“JOÃO CÂNDIDO, O ‘ALMIRANTE NEGRO’, É RECONHECIDO COMO HERÓI DO RJ”

Ele liderou a Revolta da Chibata há 109 anos. O nome dele está agora no Livro dos Heróis do Estado.

Por Paulo Renato Soares, RJ2, publicado no G1 em 20/11/2019.

Em novembro de 1910, um marinheiro negro liderou a Revolta da Chibata, um motim contra castigos impostos por oficiais brancos da Marinha.

Nesta semana, 109 anos depois, João Cândido Felisberto, conhecido como o “Almirante Negro”, foi reconhecido como herói do estado do Rio pela Assembleia Legislativa.

O caminho até o reconhecimento foi longo. Nesta quarta-feira (20), Dia da Consciência Negra, o único descendente vivo dele falou sobre o sentimento de ver o nome do pai no livro dos heróis.

“É muito gratificante o Estado do Rio de Janeiro ceder essa moção ao meu pai, como herói estadual. E foi ali, perto da assembleia mesmo, que teve o movimento de 1910, na Praça XV”, diz Adalberto do Nascimento Cândido, de 81 anos.

João Cândido Felisberto foi o líder da revolta da chibata, em 1910. Um motim de marinheiros que não aceitavam mais receber chibatadas de oficiais brancos como punição. O ato de coragem e a vida do almirante negro viraram símbolo da luta contra o racismo.

Em São João do Meriti, onde ele passou os últimos dias de vida, amigos da família comemoraram e lembraram que João Cândido é inspiração para todos os negros do país.

“A gente vive ainda um contexto de muita dificuldade pras pessoas negras no país, os pobres, de modo geral, e a gente entende que é um legado que precisa ainda ser reforçado pra se modificar”, diz Carlos André Teixeira, diretor do museu Murilo Braga e amigo da família de João Cândido.

A lei que reconhece João Cândido como herói do Rio de Janeiro foi de autoria dos deputados André Ceciliano e Waldeck Carneiro, ambos do PT. Ela foi sancionada e publicada no Diário Oficial do Estado.

O nome dele está agora no Livro dos Heróis do Estado, onde estão os registros de quem contribuiu para a defesa, o progresso ou desenvolvimento do Rio, do Brasil ou da Humanidade.

Agora, representantes de movimentos negros que defendem a história de João Cândido esperam que o Congresso Nacional faça o mesmo. Um projeto de lei que reconhece o Almirante Negro como herói nacional está parado.

“Estão no mesmo estágio, esperando uma vista dessa comissão de defesa nacional”, diz Leila Regina, assessora da Casa da Cultura. “Aliás, cabe dizer que a lei que quer inserir o nome de João Cândido como herói nacional, as leis, as duas são as únicas que estão sofrendo essa espera, esse impacto todo.”

O filho de João Cândido sabe que lutar pelo reconhecimento do pai também é lutar contra o racismo …

“A luta social ainda continua, muita desigualdade ainda entre os povos, então o meu pai deixou um exemplo para os demais lutarem sempre, nunca esmorecerem”, disse Adalberto.

Para ler na íntegra e assistir ao vídeo da reportagem, acesse:
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/11/20/joao-candido-o-almirante-negro-e-reconhecido-como-heroi-do-rj.ghtml


***


Quer saber mais sobre João Cândido? Conheça sua biografia publicada pela Selo Negro Edições:

JOÃO CÂNDIDO
Retratos do Brasil Negro
Autor: Fernando Granato
SELO NEGRO EDIÇÕES

Conhecido como “Almirante negro”, João Cândido Felisberto foi o líder da Revolta da Chibata, ocorrida no Rio de Janeiro em 1910. Figura importante na luta por melhores condições na Marinha, esse herói brasileiro só teve sua anistia concedida em 2008, 39 anos após sua morte. Fruto de ampla pesquisa, esta biografia mostra o lado humano de João Cândido, cuja vida foi marcada por tragédias, perseguições e miséria.

Esta obra faz parte da Coleção Retratos do Brasil Negro, coordenada por Vera Lúcia Benedito, mestre e doutora em Sociologia/Estudos Urbanos pela Michigan State University (EUA) e pesquisadora e consultora da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. O objetivo da Coleção é abordar a vida e a obra de figuras fundamentais da cultura, da política e da militância negra. Conheça todos os volumes da coleção em https://bit.ly/2OxCAl1