MORRE MOYSÉS AGUIAR

Moyses_Aguiar

Lamentamos informar que faleceu no sábado, dia 14 de novembro, o psicólogo e psicodramista Moysés Campos de Aguiar Netto, vítima de câncer no pulmão. Um dos líderes do movimento psicodramático brasileiro, ele é um dos principais autores de psicodrama da Editora Ágora. Escreveu os livros “Teatro espontâneo e psicodrama” e “Psicodrama e emancipação” e traduziu diversas obras. Também é coautor de uma dezena de outros livros, alguns deles publicados na Alemanha, na Inglaterra e na Hungria. Em 2016 já estava previsto o lançamento de “Psicodrama público na contemporaneidade”, mais um livro com sua coautoria.

Moysés Aguiar lutava contra doença há um ano. Mesmo em tratamento, segundo amigos, ele não se afastou de suas atividades como psicoterapeuta, professor e diretor de Teatro Espontâneo. Seu conhecimento, criatividade e espontaneidade eram intensos na direção e no ensino, conta Sergio Serrano, diretor da Febrap – Federação Brasileira de Psicodrama, em texto divulgado nas redes sociais.

“Já estava inscrito para o 20º Congresso Brasileiro de Psicodrama e ia para o Chile ministrar uma atualização de Teatro Espontâneo. Essa era a prova de sua vontade de viver e continuar produzindo”, conta Serrano.

Moysés Aguiar foi precursor de várias trupes de Teatro Espontâneo pelo Brasil, quando criou a Escola de Teatro Espontâneo na cidade de Tietê. No livro “Psicodrama e emancipação”, lançado em 2009, ele conta, por meio de relatos, depoimentos e reflexões, a história da Escola de Psicodrama de Tietê, uma experiência pedagógica pioneira no ensino de psicodrama, comandada por ele e ocorrida na década de 1990, cuja metodologia antecipou algumas propostas consideradas hoje extremamente avançadas em termos educacionais.

 

Uma ideia sobre “MORRE MOYSÉS AGUIAR

  1. Estou muito triste com o falecimento do professor, psicólogo, e pensador a respeito dos ensinamentos de Jl Moreno. Jamais esquecerei de sua maneira de ensinar quando eu era estudante do Teatro Espontâneo ,lá , em Tietê-SP, na Escola criada por ele e mais outras pessoas tão entusiasmadas quanto ele.. Quantas conversas ,risadas , criatividade e aprendizagens compartilhadas com entusiasmo e colaboração de toda uma equipe que construía junto uma proposta com ideias novas e procurando dar respostas a questionamentos teóricos sobre a obra de Moreno.. Um dia ouvi uma frase que aplico ao amigo Moyses: “anjos não morrem, só voltam para casa “.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>