SENADO APROVA DANÇA, ARTES VISUAIS E TEATRO NO CURRÍCULO DO ENSINO BÁSICO

Conteúdos devem ser inseridos na disciplina de artes, que só previa música. Projeto já havia sido aprovado pela Câmara e vai à sanção presidencial.

O Senado aprovou nesta quinta-feira (7) projeto que prevê a inclusão obrigatória de conteúdos na disciplina de artes do ensino básico brasileiro. Temas de dança, artes visuais e teatro deverão ser incorporados ao currículo da disciplina. Antes a lei só previsa música. As regras propostas pelo projeto valem tanto para escolas públicas quanto particulares.

A medida, que altera a Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional, já havia sido aprovada pela Câmara dos Deputados e segue agora para sanção presidencial.

Atualmente, a lei que trata do tema traz apenas a música como conteúdo obrigatório da disciplina de artes. O texto aprovado nesta quinta deixa expresso na legislação que artes visuais, dança e teatro também devem constituir a matéria de artes.

De acordo com o projeto, os sistemas de ensino terão prazo de cinco anos para implantar as mudanças propostas pelo projeto. Esse período, segundo o texto, servirá para que os sistemas promovam a adequada formação de profissionais em número suficiente para atuar na educação básica.

A educação básica é o primeiro nível do ensino escolar no Brasil. Compreende três etapas: a educação infantil (para crianças com até cinco anos), o ensino fundamental (para alunos de seis a 14 anos) e o ensino médio (para alunos de 15 a 17 anos).

“Esse é um projeto que, a meu ver, só traz vantagens […]. Sem isso [a inclusão dos conteúdos], a gente não vai conseguir criar uma consciência nem ensinar os nossos jovens a se deslumbrarem com as belezas do mundo, que é tão importante quanto fazê-los entender a realidade do mundo pela ciência”, afirmou o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que foi o relator da matéria.
………………………. 

Texto de Gustavo Garcia, publicado originalmente no portal G1, em 07/04/2016. Para lê-lo na íntegra, acesse: http://g1.globo.com/educacao/noticia/2016/04/senado-inclui-danca-artes-visuais-e-teatro-no-curriculo-do-ensino-basico.html

***

Quer saber mais sobre o assunto? Conheça alguns livros da Summus Editorial que abordam o tema:

11038QUE DANÇA É ESSA?
Uma proposta para a educação infantil
Autora: Fernanda de Souza Almeida
.
Nesta obra, Fernanda de Souza Almeida apresenta uma possibilidade de aproximação da dança com as crianças da educação infantil, de modo que essa linguagem artística dialogue com as características e necessidades dos pequenos. De seu trabalho pioneiro resultaram: pressupostos da dança (linguagem artística, sujeito “socioistoricocultural”, noção do corpo, estruturação espacial e diferenciação eu-outro); estratégias (interação social, jogo, improvisação e apreciação estética); e os quatro elementos da dança (corpo, movimento expressivo, espaço e ritmo), todos acompanhados de dicas, sugestões de vivência e sequências didáticas que podem ser experimentadas na prática educativa.
……..

Educação artisticaEDUCAÇÃO ARTÍSTICA: LUXO OU NECESSIDADE?
Autor: Louis Porcher

Uma obra que analisa a inclusão da educação artística no currículo escolar, procurando estabelecer o seu grau de importância pedagógica. Um livro básico para todos os cursos de educação artística.
De abordagem fácil e clara, monta um amplo painel das atividades expressivas: poesia, música, desenho, teatro, dança e audiovisuais. Fundamentação pedagógica lúcida, atual.
…………

10885

CORPO, ATIVIDADES CRIADORAS E LETRAMENTO
Autoras: Daniele Nunes Henrique Silva, Marina Teixeira Mendes de Souza Costa, Flavia Faissal de Souza

Fundamentado na perspectiva histórico-cultural, este livro pretende ampliar a discussão sobre o papel do corpo nas práticas de letramento, tomando como ponto de partida as atividades criadoras na infância. Para isso, as autoras construíram um modo particular de organizar tais atividades, considerando o faz de conta e a narrativa atividades não gráficas e o desenho e as primeiras elaborações escritas atividades gráficas. Essa forma inovadora de apresentar as atividades da infância permite ao leitor redefinir seu “posto de observação”, ampliando as possibilidades de compreensão das produções infantis no espaço escolar. […] A exposição de situações do cotidiano de sala de aula aproxima as autoras dos leitores mais acostumados com o dia a dia da educação infantil. […] Assim, elas nos convidam a olhar com mais cuidado para a centralidade que o corpo assume nos processos de leitura e escritura no espaço da educação infantil: o corpo narra, cria, brinca, desenha e escreve.