ISBN: 9788532301307

Quando eu voltar a ser criança

Autor(es): Janusz Korczak

Um belo texto sobre a infância, a escola, os professores, escrito por um grande educador polonês. Livro cheio de ternura e verdade,amargo e áspero quando necessário. Leitura obrigatória para todos os que quiserem entender melhor a criança.

Essa edição foi substituída por uma nova revista e atualizada que pode ser acessada aqui:

Quando eu voltar a ser criança – Edição revista

 

ISBN: 9788532301307

Assunto:

Coleção: Novas Buscas em Educação

Editora: Summus Editorial

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:

Detalhes do Livro

ISBN 9788532301307
REF: 10130
Edição 17
Ano 1981
Nº de Páginas 160
Peso 0,2 kg
Formato 14 × 21 cm

Janusz Korczak


Janusz Korczak

Janusz Korczak, pseudônimo de Henryk Goldszmit, foi pediatra, pedagogo, jornalista, escritor e ativista polonês e dedicou a vida à causa das infâncias. Nasceu em Varsóvia, em 1878, no seio de uma próspera família judaica. Formou‑se em Medicina pela Universidade de Varsóvia e se notabilizou por seu trabalho de atendimento a crianças carentes e órfãs. Fundou o orfanato Dom Sierot, onde colocou em prática sua visão revolucionária de uma educação baseada na democracia, na autogestão e no direito das crianças à liberdade e a uma vida digna. Escreveu muitos livros, dentre os quais se destacam Quando eu voltar a ser criança, de 1926, e O direito da criança ao respeito, de 1929. Durante a ocupação nazista na Polônia, seu orfanato funcionou dentro do gueto de Varsóvia e abrigou cerca de 200 crianças judias. Morreu em 1942, assassinado junto com elas, no campo de extermínio de Treblinka.

Leia o sumário e as primeiras páginas deste livro abaixo ou, se preferir, faça o download do PDF

No Url Found

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Quando eu voltar a ser criança”

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode gostar de…

Direito da criança ao respeito, O

Dalmo de Abreu Dallari
Janusz Korczak

Dois grandes nomes refletem sobre o mesmo tema. Longe de se fixar em visões idealistas, os autores abordam o tema com realismo e coerência. Estabelecem critérios de validade permanente para o nosso relacionamento com crianças. O resultado é um livro vigoroso, profundo, rico de considerações humanas, pedagógicas, sociais. Texto fundamental para pais, educadores, psicólogos, e todos que quiserem melhor compreender a criança, especialmente numa época em que o problema do menor assume uma importância como jamais teve antes.

Essa edição foi substituída por uma nova revista e atualizada que pode ser acessada aqui:

Direito da criança ao respeito, O – Edição revista

 

 

Música, inspiração e criatividade

Uma linguagem universal
Jon-Roar Bjørkvold
R$96,70

Baseando-se em pesquisas de campo realizadas em diversos países e em estudos nas áreas da musicologia, das neurociências e da comunicação, Jon-Roar Bjørkvold mostra que essa linguagem única permeia a existência do ser humano do útero da mãe ao momento em que ele dá seu último suspiro. Mas se engana quem pensa que se trata de uma obra excessivamente árdua e teórica. Profundo questionador da escola tradicional, suas propostas pedagógicas foram adotadas pelo governo da Noruega e de diversos outros países. Muito mais que um livro de pedagogia, muito mais que um livro de pedagogia musical: este é um manifesto em defesa da espontaneidade e da criatividade que movem o ser humano desde a mais tenra infância.

Quando eu voltar a ser criança – Edição revista

Janusz Korczak
R$74,70

Quando eu voltar a ser criança é a história de um professor que, cansado dos dissabores da vida, volta no tempo e passa a ver e a sentir o mundo com olhos e coração de criança, mas retendo suas memórias de adulto. Com sensibilidade, delicadeza e ternura, Janusz Korczak nos convida a acompanhar situações do cotidiano dessa criança de dez anos — em casa, na escola, na rua; como filho, irmão, aluno, amigo —, compartilhando conosco os sentimentos e as reflexões que as experiências vividas despertam no menino e no adulto que a habitam. Mais do que uma obra de ficção, este livro é um ensaio sobre como é ser criança num mundo feito por e para adultos, e uma comovente apologia do direito das crianças a uma vida livre e feliz. Publicado em 1926, continua atual e extremamente necessário.