ISBN: 9788585689810

Dislexia em questão, A

Autor(es): Giselle Massi

A obra problematiza o reconhecimento da dislexia como distúrbio ou dificuldade de aprendizagem da escrita. Discutindo a inconsistência etiológica e sintomatológica desse suposto distúrbio, bem como a fragilidade das formas de diagnosticá-lo, a autora analisa casos de sujeitos rotulados como portadores de dislexia e mostra que eles – ao contrário dos rótulos que carregam – estão em pleno processo de construção da escrita.

Em estoque

R$84,60

ISBN: 9788585689810

Assuntos: ,

Editora: Plexus Editora

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:

Detalhes do Livro

ISBN 9788585689810
REF: 60081
Edição 3
Ano 2007
Nº de Páginas 256
Peso 0.35 kg
Formato 14 × 21 cm

Giselle Massi


É fonoaudióloga, mestre e doutora em Lingüística pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), docente do curso de graduação em Fonoaudiologia e da pós-graduação em Distúrbios da Comunicação da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Realiza projetos de pesquisa e intervenção relacionados à linguagem escrita. Dentre suas produções, destaca-se a participação nos livros Letramento: referências em saúde e educação, Linguagem escrita: referenciais para a clínica fonoaudiológica e Abordagens grupais em fonoaudiologia – contextos e aplicações, é ainda autora do livro A dislexia em questão, todos publicados pela Plexus. Seu e-mail: giselle.massi@utp.br

Leia o sumário e as primeiras páginas deste livro abaixo ou, se preferir, faça o download do PDF

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [68.24 KB]

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Dislexia em questão, A”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…

TDAH e medicalização

Implicações neurolinguísticas e educacionais do Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade
Ana Paula Santana
Rita Signor
R$68,80

Em estoque

Esta obra representa uma significativa contribuição a um debate que tem mobilizado pais, educadores, estudantes e profissionais de saúde: o Transtorno de Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDAH) e a medicalização da educação. Medicalizar significa transformar aspectos de ordem social, pedagógica, cultural e afetiva em doença (transtorno, distúrbio). Partindo dessa realidade inquietante, Rita Signor e Ana Paula Santana mostram os problemas de deixar de lado o contexto social e a história de cada criança ao avaliá-la, apontando o papel da formação dos profissionais (de educação e saúde) na produção do chamado TDAH. Seguindo esse entendimento, as autoras questionam a qualidade do ensino no Brasil, o excesso de diagnósticos voltados ao campo educacional, os testes padronizados da área da saúde, o crescente consumo de medicamentos e as políticas públicas, entre outros fatores que legitimam o fenômeno da medicalização. Amparadas na perspectiva sócio-histórica, refletem sobre essas e outras questões neste livro corajoso e pioneiro, que conta também com dois estudos de caso que comprovam que a afetividade do educador e o trabalho interdisciplinar na escola podem mudar o futuro de muitos adolescentes e crianças.