REPORTAGEM DA REVISTA ISTOÉ CITA O LIVRO “A TV NO ARMÁRIO”

A edição 2303 da revista IstoÉ, publicada em 15 de janeiro, deu destaque para o livro A TV no armário (Edições GLS), do jornalista Irineu Ramos Ribeiro. A reportagem, intitulada “Um personagem contra o preconceito” – capa da edição – mostra como a atuação do ator Mateus Solano, 30057na novela Amor à vida, colocou o debate sobre a homossexualidade nos lares brasileiros. Leia a reportagem na íntegra: http://goo.gl/nwpdNB.

Em pleno século XXI, os meios de comunicação ainda abordam a questão da homossexualidade de forma preconceituosa. Embora se esforcem para ser “politicamente corretos”, na prática, são incapazes de lidar com a diferença. Para Ribeiro, a mídia, em geral, aponta a sexualidade com deboche, discriminação e caricaturização. No livro A TV no armário, ele analisa diversos aspectos do tratamento dado aos gays na programação humorística, em telejornais e em novelas, demonstrando as diversas formas pelas quais o preconceito é estimulado. Baseando-se no pensamento de Michel Foucault e noções da teoria queer, ou teoria do estranhamento, o autor comprova que a televisão brasileira acaba transmitindo valores negativos, depreciativos e caricatos no que se refere aos gays. “Está na hora de mudar de rumo”, afirma, lembrando que a mídia tem um papel determinante na formação de identidade.

Fruto de ampla pesquisa, desenvolvida durante dois anos, incluindo também a observação de toda a programação de TV, a obra abre caminhos para problematizar a maneira pejorativa como a comunidade LGBT é retratada na telinha. Ribeiro mostra, em quatro capítulos, que os meios de comunicação ainda precisam percorrer um longo caminho para retratar as diferenças de gênero, ajudando a reafirmar a identidade gay e a construir um mundo onde a diversidade seja respeitada. “A TV tem dificuldade de se pautar por abordagens que informam sobre a amplitude que o tema sexualidade implica. A consequência disso é que acabam se restringindo à reprodução de enfoques que estimulam o preconceito”, complementa o autor.

Ao longo da obra, o autor discorre sobre o limiar dos gêneros, abordando questões como ambiguidade, identidade, sexualidade e formas de pensar. Fala sobre o desenvolvimento das identidades sexuais “proscritas” no decorrer do século XX e as relações de poder na mídia televisiva. Faz um breve histórico do movimento homossexual no mundo e de algumas de suas lutas até chegar à década de 1970, quando o gênero passa a ter uma conotação social ampla. “O conceito de gênero se refere à construção social e cultural que se organiza a partir da diferença sexual”, revela o autor.

Para saber mais sobre o livro, acesse:
http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1217/TV+no+arm%C3%A1rio,+A

AUTORES DAS EDIÇÕES GLS INTEGRAM EQUIPE DA REVISTA VIAG

Os jornalistas Irineu Ramos e Stevan Lekitsch, ambos autores das Edições GLS, agora fazem parte da equipe da Revista ViaG, publicação de turismo voltada ao segmento gay e friendly do Brasil. Ramos, que é autor do livro A TV no armário – A identidade gay nos programas e telejornais brasileiros, vai coordenar a área editorial, responsável pelo conteúdo das reportagens. Já Lekitsch, autor de Cine arco-íris – 100 anos de cinema LGBT, assinará uma coluna bimestral sobre vídeos.

No livro Cine arco-íris, Lekitsch traz mais de 270 resenhas de películas que giram em torno de personagens lésbicas, gays, bissexuais e transexuais. Tímida no início do século XX, profícua nos últimos anos, a produção de filmes com temática LGBT cresceu à medida que o preconceito diminuiu. Hoje, o público tem uma ampla gama de películas à disposição. “A cada edição da coluna vou citar um dos filmes que estão em destaque no livro”, afirma o autor.

Fruto de ampla pesquisa sobre a cobertura dada pela TV à questão da homossexualidade, o livro A TV no armário revela como as emissoras ainda se pautam pelo preconceito e pela falta de informação. Ao mergulhar nesse universo, Ramos analisa a programação das emissoras e mostra a dificuldade e os equívocos que ocorrem quando precisam lidar com as diferenças sexuais na telinha. Embora se esforcem para ser “politicamente corretos”, na prática, são incapazes de lidar com a diferença.

A cada edição, a ViaG, que está completando cinco anos, traz entrevistas com celebridades gays ou simpáticas à causa, melhores points da comunidade pelo país e no mundo, notícias de interesse do segmento, indicações de hotéis e gastronomia, além de artigos de convidados. Na próxima edição, o leitor vai conhecer três destinos: Las Vegas, Montevidéu e Maceió.

Para saber mais sobre o livro, clique nas capas acima.

AUTOR DE A TV NO ARMÁRIO FALA SOBRE PERSONAGENS GAYS DA TV

Em entrevista ao jornal A Gazeta do Espírito Santo, o jornalista Irineu Ramos Ribeiro, autor do livro A TV no armário (Edições GLS), criticou a postura da TV Globo em relação aos personagens gays das novelas. Segundo ele, a emissora acertou no folhetim “Insensato Coração”, mas retrocedeu em “Fina Estampa”. “É uma relação de poder. A Globo foi acusada de levantar a bandeira gay [em Insensato Coração]. Mesmo não concordando com as reações, ela precisava ceder para aliviar a pressão. Assim, em Fina Estampa havia só o Crô, um gay caricato que não oferece ameaça e é mais aceitável”, afirma. Leia a reportagem: http://goo.gl/cHJe4

Para Ribeiro, a mídia, em geral, aponta a sexualidade com deboche, discriminação e caricaturização. Em seu livro, analisa diversos aspectos do tratamento dado aos gays na programação humorística, em telejornais e em novelas, demonstrando as diversas formas pelas quais o preconceito é estimulado. Baseando-se no pensamento de Michel Foucault e noções da teoria queer, ou teoria do estranhamento, o autor comprova que a televisão brasileira acaba transmitindo valores negativos, depreciativos e caricatos no que se refere aos gays. “Está na hora de mudar de rumo”, afirma o jornalista, lembrando que a mídia tem um papel determinante na formação de identidade.

Fruto de ampla pesquisa, desenvolvida durante dois anos, incluindo também a observação de toda a programação de TV, a obra abre caminhos para problematizar a maneira pejorativa como a comunidade LGBT é retratada na telinha. Ribeiro mostra, em quatro capítulos, que os meios de comunicação ainda precisam percorrer um longo caminho para retratar as diferenças de gênero, ajudando a reafirmar a identidade gay e a construir um mundo onde a diversidade seja respeitada. “A TV tem dificuldade de se pautar por abordagens que informam sobre a amplitude que o tema sexualidade implica. A consequência disso é que acabam se restringindo à reprodução de enfoques que estimulam o preconceito”, complementa o autor.

Para saber mais sobre o livro, acesse: http://www.gruposummus.com.br/gruposummus/livro/1217/TV+no+arm%C3%A1rio,+A

 

 

EDIÇÕES GLS PARTICIPAM DA 1ª FEIRA DO LIVRO LGBT

Acontece no próximo sábado, dia 25 de agosto, das 14h às 22h, a 1ª Feira do Livro LGBT. O evento, que será realizado na Casa das Rosas (Av. Paulista, 37, São Paulo, SP), terá a participação das Edições GLS. Além da feira, haverá um sarau literário em comemoração ao Dia da Visibilidade Lésbica (29 de agosto). Vange Leonel (Grrrrls – Garotas iradas Balada para as meninas perdidas), Irineu Ramos (A TV no armário) e Stevan Lekitsch (Cine arco-íris) vão representar a editora na programação cultural. Serão cerca de 30 escritores e poetas gays, lésbicas, bissexuais e simpatizantes a falar de suas obras, que estarão à venda nos salões da Casa das Rosas.

Criada em 1998, a Edições GLS é dirigida a gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros. A editora surgiu para dar voz aos assuntos de interesse específico desses grupos, e também para pais, amigos, médicos, terapeutas e professores, para que possam compreender melhor seus filhos, amigos ou clientes.

A 1ª Feira do Livro LGBT é uma iniciativa da Editora Brejeira Malagueta e conta com o apoio da Secretaria de Estado da Cultura e Assessoria de Cultura para Gêneros e Etnias. A programação cultural terá ainda um pocket show da cantora Érica Pinna, que acontece das 20h às 21h. Veja abaixo a programação do sarau literário:

Não-ficção, das 14h30 às 15h30

Alexandre Calladinni, Jeito Calladinni de voar, Metanoia
Léa Carvalho, No caminho do arco-íris, Metanoia
Irineu Ramos, A TV no armário, Edições GLS
Tiago Elídio, Eu, Pierre Seel, Deportado Homossexual, Cassará
Stevan Lekitsch, Cine arco-íris, Edições GLS

Fantasia queer, das 15h30 às 16h30

Camila Fernandes, Cristina Lasaitis, Rober Pinheiro, Sarah Helena, A fantástica literatura queer, Tarja

Sarau, das 16h30 às 17h30

Ana Roxo, independente
Claudia Monteiro, Versejando, ed própria
Clayton Menezes, No divã do âmago, ed própria
Rita Moreira, Perscrutando o papaia, Brasiliense
e outras

Ficção gay, das 17h30 às 18h30

Davy Rodrigues, Proibido amor, Metanoia
Kiko Riaze, Depois de sábado à noite, Fábrica de Leitura
Plínio Camillo, O namorado do papai ronca, Prólogo
Rafael Ban Jacobsen, Uma leve simetria, Não Editora
Roberto Muniz, Adeus a Aleto, Escândalo

Ficção lésbica, das 18h30 às 19h30

Bertha Solares, Uma ano, dois verões, Brasiliense
Drikka Silva, Glamour, Brejeira Malagueta
Karina Dias, Aquele dia junto ao mar, Brejeira Malagueta
Lara Lunna, Victória alada, Sanderman
Vange Leonel, Grrrrls – Garotas iradas, Edições GLS; As sereias da Rive Gauche, Brasiliense

  • Serviço:

1ª FEIRA DO LIVRO LGBT
Data: 25 de agosto, sábado
Local: Casa das Rosas
Endereço: Av. Paulista, 37 (perto do metrô Brigadeiro e da Praça Osvaldo Cruz)

Para saber mais sobre os livros das Edições GLS, acesse: