‘O QUE É A POTÊNCIA ORGÁSTICA, SEGUNDO A TEORIA DO ORGASMO’

Artigo de Regina Navarro publicado originalmente em seu blog
no UOL Universa, em 24/11/2019.

Para o psicanalista austríaco Wilhelm Reich (1897-1957) as enfermidades psíquicas são a consequência do caos sexual da sociedade, já que a saúde mental depende da potência orgástica, isto é, do ponto até o qual o indivíduo pode se entregar e experimentar o clímax de excitação no ato sexual.

Ele tinha total convicção da importância do orgasmo para a saúde física e mental, bem como para evitar as neuroses. A partir da observação de seus pacientes, concluiu que aqueles que passavam a estabelecer relações sexuais mais prazerosas apresentavam melhoria do quadro clínico.

Baseado nisso, Reich desenvolve a teoria do orgasmo, na qual somente a satisfação sexual intensa consegue descarregar a quantidade de libido necessária para evitar a formação de acúmulo de energia, gerador da neurose.

Argumentou que era a total inaptidão dos neuróticos para descarregar a energia sexual, completamente e com satisfação, durante o orgasmo, que criava a obstrução de energia que mantinha viva a neurose.

Ele acreditava que se as sociedades civilizadas permitissem que a vida fosse mais livre, e o ser humano vivesse com mais prazer, muitos problemas emocionais e até mesmo muitas doenças físicas jamais ocorreriam.

O sofrimento para ele é, em princípio, desnecessário, só sendo produzido pelas limitações sociais impostas à vida e à sabedoria do corpo. Até Reich, muitos psicanalistas acreditavam que se um homem tivesse ereção e realizasse o ato sexual era potente. Um distúrbio sexual seria facilmente identificável no homem que sofresse de disfunção erétil, ou na mulher com ausência de orgasmo.

Não era difícil concluir então que os neuróticos poderiam ter uma vida sexual normal. Reich pôs em questão a normalidade e a autenticidade de grande parte daquilo que passa por sexo normal, porque não haveria total descarga da libido durante o ato sexual.

Para ler na íntegra, acesse: https://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2019/10/24/o-que-e-a-potencia-orgastica-segundo-a-teoria-do-orgasmo/

***

Tem interesse pelo assunto? Conheça alguns livros do Grupo Summus que abordam a psicologia reichiana:

NOS CAMINHOS DE REICH
Autor: David Boadella
SUMMUS EDITORIAL

O interesse cada vez maior sobre a vida e o trabalho de Wilhelm Reich é indiscutível. Neste livro, David Boadella, com sua capacidade de exploração e pesquisa, percorre a vida de Reich de maneira profunda e esclarecedora, apresentando-nos verdadeiro tesouro de fatos e interpretações.

SEXO, REICH E EU
Trabalho corporal em psicoterapia – Fundamentos e técnicas
Autor: José Ângelo Gaiarsa
EDITORA ÁGORA

Este texto é uma reflexão sobre questões de sexualidade, no qual o autor faz inclusive depoimentos pessoais, tocantes e honestos.
Embora seja a quinta edição da obra, ela está maior, pois foi acrescida de partes de um outro livro. Para leigos e profissionais da área.

COURAÇA MUSCULAR DO CARÁTER (WILHELM REICH) EDIÇÃO REVISTA
Autor: José Ângelo Gaiarsa
EDITORA ÁGORA

Partindo do pressuposto de que movimentos corporais influenciam nossas atitudes diante do mundo, José Angelo Gaiarsa apresenta ao leitor um profundo estudo a respeito da relação entre corpo e comportamento. Baseando-se em estudos da biomecânica, da cinesiologia, da anatomia e das neurociências, o autor afirma que a forma como agimos ao longo da existência deixa marcas em nossa postura, marcas essas cujo significado psicológico costuma ser negativo. Para tanto, propõe ao fim do volume exercícios de desencouraçamento que liberam os movimentos e nos ajudam a recobrar a espontaneidade.

REICH: O CORPO E A CLÍNICA
Autor: Nicolau Maluf Jr.
SUMMUS EDITORIAL

Esta coletânea desenvolve a noção do ser humano como organismo bio-psíquico. Trata-se de um corpo emocional percorrido por fluxos percebidos como afetos. Esse corpo real, no qual se estabelecem tensões crônicas – as “amarras da personalidade” – constitui terreno fértil para a visualização das teorias reichianas bem como para a prática clínica que elas originam.

REICH
História das Idéias e Formulações para a Educação
Autor: Paulo Albertini
EDITORA ÁGORA

Amplia-se cada vez mais o interesse pela psicologia reichiana e este livro vem atender a uma demanda antiga dos profissionais e estudiosos da área. Partindo de uma análise estrutural e histórica dos escritos reichianos, o autor nos apresenta o desenvolvimento da obra de Reich até 1934 e elabora uma inédita interpretação de suas formulações sobre a educação.

CARACTEROLOGIA PÓS-REICHIANA
Autor: Federico Navarro
SUMMUS EDITORIAL

Este livro retoma e amplia o discurso de Reich sobre a formação e a descrição do caráter, tendo como referência clínica pós-reichiana. O autor esclarece as definições de temperamento e caráter, descreve a caracterialidade vinculada aos bloqueios nos diferentes níveis do corpo e aos actings da vegetoterapia caractero-analítica, bem como os traços energéticos do corpo característicos de cada patologia.

FREUD E REICH: CONTINUIDADE OU RUPTURA?
Autor: Claudio Mello Wagner
SUMMUS EDITORIAL

O objetivo deste livro é verificar se as diferenças entre Freud e Reich, efetivamente, implicam uma ruptura entre ambas as escolas ou se podem ser superadas. O fio condutor do pensamento do autor é a análise dessas diferenças, revelando que em muitas circunstâncias os motivos responsáveis pela ruptura foram muito menos de caráter teórico, mas resultado de atitudes políticas ou pessoais.

‘EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS É NECESSÁRIA PARA QUE O SEXO NÃO SEJA REPRIMIDO’

Artigo de Regina Navarro publicado originalmente em seu blog no UOL Universa,
em 09/01/2019.

Pesquisa Datafolha, feita com 2077 pessoas em 130 municípios, perguntou aos brasileiros sobre dois temas: educação sexual e discussão política em sala de aula. A conclusão foi de que 54% concordam com educação sexual nas escolas e 71% acreditam que assuntos políticos devem ser abordados.

Escolhi o primeiro tema para tratar aqui. A educação sexual nas escolas é fundamental, na medida em que contribui para evitar gravidez precoce, DSTs, homofobia e violência contra a mulher. O debate com os alunos pode contribuir, e muito, para a diminuição dos preconceitos e a maior aceitação da diversidade.

Desde cedo as crianças aprendem que todas as ofensas e xingamentos estão ligados ao sexo. A partir daí concluir que sexo é algo sujo e perigoso é o caminho mais comum. A consequência na vida adulta é a grande quantidade de pessoas que sofrem com seus medos, culpas, dúvidas, frustrações e disfunções sexuais.

O psicoterapeuta e escritor José Ângelo Gaiarsa dizia que sexo reprimido é liberdade reprimida e acrescentava: “O sexo é responsável pela maior perseguição na área dos costumes humanos e o maior mistério diante do óbvio. Todas as forças repressoras de todas as épocas se voltaram sistematicamente contra a sexualidade humana”.

Um bom exemplo é o que ocorreu, há pouco mais de um ano, quando 150 pais indignados fizeram um abaixo-assinado e o entregaram ao Ministério Público de Rondônia. Eles queriam a retirada de um livro escolar da 8ª série que tem ilustrações de um pênis, autoexame de mama e do órgão reprodutor feminino, na cidade de Ji-Paraná (RO).

Sem ser percebida como tal, a repressão sexual vai se instalando e condiciona o surgimento de valores e regras para controlar a sexualidade das pessoas. Tudo isso passa a ser visto como natural, fazendo parte da vida, o que causa grandes prejuízos.

Para ler na íntegra, acesse: https://reginanavarro.blogosfera.uol.com.br/2019/01/09/educacao-sexual-nas-escolas-e-necessaria-para-que-o-sexo-nao-seja-reprimido/

***

Conheça alguns dos livros do já falecido psicoterapeuta José Ângelo Gaiarsa, mencionado no artigo:

 

AMORES PERFEITOS

Para J. A. Gaiarsa, um dos maiores críticos da família e da hipocrisia social que a cerca, o conjunto de regras que obedecemos desde que nascemos – regras essas que transmitimos a nossos filhos mesmo tendo sofrido com elas – só serve a um propósito: o da opressão. Neste livro, ele mostra que o amor não pode ficar restrito a determinadas amarras. Prepare-se para rever todos os seus (pre)conceitos sobre fidelidade, família, relacionamentos e felicidade.

 

SEXO: TUDO QUE NINGUÉM FALA SOBRE O TEMA

Como o próprio título indica, e sendo o autor quem é, este livro fala sobre intimidades, em linguagem permitida apenas com o espelho ou pessoas muito íntimas. A intenção era essa mesmo: ajudar o leitor a despir suas máscaras sociais e refletir com honestidade sobre sua própria sexualidade, que inclui o corpo a corpo e a afetividade.

 

EDUCAÇÃO FAMILIAR E ESCOLAR PARA O TERCEIRO MILÊNIO

Gaiarsa combate aqui a idéia de que o indivíduo nasce com aptidões mínimas de aprendizado. Ao contrário, a revolução pedagógica proposta pelo autor fundamenta-se em que toda criança, ao nascer, é um gênio potencial; aprender vai muito além de palavras; durante a infância são incutidas no indivíduo grande parte das perturbações mentais, psiconeuróticas e psicossomáticas que conhecemos. Obra indicada para psicólogos, educadores e leigos.

 

SOBRE UMA ESCOLA PARA O NOVO HOMEM

Aqui o autor ajuda a questionar (e demolir!) o sistema educacional brasileiro, que, segundo ele, é arcaico e reacionário. Educar significa conduzir, diz ele, e a escola não está cumprindo seu papel. Além de críticas, o livro traz idéias e propostas para humanizar o ensino e ajudar as crianças a se prepararem para um mundo diferente.

 

A FAMÍLIA DE QUE SE FALA E A FAMÍLIA DE QUE SE SOFRE
O livro negro da família, do amor e do sexo

Ardoroso defensor da criança em estado puro – ou seja, sem a intervenção maléfica dos adultos –, José Angelo Gaiarsa analisa nesta obra, em edição revista, como transformamos um ser pleno de possibilidades em um indivíduo mesquinho, preconceituoso e frustrado.

A fim de inspirar novas leis sobre a família e provocar no leitor reflexões sobre seu modo de agir diante dos filhos e da vida, o autor propõe o resgate do prazer, da amorosidade e da espontaneidade para aprimorar os relacionamentos. Afinal, diz ele, “a finalidade primeira de qualquer civilização amante da vida é empenhar-se por inteiro para que a geração seguinte seja definitivamente melhor, oferecendo a todo ser humano recém-nascido tudo de que ele precisa e todos de que precisa”.

 

DENISE DE CASTRO AUTOGRAFA “O MÉTODO CORPO INTENÇÃO” NA LIVRARIA DA VILA, EM SÃO PAULO

Denise de Castro em noite de autógrafos de seu livro recém-lançado pela Summus Editorial, O método Corpo Intenção – Uma terapia corporal da prática à teoria.       O evento ocorreu no dia 27 de outubro, na Livraria da Vila do Shopping Pátio Higienópolis.

carlos-eduardo-correa-caca-importante-pediatra-com-abordagem-humanizada-para-atendimento-de-bebes-e-criancas-com-a-autora-denise-de-castrotadeu-jungle-diretor-de-cinema-e-tv-e-autora-denise-de-castroo-empresario-hugo-bethlem-e-esposa-laura-bethlem-com-denise-de-castro

marco-aurelio-nogueira-cientista-politico-e-sua-esposa-peia-souza-dias-educadora-ao-lado-da-autora-denise-de-castrojorge-khun-e-ginecologista-e-obstetra-referencia-do-parto-humanizado-e-a-autora-denise-de-castrojayme-garfinkel-presidente-do-conselho-de-administracao-da-porto-seguro-s-a-e-sua-mulher-monica-sampaio-com-a-autora-do-livro-denise-de-castro
rafael-terpins-fez-a-ilustracao-do-livro-ao-lado-da-autora-denise-de-castroa-filosofa-e-terapeuta-regina-favre-com-denise-de-castro

 

 

 

 

 

 

 
………………………..

 

…..

 

…………………………

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/9788532310521

 

 

 

ÁGORA LANÇA EDIÇÃO REVISTA DE “AMORES PERFEITOS”, DE J.A.GAIARSA

José Ângelo Gaiarsa foi um dos maiores críticos da família e da hipocrisia social que a cerca. Para ele, um número enorme de regras que obedecemos desde que nascemos – e que transmitimos a nossos filhos mesmo tendo sofrido com elas – só serve a um propósito: o da opressão.

No livro Amores perfeitosque chega às livrarias em 17ª edição revista pela Editora Ágora – ,  ele mostra que o amor não pode ficar restrito a determinadas amarras e revela todos os seus (pre)conceitos sobre fidelidade, família, relacionamentos e felicidade. Gaiarsa, que faleceu em 2010, propõe uma nova forma de cooperação e união e defende: o amor é um só. Dividir e classificar os “tipos” de amor, segundo ele, condiciona os relacionamentos e seria consequência direta da intromissão da família nos envolvimentos afetivos: “Só o amor pode nos humanizar, e a família é o principal obstáculo à expansão do amor entre as pessoas”, avalia o autor.

Para Gaiarsa, a família monogâmica não se constituiu nem para a felicidade nem para a realização pessoal. “Para surpresa de muitos, o ambiente familiar – pai, mãe e filho – está longe de ser a melhor influência na formação da criança”. Escudando-se no objetivo de prover segurança, diz o autor, a família se põe sempre a favor do sistema vigente, fazendo-se a primeira e a mais fundamental instância repressora – a fim de preparar o ser humano para o mundo. Não raro, entretanto, isso acontece com pouco respeito ao amor individual e ao desenvolvimento global.

Com uma linguagem direta, o autor mostra as funções não reprodutoras da sexualidade e o quanto ela pode ser benéfica para a vida em sociedade. Entre outros exemplos, ele cita inclusive o comportamento dos animais. “Quanto mais diferenciado o grupo animal, maior a proximidade permanente entre machos e fêmeas, independentemente do cio. O sexo, mesmo entre os primatas, parece estar de algum modo se sublimando em contato carinhoso, carícia, aconchego e prazer”, de acordo com o autor. As vantagens são a presença de mais solidariedade, mais disposição para a cooperação e menos agressividade no grupo.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1354/Amores+perfeitos