‘10 CURIOSIDADES SOBRE BOLLYWOOD’

Assista abaixo ao vídeo do canal Cinema e Pipoca sobre o excêntrico cinema indiano, conhecido como Bollywood. As curiosidades foram extraídas do livro Diário de Bollywood – Curiosidades e segredos da maior indústria de cinema do mundo (Summus), do jornalista Franthiesco Ballerini.

Saiba mais sobre o livro Diário de Bollywood:


Misto de diário de campo e grande reportagem, a obra aborda as principais características do cinema indiano, conhecido mundialmente como Bollywood. Reflete com olhar crítico os pontos fortes desta indústria, suas dificuldades e o momento de transição inédito por que passa a indústria cinematográfica indiana. Por fim, faz um paralelo com o cinema de Hollywood e da América Latina.

FRANTHIECO BALLERINI LANÇA “JORNALISMO CULTURAL NO SÉCULO 21”, EM SÃO PAULO, NO DIA 4 DE MARÇO

A Summus Editorial e a Livraria Martins Fontes Paulista promovem no dia 4 de março, quarta-feira, das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro Jornalismo cultural no século 21, do jornalista Franthiesco Ballerini. O autor receberá amigos e convidados na livraria, que fica Av. Paulista, 509 – São Paulo.

Amparado em ampla pesquisa e entrevistas com quase 50 profissionais da área, entre eles os jornalistas culturais mais importantes em atividade no país, Ballerini faz uma análise completa e aprofundada do tema. Partindo do histórico do surgimento e da consolidação do jornalismo cultural no Brasil e no mundo, ele mostra como a atuação nesse nicho se consolidou ao longo dos séculos.

A proposta, segundo Ballerini, é fornecer as bases para entender a prática do jornalismo cultural no século 21, pois, ainda que a tecnologia a tenha revolucionado, é impossível compreender seus reais delineamentos sem um contexto histórico. “Afinal, é conhecendo os hábitos, os erros e as estratégias de seus protagonistas ao longo do tempo que se pode propor um futuro mais próspero para o campo”, afirma.

Depois de apresentar o conteúdo histórico, o autor mergulha nas principais áreas cobertas pelo jornalismo cultural: literatura, artes visuais, teatro, cinema e música.  “Procurei investigar com nomes fundamentais de todas as áreas quais eram as fragilidades, os pontos fortes e as grandes mudanças na cobertura. O que significa a entrada de novos personagens no jornalismo cultural, como gastronomia, moda, games. Mas, acima de tudo, de que forma a internet, as redes sociais e o predomínio cada vez maior do digital sobre o papel altera o trabalho do jornalista cultural”, afirma Ballerini.

O livro traz também um capítulo dedicado ao ensino universitário da especialidade e um ensaio sobre as inter-relações entre consumo e cultura. “A maior contribuição que os bons cursos de jornalismo podem dar ao mercado é formar profissionais que consigam, por meio de um texto claro, coeso e estilisticamente atraente, atrair leitores não para a óbvia historinha de super-herói do quinto filme da franquia hollywoodiana, mas para aquele curta-metragem estudantil do interior do Pará que, de forma simples, abordou uma grande questão cultural e social do momento. Em suma, levar o leitor a consumir mais cultura e não só entretenimento”, afirma o autor.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1399/Jornalismo+cultural+no+s%C3%A9culo+21

Jornalismo cultural no século 21