‘MULHERES CONTAM AS MAIORES CULPAS QUE SURGIRAM COM A MATERNIDADE’

Por mais injusto que possa parecer, o sentimento de culpa é algo que chega junto com a maternidade. Os motivos vão dos mais comuns, como os planos de parto e amamentação não saírem como o desejado, até aqueles que surgem depois do período de licença, como o fato de deixar o filho para voltar ao trabalho. Cada uma segue e lida com suas dores de uma forma.

E é bom que seja assim. Segundo Anna Mehoudar, psicanalista do Gamp 21 (Grupo de Apoio à Maternidade e Paternidade), ser mãe [e pai] é um aprendizado contínuo, que não termina no primeiro mês ou ano dos filhos.

“No começo da vida materna, a mulher precisa lidar com a ambivalência de ter nos braços algo que sempre quis (ou não necessariamente) e sofrer por tê-lo. O conflito psíquico está presente. Nesses momentos, o entendimento de que a figura dela como pessoa não se desfez com a chegada do bebê é essencial.”

Além disso, a especialista cita a pressão da sociedade, que idolatra a infância e faz a mãe se sentir culpada por não cuidar da criança da forma “ideal”. “É perfeitamente aceitável que os pais queiram dar tudo do bom e do melhor, mais do que tiveram e o famoso discurso de não cometer os erros daqueles que os criaram. Entretanto, não é possível ter controle de tudo e, muitas vezes, os planos não saem como previstos e o filho está ‘muito bem, obrigada'”.

Diante de todos esses embates, é preciso procurar ajuda, seja especializada, na terapia, ou em grupos para que encontre semelhantes.

A seguir, conversamos com cinco mulheres sobre as culpas que as acompanham na caminhada da maternidade.

Terapia me fez entender que não posso fazer o papel do pai

“Desde que meus filhos tinham 2 e 3 anos, sou separada do pai e me sinto muito culpada pela responsabilidade de cria-los sozinha. Preciso responder pela educação, valores e tudo o que tange a formação deles como ser humano, e não sinto que faço com excelência. Tento dividir esses conflitos com meu ex-marido, que só convive com as crianças de 15 em 15 dias, mas sou ignorada. Além dessa falta de apoio do pai deles, conto com a cobrança dos familiares. Quando me vi sem ânimo, paciência e descontando nos meus filhos toda essa frustração, comecei a fazer terapia. Estava enxergando o meu papel como ‘o chato’ da vida deles, mas, hoje, também com a ajuda de grupos relacionados à maternidade, consegui ampliar minha visão sobre o assunto. Sigo sem apoio e reconhecimento, mas entendi que não posso deixar de fazer o meu papel de mãe, mas que não sou o pai. A responsabilidade é dele e não devo me culpar pela atitude dos outros”, Daniela, 34, mãe de duas crianças, de 7 e 8 anos.

Minha filha estava abaixo do peso por minha culpa

“Ser mãe é a experiência mais legal e sofrida que o ser humano pode viver. É uma mistura de sentimentos. Ao mesmo tempo que amo minha filha de uma forma indescritível, já tive (e tenho) pensamentos de arrependimento por ter decidido tê-la. Então, no primeiro sorriso, vem a culpa de ter sentido isso. Eu não tive o parto que desejei, passei por uma cesárea depois de cerca de sete horas em trabalho de parto. Fiquei muito frustrada. Depois disso, quando ela estava com três meses, em uma consulta com o pediatra, descobri que meu leite não era o suficiente. Aquilo me arrasou. Minha filha estava abaixo do peso porque eu não era capaz de alimentá-la da maneira correta? Até hoje não consigo entender como tinha tanto leite, ouvia o choro e não percebia que era fome porque ela tinha acabado de passar mais de uma hora no peito. Acho que esse remorso seguirá para sempre, mas também penso que faz parte dessa loucura que é a maternidade”, Sandra, 32, mãe de uma menina de 2 anos.

Texto parcial extraído de reportagem de Thais Carvalho Diniz, publicada no UOL em 06/10/2017. Para ler a matéria na íntegra, acesse: https://estilo.uol.com.br/gravidez-e-filhos/noticias/redacao/2017/10/06/mulheres-contam-as-maiores-culpas-que-surgiram-com-a-maternidade.htm

 

***

A psicanalista Anna Mehoudar é autora da Summus Editorial. Conheça seu livro:

……………………………………..

DA GRAVIDEZ AOS CUIDADOS COM O BEBÊ
Um manual para pais e profissionais

A gravidez e o parto são marcos na vida da mulher e da família. Neste livro, dedicado a pais e a profissionais de saúde, a psicanalista Anna Mehoudar aborda os aspectos clínicos e psicológicos da gestação e dos primeiros meses com o bebê. Voltada para o parto humanizado e a atenção global à gestante, a obra tem caráter prático e cobre uma vasta gama de assuntos, da mala a ser levada na maternidade à amamentação.

‘EXERCÍCIOS PODEM ESTIMULAR PARTO NATURAL? VEJA DICA DE ESPECIALISTAS’

A repórter Rafa Brites está fazendo alguns exercícios para tenta realizar um parto natural. Veja opinião de especialistas e exercícios que podem ajudar

A repórter Rafa Brites está grávida de 5 meses de seu primeiro filho com o também repórter Felipe Andreoli. O casal espera por um menino, Rocco, e quem acompanha as redes sociais da futura mamãe vê que ela diariamente está praticando exercícios.  Mas ela já avisou que não segue essa rotina para ficar sarada ou algo parecido. Seu objetivo é outro: o parto natural.

“Não sou uma grávida fitness! Não pretendo engordar só 9 quilos. Não pretendo estar sarada 15 dias depois do parto. Não estou malhando na academia. Meu treinamento é focado no parto natural que sonho em fazer”, revelou em sua conta do Instagram.

Mas afinal o que os especialistas dizem sobre exercícios durante a gravidez? A professora de pilates e especialista em exercícios para região pélvica Áudrea Lara afirma que sim, os exercícios ajudam a induzir parto natural e no momento do nascimento e que as gestantes devem incluir uma combinação entre atividades aeróbicas que envolvam grandes grupamentos musculares e atividades que desenvolvam a força de determinados músculos.

“Exercícios podem melhorar a força, a consciência e o controle da musculatura do assoalho pélvico, que trabalha diretamente durante o parto”, explica. Além disso, eles podem auxiliar na manutenção ou na melhora da força dos músculos abdominais, que auxiliam no processo de expulsão da criança, e glúteos, que auxiliam na estabilidade da pelve.

Cuidados

Apesar dos exercícios serem ótimos para as grávidas, alguns são restritivos para essa fase da mulher, como aqueles que bloqueiam a respiração. “Por exemplo abdominais em decúbito dorsal (deitado de costas) e exercícios em decúbito ventral (de barriga para baixo) devem ser evitados. Posições invertidas também”, conta.

Além disso, pode ser perigoso a futura mamãe praticar seus exercícios sem orientação profissional. “Um profissional a ajudará a alcançar os objetivos e necessidades dela, como por exemplo, manutenção ou até perda de peso, fortalecimento das regiões mais enfraquecidas, manutenção e melhora da postura”, comenta Audrea.

Apesar disso, exercícios como uma caminhada podem ser feitos sem gerar riscos. “A precaução é manter a frequência cardíaca abaixo de 145 bpm, em média”.

Exercícios

Audrea mostra alguns exercícios que podem ser feitos por gestantes e ainda ajudam a preparar o corpo para o parto normal:

MMII-ELEVÉ: ele ajuda no equilíbrio e fortalecimento dos membros inferios, glúteos e adutores. Para começar, fique em pé, de frente para uma barra em que suas mãos devem estar apoiadas. Contraia o abdômen, glúteos e adutores, coloque uma bola entre suas pernas e eleve os calcanhares. Volte a posição e inicial e repita o movimento de 8 a 16 vezes.

SOLO-HIP ELEVE :  ajuda no fortalecimento da parte posterior de coxa e glúteos. Para começar, fique deitada com as pernas flexionadas e os pés no chão e eleve e abaixe o quadril. Quando o quadril estiver elevado, estique uma das pernas. Esse movimento deve ser feito de 8 a 12 vezes.

CORE-ELEVAÇÃO LATERAL QUADRIL: ajuda no fortalecimento abdominais oblíquos e abdutores. Para começar, deite de lado em posição decúbito lateral (apenas com as pernas e braços apoiados no chão). Depois, eleve e abaixe o quadril e quando ele estiver em posição elevada, eleve a perna e volte a posição inicial. São necessárias de 8 a 16 repetições.

Matéria de Beatriz Bradley, publicada originalmente no Delas – iG, em 26/09/2016. Para lê-la na íntegra, acesse: http://delas.ig.com.br/filhos/2016-09-26/parto-normal-exercicios.html

***

Tem interesse pelo assunto? Conheça o livro:

O CORPO NO TRABALHO DE PARTO
O resgate do processo natural do nascimento
Autora: Eliane Bio
SUMMUS EDITORIAL

O trabalho de parto é um período fundamental tanto para a mãe como para o bebê. Assim, este livro demonstra que o bom uso do corpo durante essa etapa favorece condições saudáveis para o nascimento, facilita o parto normal e diminui riscos, desconfortos e dor. Escrito por uma fisioterapeuta, a obra confirma que a experiência do parto traz mais potência para a identidade feminina e para a construção da maternidade.

 

CORREIO BRAZILIENSE DESTACA O LIVRO “DA GRAVIDEZ AOS CUIDADOS COM O BEBÊ”

O jornal Correio Braziliense deu destaque para o livro Da gravidez aos cuidados com o bebê (Summus Editorial), de Anna Mehoudar. Na reportagem, intitulada “Pequena grande mudança”, a psicanalista afirma que é preciso paciência, generosidade, parceria e disponibilidade para cuidar de um bebê. Leia a matéria na íntegra: http://goo.gl/AAZ6AT.

A gravidez e o nascimento de um filho são quase sempre motivo de alegria. Nesse processo, não é apenas o bebê que se desenvolve no ventre materno: o homem se torna pai e a mulher vira mãe. Essa incrível transformação gera muitas dúvidas e por vezes insegurança. Com base em sua experiência de mais de 25 anos no atendimento interdisciplinar de gestantes e famílias, a psicanalista Anna Mehoudar criou uma obra fundamental para todos os envolvidos no nascimento de um bebê: mães, pais, avós, profissionais de saúde e educadores.

A obra é um rico manual que trata um tema comum de maneira incomum, com atenção psicológica para cada etapa da gestação e do pós-parto. O leitor encontrará informações imprescindíveis sobre as diferentes fases do processo gestacional – das roupinhas que devem ser levadas à maternidade aos sinais de atenção para a depressão pós-parto; dos direitos da gestante às vacinas recomendadas. Tudo permeado pelo olhar experiente de quem já acolheu milhares de pais e mães e realiza um trabalho com obstetras, pediatras, enfermeiros e psicólogos.

Dividida em oito capítulos, a obra responde a perguntas e inquietações frequentes em reuniões de preparo para o parto e cuidados com o bebê. No capítulo “A gravidez: tempo de espera”, a psicanalista fala do tempo provável de gestação, da gravidez e da sexualidade, do pré-natal, da evolução em cada trimestre e dos sinais de desconforto e alerta. Em “O parto: uma passagem”, Anna destaca passo a passo um plano de parto, dos sinais de aproximação e confirmação do trabalho de parto aos estágios do processo de nascimento. Já em “O pós-parto: novos tempos”, ela esclarece as dúvidas mais comuns sobre as primeiras horas de vida do bebê e aborda aspectos psicológicos do pós-parto, ressaltando quando é necessário pedir ajuda profissional.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1318/Da+gravidez+aos+cuidados+com+o+beb%C3%AA

ANNA MEHOUDAR FALA SOBRE DEPRESSÃO PÓS-PARTO NO PROGRAMA RESSOAR, DA TV RECORD

A psicanalista Anna Mehoudar, autora do livro Da gravidez aos cuidados com o bebê (Summus Editorial), participou do programa Ressoar, da TV Record. Na reportagem, que trata do tema depressão pós-parto, ela esclarece as alterações psicológicas que as mulheres vivenciam após o parto. Veja: http://goo.gl/4oVS5

A tristeza materna ou baby blues é a alteração psicólogica mais comum depois do nascimento do bebê. Caracteriza-se por um estado de humor depressivo que acontece a partir da primeira semana pós-parto. Acomete cerca de 70% a 80% das mulheres e pode durar até 30 dias. Às vezes, a mãe sente-se incapaz de lidar com o filho, embora cuide dele com responsabilidade. Tem crises de choro sem motivo aparente ou chora junto com o bebê. Tristeza, cansaço e irritação convivem com alegria e euforia.

Mas é preciso atenção aos sinais que demonstram uma alteração psicológica mais intensa. “É fundamental conhecer um pouco mais sobre elas, identificá-las e tratá-las se for necessário”, afirma Anna.

Diferentemente do baby blues, a depressão pós-parto materna é um quadro clínico mais grave, que requer acompanhamento psicológico e psiquiátrico, pois muitas vezes é necessária uma intervenção com medicamentos. É importante que outro adulto cuide do bebê (ou ajude a cuidar dele) até que a mãe se recupere. Esse tipo de depressão atinge entre 10% e 15% das mulheres. Pode começar na primeira semana após o parto e perdurar por até dois anos. As mulheres costumam se sentir culpadas e tentam esconder um sofrimento intenso, muitas vezes mal compreendido pela família e pelos médicos. Em geral elas experimentam tristeza profunda e choro incontrolável. Apresentam irritabilidade e mudanças bruscas de humor, além de indisposição, falta de concentração e distúrbios do sono e/ou apetite. Mostram preocupação excessiva com o bebê ou perda de interesse por ele. Algumas têm medo de machucar os filhos. No extremo, surgem pensamentos suicidas e homicidas.

Já a psicose puerperal é um distúrbio mental ainda mais grave, mas tende a se manifestar em menos de 1% das puérperas, de forma inesperada, nas duas primeiras semanas após o parto. A família precisa intervir de imediato. A puérpera tem comportamentos bizarros e desorganizados, delírios, alucinações e agitação psicomotora. A principal temática dos delírios está ligada ao bebê e a mulher pode ficar agressiva. Também há risco de suicídio. Nesse estado, a mulher precisa de acompanhamento, medicação psiquiátrica e, em casos graves, internação hospitalar.

De acordo com Anna, a mulher precisa de espaço para elaborar o luto no pós-parto. Ela perde a barriga; a condição de ser apenas filha, pois agora é mãe; a atenção de todos, porque o bebê rouba a cena. O seu tempo não mais lhe pertence, pois será dedicado ao recém-nascido; o casal dificilmente consegue ficar sozinho. Desconfia-se, como na canção de Caetano Veloso, que “alguma coisa está fora da ordem”.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1318/Da+gravidez+aos+cuidados+com+o+beb%C3%AA

 

JOVEM PAN ENTREVISTA ANNA MEHOUDAR

A psicanalista Anna Mehoudar participa do programa Rádio ao Vivo, da Jovem Pan, no sábado, 26 de janeiro, às 22h. Ela conversa com os ouvintes sobre o pós-parto, assunto que ela aborda no livro Da gravidez aos cuidados com o bebê, da Summus Editorial. Acompanhe a entrevista na frequência AM 620 em São Paulo, na rede afiliada espalhada pelo Brasil ou ainda pelo site www.jovempan.com.br

No livro, o leitor encontrará informações imprescindíveis sobre as diferentes fases do processo gestacional – das roupinhas que devem ser levadas à maternidade aos sinais de atenção para a depressão pós-parto; dos direitos da gestante às vacinas recomendadas. Tudo permeado pelo olhar experiente de quem já acolheu milhares de pais e mães e realiza um trabalho com obstetras, pediatras, enfermeiros e psicólogos.

Dividida em oito capítulos, a obra responde a perguntas e inquietações frequentes em reuniões de preparo para o parto e cuidados com o bebê. No capítulo “A gravidez: tempo de espera”, a psicanalista fala do tempo provável de gestação, da gravidez e da sexualidade, do pré-natal, da evolução em cada trimestre e dos sinais de desconforto e alerta. Em “O parto: uma passagem”, Anna destaca passo a passo um plano de parto, dos sinais de aproximação e confirmação do trabalho de parto aos estágios do processo de nascimento. Já em “O pós-parto: novos tempos”, ela esclarece as dúvidas mais comuns sobre as primeiras horas de vida do bebê e aborda aspectos psicológicos do pós-parto, ressaltando quando é necessário pedir ajuda profissional.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://bit.ly/W377XC

AUTORA DA SUMMUS PARTICIPA DO DOMINGO ESPETACULAR, DA TV RECORD

A psicanalista Anna Mehoudar foi entrevistada pelo programa Domingo Espetacular, da TV Record, neste domingo, dia 11 de novembro. Ela falou sobre a importância do bom humor na gravidez no quadro “A família Faro vai aumentar”, que está acompanhando a gravidez da atriz e apresentadora Vera Viel, mulher de Rodrigo Faro. No livro Da gravidez aos cuidados com o bebê, recém-lançado pela Summus Editorial, Anna aborda aspectos físicos e psicológicos da gestação e dos primeiros meses com o bebê. Acesse o link para ver a reportagem: http://goo.gl/4UgJX

Voltada para o parto humanizado e a atenção global à gestante e à família, a obra tem caráter prático e cobre uma vasta gama de assuntos. O leitor encontrará informações imprescindíveis sobre as diferentes fases do processo gestacional – das roupinhas que devem ser levadas à maternidade aos sinais de atenção para a depressão pós-parto; dos direitos da gestante às vacinas recomendadas. Tudo permeado pelo olhar experiente de quem já acolheu milhares de pais e mães e realiza um trabalho com obstetras, pediatras, enfermeiros e psicólogos.

Dividida em oito capítulos, a obra responde a perguntas e inquietações frequentes em reuniões de preparo para o parto e cuidados com o bebê. No capítulo “A gravidez: tempo de espera”, a psicanalista fala do tempo provável de gestação, da gravidez e da sexualidade, do pré-natal, da evolução em cada trimestre e dos sinais de desconforto e alerta. Em “O parto: uma passagem”, Anna destaca passo a passo um plano de parto, dos sinais de aproximação e confirmação do trabalho de parto aos estágios do processo de nascimento. Já em “O pós-parto: novos tempos”, ela esclarece as dúvidas mais comuns sobre as primeiras horas de vida do bebê e aborda aspectos psicológicos do pós-parto, ressaltando quando é necessário pedir ajuda profissional.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro//Da+gravidez+aos+cuidados+com+o+bebê

LEDA NAGLE ENTREVISTA ANNA MEHOUDAR NO PROGRAMA SEM CENSURA

A psicanalista Anna Mehoudar participou no dia 23 de outubro do programa Sem Censura, da TV Brasil. Ela conversou com a apresentadora Leda Nagle sobre o livro Da gravidez aos cuidados com o bebê, recém-lançado pela Summus Editorial. No livro, ela aborda aspectos físicos e psicológicos da gestação e dos primeiros meses com o bebê. Voltada para o parto humanizado e a atenção global à gestante e à família, a obra tem caráter prático e cobre uma vasta gama de assuntos.
Assista à entrevista, acessando: http://tvbrasil.ebc.com.br/semcensura/episodio/cancer-de-mama

A gravidez e o nascimento de um filho são quase sempre motivo de alegria. Nesse processo, não é apenas o bebê que se desenvolve no ventre materno: o homem se torna pai e a mulher vira mãe. Essa incrível transformação gera muitas dúvidas e por vezes insegurança. Com base em sua experiência de mais de 25 anos no atendimento interdisciplinar de gestantes e famílias, Anna criou uma obra fundamental para todos os envolvidos no nascimento de um bebê: mães, pais, avós, profissionais de saúde e educadores.

No livro, o leitor encontrará informações imprescindíveis sobre as diferentes fases do processo gestacional – das roupinhas que devem ser levadas à maternidade aos sinais de atenção para a depressão pós-parto; dos direitos da gestante às vacinas recomendadas. Tudo permeado pelo olhar experiente de quem já acolheu milhares de pais e mães e realiza um trabalho com obstetras, pediatras, enfermeiros e psicólogos.

Dividida em oito capítulos, a obra responde a perguntas e inquietações frequentes em reuniões de preparo para o parto e cuidados com o bebê. No capítulo “A gravidez: tempo de espera”, a psicanalista fala do tempo provável de gestação, da gravidez e da sexualidade, do pré-natal, da evolução em cada trimestre e dos sinais de desconforto e alerta. Em “O parto: uma passagem”, Anna destaca passo a passo um plano de parto, dos sinais de aproximação e confirmação do trabalho de parto aos estágios do processo de nascimento. Já em “O pós-parto: novos tempos”, ela esclarece as dúvidas mais comuns sobre as primeiras horas de vida do bebê e aborda aspectos psicológicos do pós-parto, ressaltando quando é necessário pedir ajuda profissional.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1318/Da+gravidez+aos+cuidados+com+o+beb%C3%AA

 

ANNA MEHOUDAR LANÇA O LIVRO “DA GRAVIDEZ AOS CUIDADOS COM O BEBÊ”, NA LIVRARIA DA VILA, DIA 16 DE OUTUBRO

A Summus Editorial e a Livraria da Vila (Vila Madalena-SP) promovem no dia 16 de outubro, terça-feira, das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro “Da gravidez aos cuidados com o bebê”, da psicanalista Anna Mehoudar. Voltada para o parto humanizado e a atenção global à gestante e à família, a obra tem caráter prático e cobre uma vasta gama de assuntos. A livraria fica na Rua Fradique Coutinho, 915 – Vila Madalena – São Paulo – SP.

Com base em sua experiência de mais de 25 anos no atendimento interdisciplinar de gestantes e famílias, Anna criou uma obra fundamental para todos os envolvidos no nascimento de um bebê: mães, pais, avós, profissionais de saúde e educadores. “Da gravidez aos cuidados com o bebê” é um rico manual que trata um tema comum de maneira incomum, com atenção psicológica para cada etapa da gestação e do pós-parto.

No livro, o leitor encontrará informações imprescindíveis sobre as diferentes fases do processo gestacional – das roupinhas que devem ser levadas à maternidade aos sinais de atenção para a depressão pós-parto; dos direitos da gestante às vacinas recomendadas. Tudo permeado pelo olhar experiente de quem já acolheu milhares de pais e mães e realiza um trabalho com obstetras, pediatras, enfermeiros e psicólogos.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1318/Da+gravidez+aos+cuidados+com+o+beb%C3%AA