Parcial de matéria publicada no gay.blog.br, em 22 de março de 2020

Dácio Pinheiro, que também dirigiu o curta-metragem “Couture”, está disponibilizando o filme em streaming por tempo limitado

Lançado no Frameline Film Festival em 2009, o filme brasileiro “Meu Amigo Claudia” é dirigido por Dácio Pinheiro e conta a trajetória da travesti Claudia Wonder, conhecida na cena cultural paulistana dos anos 1980. No Brasil, o documentário teve o debut no 17º Festival Mix Brasil, onde venceu como Melhor Documentário pela escolha popular.

Além de reunir depoimentos e material de época da ativista, atriz, cantora e travesti Claudia Wonder, o filme faz um paralelo da história do país nos últimos 30 anos.

Dácio Pinheiro, que também dirigiu o curta-metragem “Couture”, está disponibilizando o filme em streaming por tempo limitado em apoio à autoquarentena ao coronavírus. Para assistir “Meu Amigo Claudia”, entre em neste link

CLAUDIA WONDER

Claudia Wonder (São Paulo, 15 de fevereiro de 1955 — São Paulo, 26 de novembro de 2010) foi uma artista performer, escritora, cantora-compositora, colunista e militante travesti brasileira pelos Direitos LGBT. Claudia logo cedo descobriu sua identidade de gênero. Ainda na adolescência, começou a frequentar a noite e a se inserir no contexto transgênero, sendo contemporânea dos grandes nomes do undergound paulistano, como Andréa de Mayo, Thelma Lipp, Nana Vogel, Brenda Lee, Roberta Close, Janaína Dutra, entre outras.

Ícone da cena underground, começou sua carreira artística fazendo shows em boates e logo estreou no teatro e no cinema. Ainda adolescente contracenou com grandes nomes nacionais, entre eles, Tarcísio Meira e Raul Cortez. Nos anos 1980 descobriu sua veia musical e estreou como letrista e vocalista da banda de rock Jardins das Delícias, com o show “O Vomito do Mito”, no lendário clube paulistano Madame Satã. Depois formou a banda Truque Sujo e obteve sucesso junto a critica musical e ao público.

No final da década de 80 mudou-se para a Europa e lá ficou durante onze anos, onde trabalhou em shows e depois como empresária na área da estética (a artista tinha formação como cabeleireira e maquiadora). De volta ao Brasil, retomou a carreira artística, participando de duas coletâneas musicais em CD “Melopeia”, do selo Rotten e “Sonetos do poeta Glauco Mattoso”, musicados por vários artistas, entre eles, Arnaldo Antunes e Itamar Assumpção. Para esse trabalho Claudia musicou o “Soneto Virtual”, no qual faz dueto o cantor Edson Cordeiro, seu amigo. Participou ainda da primeira coletânea de electronacional no CD Body Rapture, do selo Lua Music, com a música “Tônica do Haligalle”, e em setembro de 2007 lançou seu primeiro CD solo FunkyDiscoFashion, pelo mesmo selo.

A artista também lançou o livro intitulado Olhares de Claudia Wonder – Crônicas e Outras Histórias em agosto de 2008 pelas Edições GLS do Grupo Editorial Summus. Em junho de 2009, protagonizou o documentário “Meu Amigo Claudia”, do cineasta Dácio Pinheiro, o qual conta sua trajetória e cuja première foi no Frameline Lesbian and Gay Film Festival of San Francisco, na Califórnia.

Em virtude de sua identidade de gênero, por várias vezes foi detida, sexualmente molestada e enxotada de lugares. Segundo ela mesma revelou em entrevista, chegou a ser comparada aos mais perversos marginais “simplesmente por ser diferente das outras pessoas”. Isso lhe causou grande revolta e ela fez de sua revolta o motor para lutar contra o que considerava uma barbárie. Um de seus feitos foi ter conseguido fazer shows e frequentar as páginas culturais de jornais e revistas mesmo em plena Ditadura Militar.

Ícone da comunidade LGBT, foi escolhida como abre-alas da Parada do orgulho LGBT de São Paulo de 2001, além de madrinha do Festival Mix Brasil de Cinema e Vídeo da Diversidade Sexual, e foi incluída numa lista das 24 personalidades que marcaram 2010. Foi também coordenadora do Grupo de Estudos da identidade de Gênero “Flor do Asfalto” e trabalhou como colunista e repórter da revista G Magazine e do site G online até 2008. Militante fervorosa, Cláudia ainda trabalhava como monitora de abordagem e comunicação do Centro de Referência da Diversidade, no projeto “Cidade Inclusiva”, uma parceria da prefeitura da cidade de São Paulo com a União Europeia.

(…)

Para ler a matéria na íntegra, acesse https://gay.blog.br/cultura/filmes-tv-e-series/documentario-meu-amigo-claudia-entra-para-lista-de-filmes-disponiveis-durante-a-quarentena/

***

Conheça o livro de Claudia Wonder, publicado pelas Edições GLS:

OLHARES DE CLAUDIA WONDER
Crônicas e outras histórias
Autora: Claudia Wonder
EDIÇOES GLS

O livro da multimídia Claudia Wonder reúne textos, crônicas e histórias publicados na mídia nacional. A compilação apresenta o multifacetado e fino olhar da atriz, cantora, militante, colunista e diva-trans-cult, revelando a sofisticada diversidade criativa e criadora de uma leitura de mundo sui generis e inédita no mercado editorial brasileiro.

Entre com seu e-mail para receber ofertas exclusivas do Grupo Summus!
shares
X