GUIA DE SOBREVIVÊNCIA À TRAIÇÃO

A edição de fevereiro da revista Women´s Health teve a participação da psicóloga Ana Maria Fonseca Zampieri, autora do livro Erotismo, sexualidade, casamento e infidelidade (Editora Ágora). Na reportagem, ela afirma que a infidelidade é uma decisão de quem trai. “Porém, de alguma maneria, ambos favoreceram para que o deslize acontecesse”. Leia  íntegra: http://goo.gl/k4cix8.

20871O que se lê em Erotismo, Sexualidade, Casamento e Infidelidade é resultado de uma vasta pesquisa realizada pela autora, durante mais de 10 anos, envolvendo casais de todas as classes sociais. “O objetivo é mostrar que a infidelidade sexual – com ou sem envolvimento afetivo – é um fenômeno complexo que sempre existiu e está ligado a várias formas de repressão sexual enfrentadas por mulheres e homens”, explica a autora. “Nossa cultura deseduca e desprepara as pessoas para uma vida erótica saudável no casamento. Ainda nos restringimos mais às técnicas de sexo reprodutivo e não as de sexo erótico”.

Ana Maria afirma, ainda, que muitas pessoas não se dão conta do potencial da própria sexualidade. “A autoestima sexual das mulheres ainda é muito baixa. Muitas não conseguem negociar o sexo seguro, seja com o amante ou com o marido. Ainda praticam um sexo que agrade aos homens e as autoconfirme como mulheres.”

Outra questão que a autora aborda  no livro é o alto nível de expectativa que a mulher tem com relação ao parceiro. “Ela espera que ele a ajude a descobrir sua própria capacidade orgásmica, quando ela mesma não se conhece. Os homens não foram educados a respeito das mulheres”, conta Ana. “Com isso, elas acabam se frustrando porque os maridos não são capazes de satisfazê-las. Os maridos, por sua vez, se frustram porque se sentem impotentes e se escondem desse fracasso, buscando a infidelidade para realizar seus desejos fora do casamento.”

A autora propõe aos casais formas de comunicação entre marido e mulher. Para o necessário autoconhecimento sexual, ela indica a autoexploração – a masturbação, que ainda hoje, é considerada tabu e frequentemente vinculada à ideia de solidão e não de parceria.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/853/Erotismo,+Sexualidade,+Casamento+e+Infidelidade