MORRE O JORNALISTA EDSON FLOSI

Lamentamos informar que faleceu nesta quarta-feira, 5 de junho de 2013, aos 73 anos, o professor e jornalista Edson Flosi, vitima de câncer. Um dos mais destacados jornalistas do Brasil, ele lutava há sete anos contra a doença e estava internado desde sexta-feira (31) no Hospital AC Camargo.

Edson Flosi nasceu em São Paulo em 1940. Iniciou-se no jornalismo em 1960 e exerceu a profissão durante 30 anos, passando pelos jornais Folha de S.Paulo, Jornal da Tarde, O Globo e outros órgãos da imprensa. Ocupou quase todos os cargos da Redação: repórter, redator, pauteiro, chefe de reportagem, editor e secretário.

Sempre que podia voltava às ruas para fazer o que mais gostava: reportagem. Em toda a sua carreira foi essencialmente repórter policial. Militou durante 20 anos no Fórum de São Paulo como advogado criminalista.

A paixão pela reportagem levou Flosi a escrever o livro Por trás da notícia – O processo de criação das grandes reportagens, que foi lançado pela Summus Editorial em janeiro de 2012. A obra traz 15 reportagens históricas produzidas por ele. Flosi também escreveu o livro-reportagem O Assalto dos 500 milhões (Best Seller, 1965) e o ensaio político A Renúncia do Presidente Jânio Quadros (1961).

Flosi estava trabalhando no segundo volume do livro Por trás da notícia. Ele foi professor e assessor da diretoria da Faculdade Cásper Líbero de 1996 a março de 2012, quando foi demitido em meio ao tratamento contra o câncer. Ele estava licenciado e cumpria funções administrativas na faculdade. “Demitir um professor doente é legal. Pode não ser moral, mas é legal. O trabalhador não pode esperar atitude humanitária da empresa. Afinal, vivemos em um regime capitalista”, escreveu Flosi, na época.

A demissão causou revolta entre os estudantes da faculdade de jornalismo e levou a instituição a tentar recontratar o professor. Em nota, a instituição disse que “em consideração ao trabalho desenvolvido pelo professor Edson Flosi na instituição e atendendo a demanda dos alunos, convida, publicamente, o docente a reassumir suas funções”.

Flosi, no entanto, recusou o convite. No Twitter, ele escreveu a frase “Todo poder aos estudantes”. Segundo a família, a Cásper Líbero seguiu custeando metade do valor do plano de saúde dele. Em março deste ano ele lançou um blog e mantinha uma grande atividade nas redes sociais.

O velório será das 17h às 23h no cemitério Chora Menino, em Santana, São Paulo. O corpo de Flosi será cremado no Crematório da Vila Alpina, nesta quinta-feira (6), às 10h.