Artigo de Priscila Conte Vieira publicado em sua coluna na revista Boa Forma,
em 05/02/2022.

Quem aí já quis dizer não, mas não conseguiu? Ou que deixou de fazer algo que queria para agradar o outro? Até mesmo ultrapassou os seus limites pois não deu para se comunicar de forma clara e direta?  Quem aí acabou explodindo e sendo mais grosso do que o necessário em uma conversa só porque deixou para falar quando já não aguentava mais? Esses são sinais de que você precisa melhorar sua assertividade.

Eu diria que é sempre bom aprender a ser mais assertivo, afinal, se podemos melhorar nossa comunicação, nossa autoconfiança, nossos relacionamentos, por que não tentar?

Mas afinal, o que é essa tal assertividade? Pode ser considerada uma habilidade social de saber afirmar as suas próprias necessidades com clareza, respeito e de acordo com o contexto, levando em conta  a expressão dos seus próprios sentimentos, sem ferir o outro.

Vou te dar um exemplo prático: uma pessoa próxima te pede para fazer um favor para ela, mas você está extremamente atarefado e não consegue naquela semana. Há diversas formas de você se comunicar a ela, sem ferir os sentimentos e sem passar por cima das suas próprias demandas

Veja algumas maneiras a seguir:

1) Olha fulano, nessa semana eu não consigo pois estou com diversas tarefas urgentes, poderei te ajudar assim que eu acabar. Pode ser? 

2) Sinto muito por não poder fazer nada nesse momento, mas quem sabe você pode tentar fazer x coisa ou conversar com x pessoa.

3) Entendo que você tenha que resolver isso logo, mas infelizmente eu já estou encarregado de uma outra tarefa no momento, mas pode contar comigo de uma próxima vez. 

4) Agradeço por confiar em mim para te auxiliar, mas neste momento não vou conseguir, sinto muito!

Imagina só se você largasse tudo no momento para agradar o outro. Como se sentiria depois? Suas próprias tarefas ficariam prejudicadas? Você ficaria sobrecarregado? É importante pensar em tudo isso antes de aceitar fazer coisas por aí. 

E olha, eu sei que pode bater o medo de não agradar ou até mesmo a sensação de impotência em não ajudar, mas fica tranquilo! Quando você consegue expressar suas necessidades com clareza e respeito, a outra pessoa vai aprendendo também a respeitar as suas demandas!

Afinal, quando nós mesmos não conseguimos ser claros o bastante, não podemos pedir que o outro leia nossos pensamentos! E, por vezes, as pessoas podem acabar se aproveitando das situações pois sabem que você sempre é muito solícito. 

Isso também está correlacionado a saber pedir ajuda quando necessário, afinal, você também não precisa resolver tudo sozinho! É até bom mostrar para os outros quando você está aberto a receber o apoio deles!! Isso é compreender os seus próprios limites e, por tanto, uma forma de autocuidado e amor próprio,  gerando ainda mais autoconfiança quando implementado na rotina de forma coesa! 

Se eu puder indicar para vocês um livro fantástico que auxilia muito em compreender nossas necessidades e em saber a forma mais assertiva de comunicar isso aos outros, é o “Comunicação não violenta” de Marshall Bertram Rosenberg, que já se tornou até mesmo um método de comunicação assertiva, a CNV. O livro é muito prático e traz diversos exemplos para maior compreensão!

Espero que juntos possamos treinar cada vez mais a nossa comunicação para de fato nos respeitar e respeitar os outros e poder ter bons relacionamentos! 

Para ler na íntegra, acesse: https://boaforma.abril.com.br/coluna/priscila-conte-vieira/como-ser-mais-assertivo/

***

.

Saiba mais sobre o livro indicado:

.

COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA – NOVA EDIÇÃO
Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais
Autor: Marshall B. Rosenberg
EDITORA ÁGORA

Em um mundo violento, cheio de preconceitos, conflitos e mal-entendidos, buscamos ansiosamente soluções para melhorar nossa relação com os outros. Nesse sentido, a boa comunicação é uma das armas mais eficazes. Grande parte dos problemas entre casais, pais e filhos, empregados e empregadores, vizinhos, políticos e governantes pode ser amenizada e frequentemente evitada apenas com… palavras. Porém, saber ouvir o que de fato está sendo dito pelo outro e expressar o que de fato queremos dizer, embora pareça tarefa simples, é das mais difíceis.

Nesta obra, best-seller no Brasil e no mundo, Marshall Rosenberg explica de maneira revolucionária os valores e princípios da comunicação não violenta, que se baseia em habilidades de linguagem e comunicação que fortalecem nossa capacidade de manter a humanidade, mesmo em condições adversas.

Usando sua experiência como psicólogo clínico e criador do método da CNV, ele ensina o leitor a:

  • entregar-se de coração aos relacionamentos e se libertar dos condicionamentos e dos efeitos de experiências passadas;
  • identificar e expressar sentimentos;
  • expressar a raiva de forma não violenta;
  • transformar padrões negativos de pensamento;
  • resolver seus conflitos com os outros de forma pacífica;
  • criar relacionamentos interpessoais baseados em respeito mútuo, compaixão e cooperação.

Nesta nova edição, que conta com um capítulo inédito sobre mediação e
solução de conflitos e prefácio de Deepak Chopra, Marshall Rosenberg consolida
seu trabalho, reconhecido mundialmente, e compartilha com os leitores
ensinamentos testados e comprovados na prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Entre com seu e-mail para receber ofertas exclusivas do Grupo Summus!

    X