ISBN: 9786599883750

Racismos

Organizador(es): Dagoberto José Fonseca

Autor(es): Antonio Carlos Lopes Petean, Dagoberto José Fonseca, Denize Ornelas Pereira Salvador de Oliveira, Isadora Brandão Araujo da Silva, Juliano Costa Gonçalves, Julie Lourau, Julio Cesar de Tavares, Julvan Moreira de Oliveira, Mari Rosa Souza, Maria Cristina Franceschini Chade, Rafael Alves Orsi, Rita Helena do Espírito Santo Borret, Roseane Maria Corrêa, Érica Pugliesi

Reunindo estudiosos de distintas áreas de atuação, este volume aponta os racismos como crimes que foram e são cometidos, desde sempre, de maneira nada ingênua e descomprometida. O racismo é sistêmico, processual, e seus tentáculos são vários, sustentados por ideias, visões de mundo e teses que advêm de diversos segmentos ou áreas do saber — teologia, filosofia, política, economia, tecnologia, sociologia, medicina, direito, linguística e antropologia. Entender essa base pseudocientífica de longa data nos dá a condição de analisar, interpretar e explicar o presente momento das relações étnico-raciais não só no Brasil como também em outras regiões do mundo.

 

R$84,40

Calcular Frete
Forma de Envio Custo Estimado Entrega Estimada
ISBN: 9786599883750

Assuntos: , , ,

Coleção: África presente! Negritude e luta antirracista

Editora: Selo Negro Edições

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:



Detalhes do Livro

ISBN 9786599883750
REF: 42005
Edição 1
Ano 2023
Nº de Páginas 200
Peso 0,340 kg
Formato 0,90 × 17 × 24 cm

Dagoberto José Fonseca

Dagoberto José FonsecaÉ livre‑docente em Antropologia Brasileira e professor de Antropologia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp‑Araraquara). Pós‑doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), doutor, mestre, bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC‑SP). É coordenador do Centro de Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (Cladin‑Unesp) e coordenador científico do Núcleo Negro para Pesquisa e Extensão Universitária (Nupe‑Unesp). Pela Selo Negro Edições é autor dos livros Políticas públicas e ações afirmativas (coleção Consciência em Debate) e Você conhece aquela?, e ainda criador e coordenador da coleção África Presente! Negritude e luta antirracista.

Antonio Carlos Lopes Petean


Professor do Instituto de Ciências Sociais, na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), e doutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp-Araraquara). É autor dos livros Ensaios sobre a barbárie no pensamento de Edgar Morin (2015) e Condenados corpos negros e outros poemas (2020).

Dagoberto José Fonseca


Dagoberto José Fonseca

É livre‑docente em Antropologia Brasileira e professor de Antropologia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp‑Araraquara). Pós‑doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), doutor, mestre, bacharel e licenciado em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC‑SP). É coordenador do Centro de Estudos das Culturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (Cladin‑Unesp) e coordenador científico do Núcleo Negro para Pesquisa e Extensão Universitária (Nupe‑Unesp). Pela Selo Negro Edições é autor dos livros Políticas públicas e ações afirmativas (coleção Consciência em Debate) e Você conhece aquela?, e ainda criador e coordenador da coleção África Presente! Negritude e luta antirracista.

Denize Ornelas Pereira Salvador de Oliveira


Médica de Família e Comunidade, sanitarista e mestre em Saúde da Família pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Especialista em Terapia Sistêmica de Casal e Família pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Docente da graduação em Medicina da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS- Bela Vista) e da Universidade Nove de Julho (Uninove-São Bernardo do Campo). É médica no Laboratório Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein.

Érica Pugliesi


Docente do Departamento de Ciências Ambientais e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Atualmente, é secretária-geral de Gestão Ambiental e Sustentabilidade da UFSCar.

Isadora Brandão Araujo da Silva


Defensora pública do Estado de São Paulo, assumiu em 2023 o cargo de secretária nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania do Brasil. Coordenou o Núcleo Especializado de Defesa da Diversidade e da Igualdade Racial e foi assessora do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário e do Sistema de Execução de Medidas Socioeducativas do Conselho Nacional de Justiça. É mestre e doutoranda em Direitos Humanos pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e docente do projeto Incluir Direito, da USP.

Juliano Costa Gonçalves


Tem graduação em Ciências Sociais, mestrado em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente e doutorado em Ciências Ambientais. É professor do Departamento de Ciências Ambientais da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com atuação na graduação e na pós-graduação.

Julie Lourau


Doutora em Antropologia Social e Etnologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, da França, é professora do Programa de Pós-Graduação de Políticas Sociais e Cidadania na Universidade Católica do Salvador (UCSal) e líder do grupo de pesquisa Antropologia, Fronteiras, Espaços e Cidadania (Afec-UCSal/CNPq). Atua como pesquisadora convidada no Laboratoire des Sciences Sociales du Politique, do Sciences Politique Toulouse, da Université Toulouse 1 Capitole, e como consultora do Institut de Formation, Recherche, Animation, Sanitaire et Social, ambos em Toulouse, na França. Sua área de interesse é o campo interdisciplinar das relações etnorraciais, com estudos e pesquisas sobre comércio de rua, festas, direitos culturais, periferias, juventudes, ativismo cultural, racismo, antirracismo, epistemologias críticas e decoloniais

Julio Cesar de Tavares


Professor titular de Antropologia da Universidade Federal Fluminense (UFF) e professor do doutorado em Estudios Culturales da Universidad Andina Simón Bolivar (UASB), no Equador. Dirige o Laboratório de Etnografia e Estudos em Comunicação, Cultura e Cognição da UFF e o Laboratório Estudos Negros do Programa Avançado de Cultura Contemporânea da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Julvan Moreira de Oliveira


Professor do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), tem mestrado e doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo (USP), especialização em Ciências Sociais (Antropologia, Sociologia e Política) pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fesp-SP) e licenciatura em Filosofia pela Universidade São Francisco (USF). É membro do grupo de trabalho Educação e Relações Etnorraciais (GT 21), da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação (Anped); cocoordenador do grupo de trabalho Filosofia Africana e Afrodiaspórica, da Associação Brasileira de Pesquisadores Negros (ABPN); cocoordenador do Instituto de Filosofia Africana no Brasil (IFA); e líder do grupo de pesquisa Africanidades, Imaginário e Educação (Anime), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

Mari Rosa Souza


Assistente social, mestre em Políticas Sociais e Cidadania pela Universidade Católica de Salvador (UCSal/Fapesb), especialista em Saúde Pública com ênfase em Saúde da Família pela Faculdade Método de São Paulo (Famesp) e doutoranda em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). É membro do grupo de pesquisa Antropologia, Fronteiras, Espaços e Cidadania (AFEC-UCSal/CNPq) e do comitê editorial da revista Diálogos Possíveis, do Centro Universitário Social da Bahia (Unisba). É docente da U:Verse (antiga Faao), no Acre, desde 2021, e atua nas áreas de sustentabilidade e responsabilidade social corporativa.

Maria Cristina Franceschini Chade


Tem graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo (USP) e especialização em Gerenciamento de Áreas Contaminadas e Remediação de Áreas Contaminadas pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de São Paulo (Senac-SP). É pós-graduanda em Engenharia Hidrogeológica pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas).

Rafael Alves Orsi


Tem graduação, mestrado e doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp-Rio Claro) e livre-docência em Geografia Urbana pela Faculdade de Ciências e Letras (FCLAr) da Unesp-Araraquara, na qual atua como professor associado do Departamento de Ciências Sociais. Está credenciado no Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais e coordena o Núcleo de Estudos e Pesquisa sobre Desenvolvimento Urbano e Ambiental (NEPDUA), ambos da Unesp-Araraquara.

Rita Helena do Espírito Santo Borret


Tem graduação em Medicina pela Universidade Federal do Estado do Rio Janeiro (UniRio), especialização em Medicina de Família e Comunidade e mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É doutoranda em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, vinculada à Fundação Oswaldo Cruz (ENSP-Fiocruz). Atua como professora substituta do curso de Medicina no Departamento de Atenção Primária da UFRJ e como professora da graduação em Medicina da Universidade Estácio de Sá (Estácio-Presidente Vargas).

Roseane Maria Corrêa


Tem graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestrado e doutorado em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca (ENSP-Fiocruz). Atua como professora substituta do Departamento de Enfermagem de Saúde Pública da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Desp-Facenf-UERJ).

Leia o sumário e as primeiras páginas deste livro abaixo ou, se preferir, faça o download do PDF

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [743.65 KB]

Você também pode gostar de…

Cultura em movimento

Matrizes africanas e ativismo negro no Brasil - Coleção Sankofa - Volume 2
Beatriz Nascimento
Carlos Moore
Elisa Larkin Nascimento
e mais 5 autores
R$99,90

Tratando do legado cultural e da tradição de resistência dos descendentes de africanos no Brasil, este volume reúne ensaios e depoimentos sobre várias dimensões e aspectos. Nei Lopes e Beatriz Nascimento trazem uma perspectiva sobre o legado dos ancestrais bantos e malês; Elisa Larkin Nascimento, Joel Rufino e Abdias Nascimento, assinando pelo Conselho Deliberativo do Memorial Zumbi, esboçam uma pequena história das lutas afro-brasileiras do século XX. A questão da educação no Brasil como tema fundamental da vida e da luta dos afro-descendentes é tema de relatórios de fóruns de educadores que a abordam no seu aspecto teórico e prático. Três educadoras – Vera Regina Triumpho, Silvany Euclêncio e Piedade Marques – trazem depoimentos ricos sobre a sua experiência com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, modificada pela Lei nº 10.639 de 2003.

Mulher negra e ancestralidade

Ana Piedade Armindo Monteiro
Delcirene Videira da Silva
Josildeth Gomes Consorte
e mais 6 autores
R$84,40

Sem esquecer a luta cotidiana e as adversidades que marcam a vida atual das mulheres negras, as autoras deste volume vão buscar na ancestralidade a base para a construção de um futuro permeado de conhecimento, arte, cuidado e justiça social. Assim, apelando para a força de mães de outrora, baseiam suas reflexões em um passado esquecido que, ao se revelar, mostra extrema potência transformadora. Entre os temas abordados neste volume estão: práticas ancestrais ligadas à figura feminina em Moçambique; a resistência aos casamentos prematuros naquele mesmo país; as diferenças entre mulheres negras (brasileiras e africanas) e mulheres eurocentradas; a sabedoria das moradoras do Recôncavo Baiano que exercem as profissões de costureiras e vendedoras de acarajé; a educação nos terreiros de candomblé, assentada em valores éticos ancestrais; a trajetória de professoras alfabetizadoras na educação infantil e nas séries iniciais do ensino fundamental; as lutas das mulheres negras no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa e no continente africano; as mulheres amazônicas que atuam como “servas e empregadas” do Divino Espírito Santo de Mazagão Velho, no Amapá.

A coleção África, presente! Negritude e luta antirracista constitui um espaço de produção e divulgação do pensamento não hegemônico acerca de africanos, afro-brasileiros e indígenas. Seu objetivo é problematizar e contestar cientificamente paradigmas, falácias e metodologias euro-ocidentais.

 

Mentiras do ocidente, As

Alexandre de Lourdes Laudino
Bas’Ilele Malomalo
Dagoberto José Fonseca
e mais 7 autores
R$84,40

Durante séculos, o eurocentrismo científico ajudou a construir uma história baseada em mentiras. Tais mentiras fomentaram — e ainda fomentam — o racismo, a xenofobia, a misoginia e a morte de inúmeros grupos e povos, sobretudo na África e na América. A fim de restituir a verdade, a presente obra aponta novos caminhos teórico-metodológicos que partem da história real do continente africano e da diáspora de sua população. Entre os temas abordados estão: a vida e a obra de Ptahhotep, um dos grandes filósofos do Reino Antigo do Kemet (atual Egito); as falsas narrativas produzidas pelo pensamento euro-ocidental; a formação da democracia nas diversas nações da África; os conceitos de unidade e diversidade cultural africana; a afroperspectiva como método e teoria; o impacto do escravismo e do colonialismo na África; a interface entre arte e loucura nos rituais de cura do povo dogon (Mali); as lutas dos povos indígenas por seus territórios ancestrais.

A coleção África, presente! Negritude e luta antirracista constitui um espaço de produção e divulgação do pensamento não hegemônico acerca de africanos, afro-brasileiros e indígenas. Seu objetivo é problematizar e contestar cientificamente paradigmas, falácias e metodologias euro-ocidentais.

Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil

Consciência em Debate
Sueli Carneiro
R$35,10

Entre 2001 e 2010, a ativista e feminista negra Sueli Carneiro produziu inúmeros artigos publicados na imprensa brasileira. Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil reúne, pela primeira vez, os melhores textos desse período. Neles, a autora nos convida a refletir criticamente a sociedade brasileira, explicitando de forma contundente como o racismo e o sexismo têm estruturado as relações sociais, políticas e de gênero. Num momento em que nosso país depara com temas polêmicos, como o Estatuto da Igualdade Racial e as cotas em universidades, a Coleção Consciência em Debate pretende discutir assuntos prementes que interessam não somente aos movimentos negros como a todos os brasileiros. Fundamental para educadores, pesquisadores, militantes e estudantes de todos os níveis de ensino. Coordenação de Vera Lúcia Benedito.

Políticas públicas e ações afirmativas

Consciência em Debate
Dagoberto José Fonseca
R$35,10

As políticas públicas no Brasil sempre foram implementadas em benefício de uns e prejuízo de outros. Resgatando o passado histórico brasileiro da época do “descobrimento” até os dias recentes, o autor mostra que o Estado brasileiro deixou sistematicamente de lado negros e indígenas na constituição da sociedade democrática. Fonseca fundamenta, assim, a necessidade de ações afirmativas que resgatem a dignidade e a autonomia dos excluídos. Num momento em que nosso país depara com temas polêmicos, como o Estatuto da Igualdade Racial e as cotas em universidades, a Coleção Consciência em Debate pretende discutir assuntos prementes que interessam não somente aos movimentos negros como a todos os brasileiros. Fundamental para educadores, pesquisadores, militantes e estudantes de todos os níveis de ensino. Coordenação de Vera Lúcia Benedito.

Essa edição foi substituída por uma nova revista e atualizada que pode ser acessada aqui:

Políticas públicas e ações afirmativas – Edição revista

 

 

Etnodrama

Contribuições do grupo de estudos de psicodrama e relações raciais 
Adriana Cristina Dellagiustina
Adriane Rita Lobo
Caroline Batista Bettio
e mais 16 autores
R$74,70

Este livro é fruto de um grupo de estudos coordenado por Maria Célia Malaquias, principal referência em psicodrama e relações raciais no Brasil. As autoras aqui reunidas, propondo-se a repensar suas práticas cotidianas à luz das leituras e trocas vivenciadas no grupo, buscam compreender e denunciar as maneiras pelas quais o racismo estrutural e sistêmico adoece pessoas e relações em todas as esferas da vida. Tecendo interlocuções com as ideias de Jacob Levy Moreno e o pensamento de intelectuais negros e negras, discorrem sobre letramento racial, branquitude, relações familiares afrocentradas, intersubjetividade, mulher negra, envelhecimento e negritude, entre outros temas. Suas reflexões ajudam a entender o psicodrama como uma abordagem psicossocial que tem o potencial de contribuir para a luta antirracista e a construção de relações mais saudáveis.