‘A CULTURA DA BELEZA E SUAS CONEXÕES’

padrões de beleza………………………………Da coluna de Julio Abramczyk, publicada na Folha de S. Paulo, em 16/08/2018.


Cirurgia plástica estimula desejos de um consumidor marginal da economia de mercado

Os motivos para a intensa e desavisada demanda para o embelezamento corporal vêm sendo estudado há vários anos.

Na última edição da revista Jama Dermatology, Amanda Maisel e colegas de 13 clínicas dermatológicas americanas descrevem as motivações de 511 pacientes para se submeter a procedimentos cosméticos minimamente invasivos. Pouco mais de 86% eram do sexo feminino, 91,8% tinham nível universitário e a maior parte (56%) tinha mais de 45 anos.

Os pacientes procuraram o procedimento para adquirir aparência jovial e atrativa, além de possibilitar melhora na aparência física. Os pacientes abaixo dos 45 anos preocupavam-se mais em prevenir expressão de envelhecimento.

No Journal of Royal Anthropological Institute, Alexander Edmonds aborda a cultura da beleza com seu trabalho intitulado “O pobre tem o direito de ser bonito: cirurgia cosmética no Brasil liberal”.

Para Edmonds, a cirurgia plástica estimula desejos de um consumidor marginal da economia de mercado ao mobilizar o mito da beleza, no marketing e na prática clínica. Exemplifica: enquanto meninos pobres sonham tornar-se atletas profissionais, meninas carentes sonham transformar-se em modelos famosas.

O mercado de trabalho, por sua vez, valoriza a beleza de seus empregados e se beneficia dela —é o caso de uma loja, por exemplo, que busca tornar o atendimento aos clientes mais agradável ou glamoroso.

Edmonds refere ainda que os cirurgiões plásticos alegam apenas seguir o desejo do paciente. Esse desejo, explica, é mobilizado pela mística da medicina moderna, novas noções sobre saúde e as grandes mudanças nos relacionamentos sociais e sexuais.

Para ler na íntegra, acesse (restrito a assinantes e cadastrados):
https://www1.folha.uol.com.br/colunas/julioabramczyk/2018/08/a-cultura-da-beleza-e-suas-conexoes.shtml

***

Tem interesse pelo assunto? Conheça:

A BELEZA IMPOSSÍVEL
Mulher, mídia e consumo
Autora: Rachel Moreno
EDITORA ÁGORA

A quem interessa vender uma beleza inalcançável? De que maneira a mídia manipula nossa consciência em nome dos interesses do mercado? Quais são as conseqüências para as adolescentes de hoje? Onde entram as “diferentes” – gordinhas, velhas, negras – nesse sistema? Rachel Moreno responde a estas e outras perguntas neste livro vigoroso e crítico, apontando caminhos para que possamos nos defender dessas armadilhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*