Sara de Sousa

Terapeuta ocupacional pela Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto (ESS‑IPP);
mestre em Psiquiatria e Saúde Mental pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto; doutora em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (FPCEUP); diretora de sociodrama e sociodidata pela Sociedade Portuguesa de Psicodrama; terapeuta ocupacional
no serviço de Psiquiatria do Centro Hospitalar Universitário de São João; professora‑adjunta na Escola Superior de Saúde do Politécnico do Porto (ESS‑IPP); pesquisadora do Laboratório de Reabilitação Psicossocial da ESS‑IPP e da FPCEUP; pós‑graduada em Gestão e Direção de Unidades de Saúde pela Porto Executive Academy do Instituto Politécnico do Porto.

Livros deste autor

Exibindo um único resultado

Pedagogia psicodramática

Uma proposta de metodologia ativa de Maria Alicia Romaña
Alcione Ribeiro Dias
Camila Tyrrell Tavares
Cristiane Tavares Romano
e mais 13 autores
R$81,80

Organizado por Maria Aparecida Fernandes Martin e Maisa Helena Altarugio, este livro visa divulgar o trabalho da psicodramatista argentina Maria Alicia Romaña, que desenvolveu a pedagogia psicodramática. Os três primeiros capítulos resgatam aspectos históricos e conceituais do psicodrama e da pedagogia psicodramática, versando sobre a relação de J. L. Moreno com a educação, aspectos da vida e da obra de Romaña e os diálogos possíveis entre a pedagogia psicodramática e as metodologias ativas. Os onze capítulos restantes refletem sobre experiências realizadas pelos autores, que, como diretores, deixaram marcas reais, simbólicas e imaginárias no público que as vivenciou. Alguns dos assuntos abordados são: o papel social e psicodramático do professor; o método educacional psicodramático e o protagonismo do educando; o jogo dramático como instrumento na sala de aula; o papel do professor na produção de uma consciência crítica; a pedagogia psicodramática como metodologia ativa na formação de professores; jogos dramáticos nas aulas online; o role-playing como proposta pedagógica; o sociodrama como facilitador do desenvolvimento do papel profissional, e a neurociência e o aprendizado com psicodrama. Por fim, como sugerido por Maria Alicia, em nome da construção coletiva do conhecimento, o leitor é convidado a compartilhar suas experiências, impressões e sentimento sobre a obra.