo no sábado, dia 3 de março, deu destaque para o livro Como fazer documentários (Summus Editorial). Na obra, o roteirista, documentarista e professor universitário Luiz Carlos Lucena faz uma reflexão sobre a evolução da produção de documentários, oferece ferramentas para sua produção e se consolida como obra de referência para estudantes de cinema, rádio e TV, jornalismo e design e para os interessados pela temática audiovisual. Veja a nota: http://goo.gl/jxeKT

Clique aqui para saber mais sobre este livroDe forma didática e aprofundada ele mescla, em 14 capítulos, história e técnica, dicas práticas e informação de ponta. Partindo de uma reflexão histórica sobre o gênero, Lucena afirma: “O documentário fala de forma direta, nos faz prestar atenção, trata quase sempre do mundo real, nos obriga a tomar posições.”

Nos capítulos iniciais, o autor fala sobre a linguagem do documentário, as ideias para compor o roteiro, a sinopse e o argumento, ou seja, a espinha dorsal na qual o filme se baseará. Em seguida aborda o roteiro, a entrevista no documentário e a forma de trabalhar com a câmera para obter planos e enquadramentos adequados.

O som direto e a imagem digital também fazem parte das reflexões de Lucena sobre a realidade atual, bem como a importância da boa edição – que hoje é feita de forma não linear e tem na manipulação de imagens sua principal ferramenta.

Por fim, Lucena dá dicas práticas para a divulgação de documentários na internet. “A rede é hoje um repositório de filmes profissionais e amadores de todo o mundo; por meio dela, seu vídeo poderá ser visto por pessoas nos quatro cantos do planeta. Mas isso dependerá da qualidade ou interesse do trabalho e do seu esforço em divulgá-lo”, explica.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/detalhes_livro.php?produto_id=1293