ATENÇÃO
Devido à pandemia de COVID-19, a qual nos impede de estimar e cumprir prazos de entrega, nossa loja está desabilitada para compra até que a situação se normalize. Você pode navegar normalmente, acompanhar nosso blog e comprar as obras nas lojas de nossos parceiros por meio dos links diretos na página de cada livro. Em breve nossa loja estará de volta e voltaremos a atendê-lo diretamente.
ISBN: 9788584550081

Religiões negras no Brasil

Da escravidão à pós-emancipação

Organizador(es): Flávio Gomes, Valéria Gomes Costa

Autor(es): Adriano Bernardo Moraes Lima, Cristiana Tramonte, Flavio Gomes, Gabriela dos Reis Sampaio, João Amaro Monteiro, João José Reis, Juliana Barreto Farias, Lisa Earl Castillo, Luis Nicolau Parés, Luiz Alberto Couceiro, Luiz Mott, Maria da Vitória Barbosa Lima, Mundicarmo Ferretti, Nilma Teixeira Accioli, Paulo Roberto Staudt Moreira, Petrônio Domingues, Robson P. Costa, Sergio F. Ferretti, Ulisses Neves Rafael, Valéria Gomes Costa

Na historiografia brasileira, ainda são poucos os estudos que revelem em detalhe as práticas cotidianas, de invenção da cultura – também aquela material –, cobrindo todo o Brasil rural e urbano da escravidão e pós-emancipação. O que acontecia no interior das senzalas, nas matas circunvizinhas das fazendas ou nos becos, casebres e zungus (como eram chamadas as moradas dos africanos e crioulos nas cidades)? Muita coisa a ser redescoberta, descrita e analisada. Entre os séculos XVII e XIX, as experiências religiosas, sobretudo as de origem africana, foram reinventadas e modificadas permanentemente em diversos espaços. Nesta coletânea, os organizadores reuniram pesquisas inéditas sobre as formações religiosas negras em cidades coloniais e pós-coloniais do Rio de Janeiro, Bahia, Pernambuco, São Paulo, Paraíba, Sergipe, Maranhão, Alagoas, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Das devassas em torno dos calundus ao sincretismo com o catolicismo de monges beneditinos; da perseguição do Tribunal de Inquisição às santas africanas; do medo da feitiçaria à união entre religião e política; das batidas policiais que reprimiam e perseguiam as casas de dar fortuna, os cangerês e o candomblé às influências africanas sobre festas religiosas católicas.Assim, este livro mostra que, ao longo do tempo, experiências religiosas se inventaram e renovaram-se, perdendo e ganhando sentidos, significados e símbolos. Em meio à intolerância – inclusive racial, social e cultural –, encontramos disputas pela memória, pela origem e pelos mercados da crença.

ISBN: 9788584550081

Assuntos: , ,

Editora: Selo Negro Edições

Se preferir, compre este livro nos sites de nossos parceiros abaixo:



Detalhes do Livro

ISBN 9788584550081
REF: 41008
Edição 1
Ano 2016
Nº de Páginas 384
Peso 0.6 kg
Formato 17 × 24 cm

Flávio Gomes

Flávio GomesProfessor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do CNPq. Autor, entre outros livros, de Mocambos e quilombos: história do campesinato negro no Brasil (Cia. das Letras, 2015) e Negros e políticas (Jorge Zahar, 2005). Foi co-organizador dos livros Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (2012) e Políticas da raça (2014), ambos pela Editora Selo Negro.

Valéria Gomes Costa

Valéria Gomes CostaProfessora do Instituto Federal Sertão Pernambucano (IF Sertão PE). Doutora em História Social pela UFBA. Autora de É do dendê! História e memórias urbanas da nação Xambá no Recife, 1950-1992 (Annablume, 2009). Possui artigos publicados em revistas especializadas e capítulos de livros nas coletâneas Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (Selo Negro, 2012); e História da escravidão em Pernambuco (Ed. da UFPE, 2012).

Adriano Bernardo Moraes Lima

Professor na educação básica desde 1994. É bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal do Paraná e mestre em História pela mesma universidade. Em sua pesquisa de doutorado (Unicamp), estuda formas de recriação de heranças centro-africanas entre a população negra na região do quadrilátero do açúcar paulista no período escravista. Atualmente é professor efetivo do Instituto Federal Catarinense, campus Videira.

Cristiana Tramonte

Atualmente é Professora Associada da Universidade Federal de Santa Catarina na área de Educação, com ênfase em educação intercultural e diversidade. Possui mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1995) e doutorado interdisciplinar em Ciências Humanas pela mesma universidade (2001). Integra o GT História: Religiosidade e Cultura.

Flavio Gomes

Professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pesquisador do CNPq. Autor, entre outros livros, de Mocambos e quilombos: história do campesinato negro no Brasil (Cia. das Letras, 2015) e Negros e políticas (Jorge Zahar, 2005). Foi co-organizador dos livros Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (2012) e Políticas da raça (2014), ambos pela Editora Selo Negro.

Gabriela dos Reis Sampaio

Professora do Departamento História e do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal da Bahia e membro do grupo de pesquisa Escravidão e Invenção da Liberdade, cadastrado junto ao CNPq. Tem mestrado e doutorado em História Social pela Unicamp e dedica-se atualmente ao estudo das práticas culturais de africanos e seus descendentes no Brasil do século XIX.

João Amaro Monteiro

Formado em História pela Universidade Católica de Pernambuco. Omo Sango do Ile Ase Ogum Maata. Articulador cultural das religiões de matriz africana e indígena, atua nos seguimentos de patrimônio cultural, cultura negra e preservação de acervos. Coordenador da Sociedade Àbàmodá e membro-fundador do Quilombo Cultural Malunguinho. Secretário-geral do Conselho de Políticas Culturais de Recife.

João José Reis

Professor da Universidade Federal da Bahia e autor, entre outros livros, de A morte é uma festa: ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX (1991); Rebelião escrava no Brasil: a história do levante dos malês em 1835 (2003); e Domingos Sodré, um sacerdote africano: escravidão, liberdade e candomblé na Bahia do século XIX (2008), todos publicados pela editora Companhia das Letras.

Juliana Barreto Farias

É doutora em História Social pela USP (2012). Graduada em História (UFF, 2002) e em Comunicação Social/Jornalismo (Uerj, 2001), é mestre em História Comparada (UFRJ, 2004). Foi editora e redatora em revistas especializadas em História. Atualmente, trabalha com produção editorial e desenvolve pesquisas sobre escravidão urbana, pequeno comércio no Rio de Janeiro, religiosidade e Diáspora africana. Tem publicado diversos livros e artigos sobre esses temas, como No labirinto das nações (Prêmio Arquivo Nacional 2003, em coautoria com Flavio Gomes e Carlos Eugênio Líbano Soares) e Fortunata et João José “parents de nation”. Mariage et divorce chez lês Africans de l’ouest à Rio de Janeiro au XIXe siècle. Brésil(s). Sciences Humaines et Sociales, Paris, n. 1, maio 2012, p. 79-102.

Lisa Earl Castillo

Autora do livro Entre a oralidade e a escrita: a etnografia nos candomblés da Bahia (Ed. da UFBA, 2008) e de diversos artigos publicados no Brasil e o exterior, possui doutorado em Letras e Linguística pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente, é pesquisadora de pós-doutorado no Centro de Pesquisa em História Social da Cultura – Cecult, da Unicamp.

Luis Nicolau Parés

Professor associado no Departamento de Antropologia da Universidade Federal da Bahia. Suas principais áreas de pesquisa incluem a história e a antropologia das religiões afro-brasileiras e africanas e suas conexões atlânticas. É autor de, entre outros livros, A formação do candomblé: história e ritual da nação jeje na Bahia (Unicamp, 2006).

Luiz Alberto Couceiro

Bacharel e licenciado em História pela PUC-Rio. Fez mestrado e doutorado em Antropologia no Programa de Pós-Graduação em Sociologia & Antropologia da UFRJ e Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social no Museu Nacional da UFRJ. Atualmente, é professor de antropologia no Departamento de Sociologia & Antropologia da UFMA.  

Luiz Mott

Bacharel em Ciências Sociais pela USP, mestre em Etnologia pela Sorbonne, doutor em Antropologia pela Unicamp, professor titular aposentado do Departamento de Antropologia da UFBA e pesquisador sênior do CNPq. Autor de 15 livros e vários artigos publicados em revistas nacionais e internacionais sobre inquisição, etno-história da homossexualidade, relações raciais no Brasil colonial, direitos humanos e religiosidade popular.

Maria da Vitória Barbosa Lima

Doutora e mestre em História pela Universidade Federal de Pernambuco. Especialista em Organização de Arquivos e graduada em História pela Universidade Federal da Paraíba. É pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABIUFPB). É autora do livro Liberdade interditada, liberdade reavida: escravos e libertos na Paraíba escravista (século XIX) (Fundação Cultural Palmares, 2013). 

Mundicarmo Ferretti

Professora Emérita pela Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Doutora em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). Mestre em Ciências Sociais/Antropologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Licenciada em Filosofia pela UFMA. Área de pesquisa: antropologia das populações afro-brasileiras e cultura popular tradicional/folclore.

Nilma Teixeira Accioli

Doutora em História Comparada (UFRJ). Autora do documentário “Ibiri, tua boca fala por nós”. Prêmio de Melhor Documentário no 12º Festival de Filmes de Pesquisa, “Esclavages: Memóire, Héritages et Formes Contemporaines”, de Paris, em 2009. Autora do livro José Gonçalves da Silva à nação brasileira: o tráfico ilegal de escravos no antigo Cabo Frio (Funarj/Imprensa Oficial, 2012). 

Paulo Roberto Staudt Moreira

É doutor em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), professor do cursos de graduação e pós-graduação em História da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), historiógrafo do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul e bolsista de produtividade do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Publicou, entre outros trabalhos: Os cativos e os homens de bem: experiências negras no espaço urbano (EST, 2003); Comunidade negra de Morro Alto: historicidade, identidade e territorialidade (Editora da UFRGS, 2004, em coautoria); Que com seu trabalho nos sustenta: as cartas de alforria de Porto Alegre – 1748-1888 (EST, 2007, em coautoria). Atualmente, desenvolve pesquisas sobre família e saúde escrava, feitiçaria e curandeirismo. É um doas autores do livro Experiências da emancipação (Selo Negro, 2011).

Petrônio Domingues

Petrônio Domingues

Graduado, mestre e doutor em História pela Universidade de São Paulo (USP). É professor na Universidade Federal de Sergipe (UFS). Pesquisador convidado na Rutgers The State University of New Jersey (EUA), com bolsa da Capes, desenvolve pesquisas sobre populações da Diáspora africana no Brasil e nas Américas, pós-emancipação, movimentos sociais, identidades, biografias, multiculturalismo e diversidade etnorracial. É um dos autores / organizadores do livro Experiências da emancipação (Selo Negro, 2011), autor do livro A nova abolição Selo Negro, 2008) e um dos autores do livro Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (Selo Negro, 2012).

Robson P. Costa

Doutor em História pela UFPE e professor do Instituto Federal de Pernambuco. Autor do livro Vozes na senzala: cotidiano e resistência nas últimas décadas da escravidão, Olinda, 1871- 1888 (Ed. da UFPE, 2008) e um dos organizadores da obra História da escravidão em Pernambuco. Atualmente é líder do grupo de pesquisa História, cultura e trabalho e tem desenvolvido pesquisas sobre a relação entre Igreja Católica e escravidão negra no Brasil.

Sergio F. Ferretti

Doutor em Antropologia pela USP e mestre em Antropologia pela UFRN. Bacharel e licenciado em História pela Universidade do Brasil (UFRJ). Museólogo (MHN/Unirio). Professor emérito pela UFMA. Concentra-se na área de antropologia das populações afro-brasileiras. Suas áreas de pesquisa são religião e culturas populares. Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq.

Ulisses Neves Rafael

Professor Associado III do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Sergipe. Doutor em Sociologia e Antropologia pela UFRJ, mestre em Antropologia pela UFPE e bacharel em Ciências Sociais pela UFPB. Possui pós-doutorado pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Atualmente coordena o Grupo de Pesquisa Cultura, Cotidiano e Sociabilidades na contemporaneidade, no qual desenvolve pesquisa sobre cultura urbana e boemia literária.

Valéria Gomes Costa

Professora do Instituto Federal Sertão Pernambucano (IF Sertão PE). Doutora em História Social pela UFBA. Autora de É do dendê! História e memórias urbanas da nação Xambá no Recife, 1950-1992 (Annablume, 2009). Possui artigos publicados em revistas especializadas e capítulos de livros nas coletâneas Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação (Selo Negro, 2012); e História da escravidão em Pernambuco (Ed. da UFPE, 2012).

Leia o sumário e as primeiras páginas deste livro abaixo ou, se preferir, faça o download do PDF

Loader Loading...
EAD Logo Taking too long?

Reload Reload document
| Open Open in new tab

Download [224.25 KB]

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Religiões negras no Brasil”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de…

Candomblé e Umbanda

Caminhos da Devoção Brasileira
Vagner Gonçalves da Silva
R$46,40

Em estoque

Este livro procura fornecer ao leitor uma visão histórica do desenvolvimento das mais conhecidas vertentes das religiões afro-brasileiras. Indicando suas fontes com base no universo social e religioso do Brasil colonial, o autor se estende na análise das relações sociais, políticas e econômicas que se estabeleceram entre negros, índios e brancos e que redundaram no desenvolvimento dessas religiões. Um livro de leitura fácil dirigido ao grande público interessado no assunto.

Experiências da emancipação

Biografias, instituições e movimentos sociais no pós-abolição (1890-1980)
Beatriz Ana Loner
Elizabeth do Espírito Santo Viana
Flavio Gomes
e mais 10 autores
R$103,70

Em estoque

Esta coletânea reúne a história de milhares de ex-escravos e de seus descendentes dos últimos anos do século XIX até a década de 1980. De forma plural e inovadora, analisa os significados do pós-abolição – período de propostas, lutas e expectativas – por meio de biografias, da trajetória dos movimentos sociais e da formação e consolidação de instituições negras.

Nova abolição, A

Petrônio Domingues
R$64,20

Em estoque

O livro aborda a resistência dos negros em suas organizações específicas após a abolição da escravatura. Resgatando a história da imprensa negra paulista e a luta dos afrodescendentes pela conquista da cidadania, o autor fala ainda sobre a participação de milhares de negros na Revolução Constitucionalista de 1932 e analisa as atuais ações afirmativas em benefício da população negra.

Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação

Adriana Dantas Reis
Antonio Liberac Cardoso Simões Pires
Camillia Cowling
e mais 17 autores
R$106,40

Em estoque

Como foi a participação das mulheres cativas na sociedade escravista e nas primeiras décadas da pós-emancipação? Como protestaram mirando a escravidão e contrariando a ideia de que aceitaram com passividade a opressão imposta? Os ensaios desta coletânea, que abrange os séculos 18 a 20, constituem um quadro amplo e fascinante das experiências das mulheres africanas, crioulas, cativas e forras.

POLÍTICAS DA RAÇA

Experiências e legados da abolição e da pós-emancipação no Brasil
Celso Thomas Castilho
Daryle Williams
Elione Silva Guimarães
e mais 16 autores
R$100,70

Em estoque

Esta coletânea, escrita por pesquisadores brasileiros e estrangeiros, aborda um longo período da história do nosso país: dos anos 1870, com o início do movimento abolicionista, a 2010, quando o STF julgou constitucionais as cotas raciais na Universidade de Brasília. Entre outros assuntos abordados estão: a formação dos quilombos; a migração de libertos por São Paulo e Rio de Janeiro; os negros no movimento republicano brasileiro; as representações culturais dos negros na música, na cultura, nas artes e na religião; linchamentos raciais no Oeste paulista; a luta entre imigrantes e ex-escravizados pela posse de terra e por moradia; a atuação dos negros na luta contra a monarquia; as relações entre o movimento operário e os trabalhadores negros; comunismo, integralismo e a Frente Negra Brasileira. Trata-se de uma obra completa, lastreada tanto pelo uso de fontes e abordagens diversas quanto pela pluralidade de ideias e pela multiplicidade de interpretações.

Caminhos da Alma

Beatriz Góis Dantas
Emerson Giumbelli
Jocélio Teles dos Santos
e mais 7 autores
R$90,60

Em estoque

Primeiro volume da coleção Memórias Afro-brasileira, é uma coletânea de artigos escritos por conceituados professores, sociólogos e antropólogos narrando a atuação de personalidades exemplares no campo religioso afro-brasileiro. É traçado um perfil das manifestações religiosas de origem africana, desde o “tambor de mina” no Maranhão até o “batuque gaúcho” no Rio Grande do Sul.