ISBN: 9788571838772

Codependência

O transtorno e a intervenção em rede

Autor(es): Maria Aparecida Junqueira Zampieri

Este é o resultado de um trabalho de sistematização. Ele aprofunda conceitos de psicopatologia, de desenvolvimento humano e prática metodológica de trabalhos científicos. Seu objetivo é o de estudar formas de intervenção que possam favorecer o sujeito para que atue efetivamente com seu grupo, priorizando o indivíduo em seu contexto familiar e social. É um profundo estudo sobre a questão da codependência.

Em estoque

R$94,50

ISBN: 9788571838772

Assuntos: , , ,

Editora: Editora Ágora

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:

Detalhes do Livro

ISBN 9788571838772
REF: 20877
Edição 2
Ano 2004
Nº de Páginas 288
Peso 0.3 kg
Formato 14 × 21 cm

Maria Aparecida Junqueira Zampieri


Mais conhecida no meio psicodramático como Tina Zampieri, nasceu em 1952 em Monte Aprazível, no Estado de São Paulo. Terceira entre dez irmãos, criada em trama familiar extensa e afetiva, suas primeiras experiências marcantes vêm do convívio com pessoas das mais variadas origens, inclusive índios, nas margens do Araguaia, em Goiás, onde passava suas férias. Lá entrou em íntimo contato com a cultura popular, com a psicologia e com a problemática do povo brasileiro. Formou-se primeiro em Física, na Universidade Federal de São Carlos, e depois em Psicologia, pela Unorp – Centro Universitário do Norte Paulista. Especializou-se em psicodrama e terapia de casal e família. Atualmente, é mestranda na Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Coerente com sua formação, Tina tem duas áreas de atividade distintas: em clínica e como assessora de municípios e empresas, trabalhando com populações variadas – como famílias de pequenos agricultores assentados pela Cesp, por exemplo. A investigação sobre codependência teve início há sete anos, em grupos de auto-ajuda e em uma instituição para tratamento de dependentes de drogas. Hoje, essa atividade se estende a municípios e centros de saúde. 

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Codependência”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…

Soltar as muletas

Um olhar diferente sobre as drogas e a adição
Hermann Schreck Malgor
R$67,90

Em estoque

Em 18 de junho de 1971, o então presidente dos Estados Unidos Richard Nixon declarou que a guerra às drogas – ilícitas, que fique bem claro – deveria ser prioridade em seu país. A partir de então, diversas nações do mundo, em maior ou menor grau, entraram nessa cruzada, que continua até hoje. No entanto, ao contrário do que se esperava, seus resultados são bastante questionáveis: aumento do consumo de drogas, explosão do número de mortes ligadas ao tráfico e enriquecimento estratosférico dos narcotraficantes. Por outro lado, substâncias consideradas legais – como tabaco, álcool e medicamentos controlados – continuam a provocar estragos na vida de centenas de milhares de pessoas. Os dependentes químicos são cada vez mais estigmatizados, ao mesmo tempo que o Estado e a sociedade os desprezam e ignoram. Quando não estão abandonados à própria sorte, são confrontados com ações compulsórias de tratamento e reclusão, em vez de usufruir de políticas públicas que lhes permitam recuperar a dignidade e a vontade de viver.Voz dissonante nesse campo, o psicólogo uruguaio Hermann Schreck Malgor analisa profundamente a questão da adição de outro viés: o de que as drogas não são o problema, mas a solução que os dependentes encontraram, naquele momento, para sobreviver a um intenso sofrimento emocional. Com ampla experiência clínica, baseada nos ensinamentos da Gestalt-terapia, o autor apresenta diversos relatos de casos em que a adição foi superada não mediante a abstinência ou a reclusão, mas quando dores antigas foram ouvidas, validadas e curadas. Em capítulos curtos e inteligentes, ele utiliza uma linguagem fluida e não técnica para nos trazer verdades extremamente incômodas, que nos farão questionar diversos paradigmas que repetimos há décadas quando o assunto é drogas.