ISBN: 9786555490725

Quando eu voltar a ser criança – Edição revista

Autor(es): Janusz Korczak

Quando eu voltar a ser criança é a história de um professor que, cansado dos dissabores da vida, volta no tempo e passa a ver e a sentir o mundo com olhos e coração de criança, mas retendo suas memórias de adulto. Com sensibilidade, delicadeza e ternura, Janusz Korczak nos convida a acompanhar situações do cotidiano dessa criança de dez anos — em casa, na escola, na rua; como filho, irmão, aluno, amigo —, compartilhando conosco os sentimentos e as reflexões que as experiências vividas despertam no menino e no adulto que a habitam. Mais do que uma obra de ficção, este livro é um ensaio sobre como é ser criança num mundo feito por e para adultos, e uma comovente apologia do direito das crianças a uma vida livre e feliz. Publicado em 1926, continua atual e extremamente necessário.

R$74,70

Calcular Frete
Forma de Envio Custo Estimado Entrega Estimada
ISBN: 9786555490725

Assuntos: , , , ,

Editora: Summus Editorial

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:



Detalhes do Livro

ISBN 9786555490725
REF: 12072
Edição 18
Ano 2022
Nº de Páginas 200
Peso 0,249 kg
Formato 0,90 × 14 × 21 cm

Janusz Korczak


Janusz Korczak

Janusz Korczak, pseudônimo de Henryk Goldszmit, foi pediatra, pedagogo, jornalista, escritor e ativista polonês e dedicou a vida à causa das infâncias. Nasceu em Varsóvia, em 1878, no seio de uma próspera família judaica. Formou‑se em Medicina pela Universidade de Varsóvia e se notabilizou por seu trabalho de atendimento a crianças carentes e órfãs. Fundou o orfanato Dom Sierot, onde colocou em prática sua visão revolucionária de uma educação baseada na democracia, na autogestão e no direito das crianças à liberdade e a uma vida digna. Escreveu muitos livros, dentre os quais se destacam Quando eu voltar a ser criança, de 1926, e O direito da criança ao respeito, de 1929. Durante a ocupação nazista na Polônia, seu orfanato funcionou dentro do gueto de Varsóvia e abrigou cerca de 200 crianças judias. Morreu em 1942, assassinado junto com elas, no campo de extermínio de Treblinka.

Leia o sumário e as primeiras páginas deste livro abaixo ou, se preferir, faça o download do PDF

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [482.45 KB]

Você também pode gostar de…

Direito da criança ao respeito, O – Edição revista

Dalmo de Abreu Dallari
Janusz Korczak
R$53,00

Este livro reúne dois ensaios em defesa dos direitos das crianças. O primeiro, “O direito da criança ao respeito”, foi escrito em 1929 pelo pediatra, pedagogo e jornalista polonês Janusz Korczak, de tradição judaica. O segundo, intitulado “Os direitos da criança”, foi escrito em 1986 por Dalmo de Abreu Dallari, jurista e educador brasileiro, de tradição católica. Os dois autores, distantes no tempo e no espaço, tiveram a vida marcada pela oposição a regimes opressores – o nazismo na Europa e a ditadura civil-militar no Brasil – e têm em comum um olhar de profundo respeito pela criança e pela infância. O prefácio da obra é do reverendo Jaime Wright, que teve papel fundamental na defesa dos direitos humanos em nosso país. O livro conta, ainda, com uma versão condensada dos dez princípios da Declaração Universal dos Direitos da Criança, de 1959. Obra essencial para iluminar as discussões sobre a proteção à infância em nossos dias.

Janusz Korczak

Uma vida em defesa da infância
Sarita Mucinic Sarue
R$56,10

No início do século 20, quando a educação de crianças ainda apresentava características medievais – castigos físicos, humilhações de toda sorte e um grande descaso para com a infância –, um pediatra e escritor judeu-polonês resolveu mudar a realidade de centenas de órfãos de seu país. Janusz Korczak concebeu na Polônia um orfanato em que as crianças tinham os direitos dos adultos e a educação se dava democrática e respeitosamente. Muitas das ideias hoje implantadas em escolas do mundo todo surgiram ali. O orfanato Dom Sierot era visitado por educadores de vários países, ávidos por compreender e aplicar a revolução pedagógica de Korczak. Porém, a partir de 1933, com a ascensão do nazismo na Alemanha – e mais tarde na Europa –, tudo mudou drasticamente. Perseguido por ser judeu, Korczak foi confinado com seus pupilos e os educadores do Dom Sierot no gueto de Varsóvia. Chegou recusar as ofertas para deixar a Polônia para não abandonar aqueles que tanto precisavam dele. Em agosto de 1942, caminhou com as crianças até os vagões de gado que os conduziriam às câmeras de gás de Treblinka. A história de Janusz Korczak é contada neste livro.

Infância, liberdade e acolhimento

Experiências na educação infantil
Tânia Campos Rezende
Vitória Regis Gabay de Sá
R$99,90

Nos últimos anos, o tema da educação infantil ganhou destaque na mídia e na universidade. Cada vez mais se defende que a criança cresça num ambiente desafiador e, ao mesmo tempo, acolhedor e amoroso. Respaldadas por sua experiência de mais de 30 anos como educadoras, Tânia Rezende e Vitória Gabay de Sá apresentam neste livro a experiência vívida de uma escola baseada nesses princípios. Em linguagem leve e acessível, as autoras conjugam teoria e prática utilizando uma ampla bibliografia, as leis nacionais mais atuais e relatos de casos. Destinada a estudantes de Pedagogia, professores da educação infantil, pais e profissionais que lidam com a infância, a obra aborda temas fundamentais da área, como:• a medicalização indiscriminada das crianças pequenas; • a imposição cada vez maior de conteúdos em detrimento do tempo de brincadeira; • a dificuldade de lidar com alunos considerados difíceis; • os conflitos inerentes à relação entre pais e educadores; • os conceitos errôneos a respeito da inclusão de alunos com distúrbios físicos e/ou psíquicos.

De volta ao Quintal Mágico

A educação infantil na Te-Arte
Dulcilia Schroeder Buitoni
R$99,90

A conhecida escola da Tê, da educadora Thereza Soares Pagani, é o tema desta obra na visão de uma jornalista, mãe de ex-alunos. Este livro apresenta a metodologia da escola e o seu dia a dia. Mostra também a mudança para sede própria e a chegada de uma nova geração de cuidadores que atuam, cada um a seu modo, sob o olhar vigilante e as diretrizes de Therezita.

Drama da criança bem-dotada, O – Edição revista e ampliada

A busca do verdadeiro eu
Alice Miller
R$58,90

Quando crianças, muitos de nós aprendemos a esconder nossos sentimentos e necessidades para corresponder às expectativas de nossos pais e, desse modo, garantir o “amor” deles. Segundo Alice Miller, esse dom de se adaptar é uma estratégia de sobrevivência diante dos abusos sofridos na infância, e tem um custo: a supressão do próprio eu. É com base nessa compreensão que a autora examina os efeitos duradouros dos traumas de infância, que se traduzem em sentimentos de vazio e alienação. Ilustrado com relatos de pacientes, trechos de diários pessoais e excertos literários, este livro ajuda o leitor a reconhecer as próprias emoções e necessidades e descobrir sua verdade interior. Esta nova edição inclui um posfácio escrito pela autora e, ainda, o texto “As raízes da violência”, inédito em português, em que Miller faz um resumo das consequências trágicas da violência contra a criança.

Autogestão na sala de aula

As assembleias escolares
Ulisses F. Araújo
R$47,10

Depois de conceituar a educação baseada na resolução de conflitos, esta obra oferece um guia prático para implantar as assembleias escolares, incluindo os passos a serem seguidos na promoção das assembleias de classe, de escola, de docentes e dos fóruns escolares. Por fim, dá voz aos sujeitos que já vivenciaram as assembleias, mostrando as mudanças vividas nas relações escolares e sua contribuição para a ética e a cidadania.

Summerhill

Uma infância com liberdade
Matthew Appleton
R$99,90

Fundada na Inglaterra em 1921 por Alexander Neill, Summerhill ficou conhecida como a escola mais livre do mundo. Nela, as crianças são encorajadas a tomar decisões e a desenvolver-se a seu ritmo. As aulas não são obrigatórias e os alunos podem escolher as matérias que desejam estudar. Baseado em diversos conceitos de seu amigo Wilhelm Reich, Neill acreditava que os aspectos emocionais dos seres humanos eram mais importantes que quaisquer outros, paradigma que predomina na instituição até hoje. Ao longo dos anos, Summerhill consolidou-se como uma escola democrática, onde crianças, adolescentes e adultos convivem em nível de igualdade e aprendem que o conceito de liberdade implica responsabilidade e empatia. Criticada por muitos, adorada por outros, mas sempre envolta em mitos, Summerhill é retratada neste livro por alguém que lá viveu por quase uma década. Trabalhando como pai – espécie de cuidador – de dezenas de alunos, Matthew Appleton aprendeu valiosas lições, que compartilha aqui com os leitores. Da dificuldade de manter a privacidade às assembleias democráticas, do desabrochar das crianças às mudanças constantes de regras e à autorregulação, Appleton constrói um rico relato, mostrando inclusive as tentativas do Ministério da Educação inglês de fechar a escola. E, claramente, toma posição: Summerhill é para ele, de fato, o melhor lugar para promover uma infância com liberdade.